Alimentos e Bebidas

WellFood: Cresce a demanda global por ingredientes funcionais

Quimica e Derivados
28 de março de 2019
    -(reset)+

    QD: Que crescimento espera para a segunda edição do WellFood Ingredients em comparação a 2017?

    Eduardo Sanches: A expectativa é receber mais de 2 mil profissionais da indústria de alimentos, bebidas e nutracêuticos e mais de 400 congressistas. Estimamos também duplicar o número de empresas expositoras em relação à edição anterior, superior a 30 participantes.

    QD: Pelo perfil do consumidor brasileiro, que segmento de mercado acredita que terá maior crescimento?

    Eduardo Sanches: Nos últimos cinco anos, o segmento de alimentação saudável mundial registrou um crescimento médio de 12,3% ao ano e as previsões para o futuro são positivas: a Euromonitor estima que esse setor continue crescendo cerca de 4,4% ao ano até 2021. Isso reflete também na mudança do perfil dos consumidores brasileiros, que são alcançados à medida que a demanda mundial cresce.

    QD: Acredita que 2019 será um ano positivo para a indústria alimentícia brasileira? Quanto movimenta este mercado por ano?

    Eduardo Sanches: Sim, diante das reformas que o atual governo está anunciando, acredito que todos os setores da economia serão beneficiados, especialmente a indústria de alimentos. De acordo com o levantamento da Abia, a indústria brasileira de alimentos trabalha com a perspectiva de aumento de 2,5% a 3% da produção física (volume), e de 3% a 4% das vendas reais e cerca de US$ 40 bilhões nas exportações. Como consequência da expectativa positiva, empregos (diretos e formais) podem crescer entre 2% e 3%. Vale ressaltar que, segundo o Euromonitor International (provedor global de inteligência estratégica de mercado), o Brasil é o quarto maior mercado do mundo no segmento de alimentos saudáveis. Em 2018, o setor faturou mais de R$ 62 bilhões. A Abiad (Associação Brasileira de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres), por sua vez, atesta que 75% da população brasileira consome suplemento alimentar para completar a alimentação e 57% para promover o bem-estar.

    QD: Que impacto a nova regulamentação técnica da Anvisa pode provocar no segmento de aditivos, conservantes, etc.?

    Eduardo Sanches: No Brasil, há uma regulação relacionada a alimentos com alegação de funcional feita pela Anvisa. Para que um alimento possa ser comercializado sob esse rótulo, é necessário que haja comprovação científica dos benefícios proporcionados ao consumidor, resultado de estudos clínicos e testes em laboratório. Segundo dados da agência, o número de pedidos de liberação de produtos funcionais passa de mais de dois mil por ano. É importante que se tenha um controle rígido pelos órgãos competentes, a fim de garantir a segurança alimentar do produto, pois o consumidor está cada vez mais atento a isso e deve ser informado. No painel de abertura do Congresso Wellfood – “Rumos da indústria, principais tendências e como se adaptar às exigências do mercado” – esse tema será debatido pelos especialistas do Ital. No ambiente da feira, os visitantes terão contato com muitas novidades, como por exemplo, as linhas de concentrados de frutas e vegetais da Chr. Hansen, soluções para tons vermelhos e laranjas 100% à base de plantas; os corantes naturais da GNT Brasil, que ampliam as aplicações de cores processadas apenas com água e sem o uso de solventes ou aditivos, além dos corantes orgânicos e certificados da Sensient, soluções que atendem a demanda crescente de rótulos limpos. Ainda na feira, a Nexira apresentará novos estudos mostrando os efeitos de fibras dietéticas solúveis de goma acácia com múltiplos benefícios à saúde intestinal.

    Novidades dos expositores

    A Brenntag estreia na Wellfood Ingredients mostrando os lançamentos da nova divisão Food & Nutrition, criada em 2018. “Já iniciamos com um time de especialistas dedicados a área de alimentos e nutrição. Dentre as várias ações que estamos coordenando na América Latina, a participação em feiras focadas em alimentação saudável é prioritária. Estamos bastante otimistas com a economia”, comenta Ijones Almeida Constantino, gerente de Food & Nutrition. “Um dos nossos principais focos na feira é levar soluções aos nossos clientes para reformulação de seus produtos, atendendo a nova regulamentação de redução de açúcar e sal estabelecida pela Anvisa. Vamos apresentar diversas novidades em nossa linha de edulcorantes, como novas frações de estévia e premix de edulcorantes para substituição parcial ou total de açúcar, uma tendência cada vez maior no mercado. Para emulsificantes, o destaque será uma nova linha voltada ao segmento de embutidos e lácteos, além de emulsificantes que garantem a melhor estabilidade do produto final”.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *