WellFood: Cresce a demanda global por ingredientes funcionais

Química e Derivados, Cresce a demanda global por ingredientes funcionais e mais saudáveis na alimentação
Química e Derivados, Cresce a demanda global por ingredientes funcionais e mais saudáveis na alimentação

A Pesquisa Global de Saúde e Bem-Estar da Nielsen, publicada em janeiro de 2015, entrevistou mais de 30 mil pessoas em 60 países em toda a Ásia-Pacífico, Europa, América Latina (Brasil, inclusive), Oriente Médio, África e América do Norte por meio das quais identificou significativas mudanças no comportamento dos consumidores em relação aos alimentos. Entre os dados mais relevantes estão a preferência por produtos naturais, minimamente processados e a busca por ingredientes benéficos que ajudam a combater doenças e promovam a boa saúde. O relatório mostra também que os atributos de saúde são mais importantes para os entrevistados dos mercados emergentes (América Latina e Ásia), particularmente os mais jovens, que se dizem dispostos a pagar mais por itens que tragam benefícios nesse sentido. A pesquisa (disponível na Internet) também apontou que os fabricantes estão reformulando seus produtos, visando eliminar ou reduzir açúcar, teor de gordura saturada e sódio, introduzindo mais fibras e ingredientes funcionais. “Há uma grande oportunidade para a indústria de alimentos e varejistas liderarem um movimento saudável, fornecendo produtos e serviços que os consumidores querem”, disse Susan Dunn, executiva vice-presidente de Serviços Profissionais Globais da Nielsen.

    Orçamento Rápido

    GuiaQD.com.br

    Informe os produtos que deseja receber cotação.

     

     

    Seguindo esta tendência, a feira WellFood Ingredients, que acontece nos dias 3 e 4 de abril no Centro de Exposições Pro Magno, em São Paulo, tornou-se o principal centro de conhecimento e negócios voltados ao mercado de ingredientes funcionais e saudáveis para a indústria alimentícia e nutracêutica. Em sua segunda edição, o evento tem como principal atração o Congresso Internacional WellFood Ingredients, que aborda tecnologias, regulamentações e comunicação de produtos, embasado nas novas tendências mundiais.

    Organizada pela Koelnmesse Brazil e com apoio do Ital – Instituto de Tecnologia de Alimentos, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, a conferência apresentará, na manhã do dia 3, soluções para agregar novas funções aos alimentos tradicionais e na parte da tarde, apresenta ferramentas como o desing thinking, conjunto de ideias e insights que visam inovar a indústria de ingredientes, alimentos funcionais e suplementos alimentares. No dia 4 de abril, discutirá como a indústria tem reagido às tendências de compostos bioativos, probióticos e fitoterápicos no combate ao envelhecimento e à obesidade e, no último painel, tratará sobre a promoção correta dos ingredientes funcionais, nutracêuticos e suplementos alimentares em consonância com a legislação brasileira.

    A seguir, Eduardo Sanches, gerente de projetos da WellFood, fala sobre suas expectativas para esta edição.

    QD: Qual o papel desse evento no fortalecimento da indústria nacional no segmento?

    Eduardo Sanches: WellFood Ingredients surgiu em 2017 das necessidades do mercado alimentício em atender aos consumidores que buscam alimentos mais saudáveis, especialmente os funcionais, nutracêuticos e naturais. O objetivo é apresentar ao mercado a importância desse segmento da indústria para a melhoria da nutrição e saúde da população brasileira, demonstrando exemplos práticos. Assim como na primeira edição, a organização da conferência terá apoio do Ital (veja box). A nova programação, porém, tem o suporte de um produtor/consultor exclusivo egresso do setor de ingredientes. Assim como na edição anterior, o WellFood será palco da conferência Building Healthier Brands (BHB), realizada pela consultoria Equilibrium.

    Química e Derivados, Eduardo Sanches, gerente de projetos da WellFood
    Eduardo Sanches, gerente de projetos da WellFood

    QD: Como o conceito clean label (rotulagem limpa), que preconiza alimentos sem aditivos, pode motivar as indústrias a produzirem itens à base de orgânicos?

    Eduardo Sanches: Hoje, o consumidor possui um olhar mais completo em relação às suas escolhas, considerando todos os impactos que uma compra pode trazer. Além de um alimento orgânico manter as características nutricionais naturais, favorecendo a saúde das pessoas, esse tipo alimento apoia uma sociedade justa e equilibrada, onde os impactos sociais gerados por uma determinada produção são positivos para o todo. Segundo a nossa parceira Equilibrium, consultoria especializada em Health Marketing, os consumidores têm priorizado a compra de alimentos orgânicos ou industrializados que apresentem um rótulo clean label, o que significa que ele quer ler a lista de ingredientes e entender o que ele contém. Em outras palavras, ele quer encontrar os mesmos ingredientes que estão em sua cozinha.

    QD: Que crescimento espera para a segunda edição do WellFood Ingredients em comparação a 2017?

    Eduardo Sanches: A expectativa é receber mais de 2 mil profissionais da indústria de alimentos, bebidas e nutracêuticos e mais de 400 congressistas. Estimamos também duplicar o número de empresas expositoras em relação à edição anterior, superior a 30 participantes.

    QD: Pelo perfil do consumidor brasileiro, que segmento de mercado acredita que terá maior crescimento?

    Eduardo Sanches: Nos últimos cinco anos, o segmento de alimentação saudável mundial registrou um crescimento médio de 12,3% ao ano e as previsões para o futuro são positivas: a Euromonitor estima que esse setor continue crescendo cerca de 4,4% ao ano até 2021. Isso reflete também na mudança do perfil dos consumidores brasileiros, que são alcançados à medida que a demanda mundial cresce.

    QD: Acredita que 2019 será um ano positivo para a indústria alimentícia brasileira? Quanto movimenta este mercado por ano?

    Eduardo Sanches: Sim, diante das reformas que o atual governo está anunciando, acredito que todos os setores da economia serão beneficiados, especialmente a indústria de alimentos. De acordo com o levantamento da Abia, a indústria brasileira de alimentos trabalha com a perspectiva de aumento de 2,5% a 3% da produção física (volume), e de 3% a 4% das vendas reais e cerca de US$ 40 bilhões nas exportações. Como consequência da expectativa positiva, empregos (diretos e formais) podem crescer entre 2% e 3%. Vale ressaltar que, segundo o Euromonitor International (provedor global de inteligência estratégica de mercado), o Brasil é o quarto maior mercado do mundo no segmento de alimentos saudáveis. Em 2018, o setor faturou mais de R$ 62 bilhões. A Abiad (Associação Brasileira de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres), por sua vez, atesta que 75% da população brasileira consome suplemento alimentar para completar a alimentação e 57% para promover o bem-estar.

    QD: Que impacto a nova regulamentação técnica da Anvisa pode provocar no segmento de aditivos, conservantes, etc.?

    Eduardo Sanches: No Brasil, há uma regulação relacionada a alimentos com alegação de funcional feita pela Anvisa. Para que um alimento possa ser comercializado sob esse rótulo, é necessário que haja comprovação científica dos benefícios proporcionados ao consumidor, resultado de estudos clínicos e testes em laboratório. Segundo dados da agência, o número de pedidos de liberação de produtos funcionais passa de mais de dois mil por ano. É importante que se tenha um controle rígido pelos órgãos competentes, a fim de garantir a segurança alimentar do produto, pois o consumidor está cada vez mais atento a isso e deve ser informado. No painel de abertura do Congresso Wellfood – “Rumos da indústria, principais tendências e como se adaptar às exigências do mercado” – esse tema será debatido pelos especialistas do Ital. No ambiente da feira, os visitantes terão contato com muitas novidades, como por exemplo, as linhas de concentrados de frutas e vegetais da Chr. Hansen, soluções para tons vermelhos e laranjas 100% à base de plantas; os corantes naturais da GNT Brasil, que ampliam as aplicações de cores processadas apenas com água e sem o uso de solventes ou aditivos, além dos corantes orgânicos e certificados da Sensient, soluções que atendem a demanda crescente de rótulos limpos. Ainda na feira, a Nexira apresentará novos estudos mostrando os efeitos de fibras dietéticas solúveis de goma acácia com múltiplos benefícios à saúde intestinal.

    Novidades dos expositores

    A Brenntag estreia na Wellfood Ingredients mostrando os lançamentos da nova divisão Food & Nutrition, criada em 2018. “Já iniciamos com um time de especialistas dedicados a área de alimentos e nutrição. Dentre as várias ações que estamos coordenando na América Latina, a participação em feiras focadas em alimentação saudável é prioritária. Estamos bastante otimistas com a economia”, comenta Ijones Almeida Constantino, gerente de Food & Nutrition. “Um dos nossos principais focos na feira é levar soluções aos nossos clientes para reformulação de seus produtos, atendendo a nova regulamentação de redução de açúcar e sal estabelecida pela Anvisa. Vamos apresentar diversas novidades em nossa linha de edulcorantes, como novas frações de estévia e premix de edulcorantes para substituição parcial ou total de açúcar, uma tendência cada vez maior no mercado. Para emulsificantes, o destaque será uma nova linha voltada ao segmento de embutidos e lácteos, além de emulsificantes que garantem a melhor estabilidade do produto final”.

    A DSM, empresa global de origem holandesa baseada na ciência, com atividades nas áreas de saúde, nutrição e materiais, apresenta produtos contendo luteína e zeaxantina em conceitos para crianças, explorando o tema luz azul e a importância do cuidado com a saúde ocular. A luz azul é parte do espectro de luz que podemos ver e está presente em praticamente todas as fontes luminosas, sendo a mais nociva aos olhos. A proteção natural é uma camada amarela, localizada no fundo do olho, e contém luteína e zeaxantina, dois carotenoides presentes na natureza. Segundo a empresa, a obtenção desses compostos bioativos pode ser feita por meio do consumo de alimentos de coloração alaranjada ou verde escura. No entanto, a alimentação deficitária dificulta a ingestão diária recomendada dessas substâncias e, por esse motivo, é indicado o consumo de produtos enriquecidos com esses carotenóides ou de suplementos nutricionais contendo luteína e zeaxantina. Outro produto inovador, focado para os atletas, é o Fruitflow, ingrediente desenvolvido a partir dos compostos bioativos dos tomates presentes na película que cobre as sementes dos frutos maduros. Estudos mostraram que formulações contendo esse ingrediente podem reduzir os efeitos tóxicos dos exercícios em mais da metade por meio da diminuição da ativação plaquetária e inflamação. “Com a crescente demanda por alimentos com alta densidade nutricional e benefícios funcionais comprovados, queremos ajudar nossos clientes a chegar mais rápido ao mercado, com soluções inovadoras”, diz Maria Fernanda Elias, gerente de Comunicação da DSM para a América Latina em Nutrição Humana e Saúde.

    Química e Derivados, Fruitflow
    Fruitflow

    A Gelita, que já esteve presente na primeira edição da feira, apresenta os mais recentes lançamentos da linha de peptídeos bioativos de colágeno Tendoforte, uma intervenção nutricional eficaz para tendões e ligamentos, e Fortibone, que estimula as células ósseas a aumentar a síntese de componentes ósseos, tais como o colágeno, tendo efeito sobre os osteoblastos para contrabalançar a degeneração do colágeno na matriz óssea extracelular. “Estudos já comprovaram efeitos positivos do Tendoforte, especialmente quando combinado com atividade física. O risco de lesões diminui consideravelmente à medida que a flexibilidade melhora”, garante Sandra Lucchetti South America Marketing & Communications da Gelita do Brasil. Outros destaques são os peptídeos bioativos de colágeno, que contribuem para a redução da gordura corporal, o aumento da massa magra, da força e resistência muscular, e Verisol, que estimula o metabolismo do colágeno da pele. “Os peptídeos são produzidos a partir de processos controlados de hidrólise e diferem em sua funcionalidade fisiológica, sendo otimizados de modo a maximizar o estímulo às células humanas envolvidas na biossíntese do colágeno”, acrescenta Sandra Lucchetti.

    Química e Derivados, Bioativos de colágeno Tendoforte
    Bioativos de colágeno Tendoforte

    A Labonathus estará participando pela segunda uma vez da feira. Segundo Sheila C. Collino – Ident & Consumer Service Manager, a empresa vai apresentar uma linha de probióticos de origem vegetal importada, tendo como matérias-primas base ervilha, milho e trigo. “Nosso principal destaque é a Nutralys, proteína obtida de ervilhas amarelas, um produto GMO-free, lactose-free, glúten-free e que está fora da lista de alergênicos. Apresenta um perfil de aminoácidos de 95%, de acordo com a RDC 14/2014, tendo baixa apenas nos aminoácidos sulfurados. Empregada em diversos produtos na área de suplementos, como shakes e barras proteicas, esse produto vem ganhando espaço em leites vegetais, tanto por sua funcionalidade quanto por ser clean label”.

    A Sensient, especializada na fabricação de corantes para a indústria de alimentos e bebidas, retorna à feira trazendo como novidade a linha de corantes orgânicos certificados e o ingrediente Avalanche, uma alternativa clean label ao dióxido de titânio. Wilson Onório Jr. Technical Services Manager Sensient Technologies Brasil, explica o novo produto: “Há vários estudos sobre o emprego do dióxido de titânio, mas entendemos que nada conclusivo. Todavia, nos antecipamos ao mercado com alternativas para indústria de alimentos e bebidas com nossa linha Avalanche, composta por sistemas turvantes e branqueadores baseados em ingredientes naturais. Avalanche não é rotulado como aditivo, mas como ingrediente, tornando rótulo limpo e o alimento com uma composição mais confiável”.

    A Tate & Lyle, fornecedora global de ingredientes e soluções para alimentos, bebidas e outras indústrias, oferece soluções em texturizantes, incluindo amidos especiais, adoçantes sem ou com baixas calorias; fibras especiais, estabilizantes e sistemas funcionais sob medida, que garantem a estrutura e estabilidade dos alimentos ao longo da vida de prateleira. Nieman Hacker, diretora de pesquisa de mercado global na Tate & Lyle, discutirá, durante a conferência WellFood Summit 2019 sobre os desafios enfrentados pela indústria de alimentos para formular produtos de acordo com as mais recentes tendências de consumo.

    A Tovani Benzequen, que participa da feira pela segunda vez, dará destaque à cafeína microencapsulada ZumXR, patenteada por uma empresa farmacêutica americana, que possibilita absorção controlada no organismo por até seis horas. Rafael Ferrarese, diretor executivo da empresa explica: “O diferencial deste produto é que o efeito estimulante continua, mas sua liberação, mais lenta e controlada, evita picos de absorção, evitando assim o mal-estar e aquela sensação de arritmia intensa logo após o consumo de uma cafeína tradicional”. Outros lançamentos são a Lentein, uma nova proteína concentrada, obtida da lentilha verde; a proteína láctea de soro de leite Bravo 300, cuja principal funcionalidade é substituir a gordura em formulações de alimentos em geral, proporcionando produtos mais saudáveis, cremosos e com redução de calorias, e a nova vitamina K2Vital, com revestimento de proteção único que garante sua estabilidade até o final da vida útil do produto final.

    Química e Derivados, Lentein
    Lentein

    A Univar, que participa pela primeira vez da Wellfood Ingredientes, apresenta a linha de aromas da IFF para fabricação de bebidas, snacks, confeitos, barrinhas de cereais e proteicas, panificados e produtos lácteos. Como os aromas naturais, 100% extraídos por método físico de extratos e óleos essenciais; os moduladores mantêm a mesma percepção sensorial em produtos com redução de açúcar e de sal e são constituídos por máscaras off notes de edulcorante, proteína vegetal e cloreto de potássio. A empresa também apresenta a linha de superfrutas liofilizadas da Liotécnica e a linha Liofruit, com fruta 100% natural, desidratada pelo processo de liofilização, que proporciona uma secagem suave sem agredir as características nutricionais e estruturais da fruta. “Será uma grande oportunidade para compartilharmos toda nossa experiência, estrutura e portfólio para um público interessado nas tendências globais de nutrição, saúde e bem-estar”, diz a gerente de Marketing da Univar, Milena Carvalheira.

    Química e Derivados, Liofruit
    Liofruit

    Texto: Marcia Mariano

      Orçamento Rápido

      GuiaQD.com.br

      Informe os produtos que deseja receber cotação.

       

      Deixe um comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado.