QUÍMICA.com.br – O Portal da revista Química e Derivados


Alimentos e Bebidas

WellFood Ingredients 2019: Consumidor precisa de informação

Quimica e Derivados
3 de abril de 2019
    -(reset)+

    Química e Derivados, Wellfood 2019: Consumidor precisa de informação

    Química e Derivados, Cresce a demanda global por ingredientes funcionais e mais saudáveis na alimentaçãoEnquanto na edição de 2017 os debates se pautaram sobre o futuro dos ingredientes e como os alimentos são influenciados pelas mudanças de consumo, nesta edição o foco será: os rumos da indústria, as novas ferramentas e o que o setor deve fazer para aproveitar as oportunidades. Com o futuro apontando para o crescimento da população urbana e aumento dos produtos industrializados, como orientar a indústria a atender à demanda por especialidades? Luis Madi, diretor de Assuntos Institucionais do Ital e organizador das conferências, responde: “A população pegou esse mote de que alimento é o melhor caminho para sua saúde e bem-estar e está fazendo essa exigência. A orientação à indústria ocorre há cerca de 10 anos e foi iniciada pelo estudo Brasil Food Trends 2020, que já mencionava que uma das macrotendências da alimentação mais importantes é saudabilidade e bem-estar pelo envelhecimento das populações, pelas descobertas científicas que vinculam determinadas dietas às doenças e pelo estilo de vida nas grandes cidades, destacando-se não só o crescimento dos produtos naturais como a procura por alimentos funcionais e os produtos para dieta e controle de peso”. Madi ressalta que embora os consumidores queiram alimentos “mais saudáveis”, muitos não sabem identificar os compostos que favorecem a funcionalidade, como bioativos, probióticos ou fitoterápicos, por exemplo. Por isso, o Ital vem destacando, desde 2015, que é preciso uma forma de comunicação mais eficiente, tanto por parte das instituições, das empresas e da mídia.

    “Vamos lançar no dia 14 de março, na Anufood Brasil, o módulo “Iniciativas Empresariais” no site www.alimentosprocessados.com.br para mostrar o que boa parte das indústrias está fazendo e que o consumidor não está sabendo”. Entre as tendências apontadas para o segmento de nutracêuticos e suplementos alimentares, Luis Madi diz que estudos em relação a vitaminas e suplementos mostram que a saúde e a prevenção vão continuar estimulando a compra desses produtos, mas o acesso a mais informação e constante conectividade está mudando o modo de compra. “A procura por produtos mais saudáveis, mais customizados, aliada ao aumento das vendas online está reinventando a estratégia da indústria, que também atende uma população mais idosa e dependente desses produtos com regularidade, e que busca preços acessíveis” Com relação às normas de rotulagem, Madi diz que o Ital tem participado dos debates junto à Anvisa e ao Ministério da Saúde quanto à rotulagem frontal e acredita que o modelo trabalhado junto à Rede Rotulagem, que reúne a Abia, a Abir, a CNI e outras entidades setoriais, é o mais adequado e utilizado em vários lugares do mundo. “É um modelo em que você faz o alerta, mas orienta em relação a gordura, caloria, sódio e a açúcar – através do semáforo, que é o que o consumidor melhor entende”.

    Texto: Marcia Mariano



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *