Visitantes encontram ambiente propício para ver e testar novidades e trocar experiências – FCE 2019

Química e Derivados - Mais de 16,5 mil interessados conheceram os lançamentos das 500 marcas presentes
Mais de 16,5 mil interessados conheceram os lançamentos das 500 marcas presentes

Em três dias, de 21 a 23 de maio, a FCE Pharma e a FCE Cosmetique confirmaram o caráter inventivo das indústrias farmacêutica e cosmética. Nos pavilhões do São Paulo Expo, as duas exposições evidenciaram não só lançamentos de insumos, equipamentos e produtos acabados, mas, sobretudo, privilegiaram a experiência dos mais de 16.500 visitantes. Além das novidades apresentadas pelas 500 marcas ali presentes, diversas atrações levaram ao público as mais recentes inovações dos dois setores e consolidaram o protagonismo da sustentabilidade e dos preceitos da indústria 4.0.

Ao percorrer o pavilhão de 40 mil m², o público se deparava com espaços projetados exclusivamente para melhorar a sua experiência ali. A proposta deu certo. Não só os visitantes, que lotaram as salas, aprovaram a iniciativa, como também os expositores. A Galena Química e Farmacêutica e a Sarfam, por exemplo, após anos de ausência na FCE Cosmetique, decidiram retornar ao evento justamente por causa do convite para integrarem o Innovation Center – um lugar reservado para palestras e troca de experiências.

A Galena levou o Sarcoslim Re-Shape, um ingrediente 100% vegano, extraído das células-tronco da planta Sarcocapnos crassifólia. Composto por metabólicos secundários (alcaloides isoquinolínicos e ácidos fumáricos), o ativo, da empresa catalã Bytrus, tem a proposta de remodelar o corpo de forma inteligente. “Todo o processo de entrega do benefício é inovador e conectado com a sustentabilidade”, pontuou Guilherme Moraes, da unidade industrial da Galena.

Os resultados impressionam. Segundo testes, o uso do creme feito com o Sarcoslim Re-Shape reduziu até 3,8 cm o perímetro da coxa de voluntários, e aumentou a elasticidade da pele em 9,8%, no período de 56 dias. Não por acaso, na mais recente edição da In Cosmetics, em Paris, o ingrediente foi considerado o produto mais inovador na categoria de cosméticos em âmbito mundial.

O destaque da Sarfam ficou por conta do Kalahari Melon Seed Oil, da African Original Oil, comunidade agrícola localizada no deserto de Kalahari, na África. Rosa Koren, responsável pelo marketing da empresa, explicou que se trata de um óleo diferenciado, rico em vitamina E e ácidos graxos. “Ele tem aparência de óleo, mas após secar, nem um pouco lembra um óleo”, comentou. Ganhador do prêmio Innovation Center de produto inovação para sensorial, o Kalahari Melon Seed Oil, conforme Rosa contou, é mais efetivo do que outros óleos, como o de argan, e mais regenerador do que a rosa mosqueta em testes para a pele.

A distribuidora também divulgou o Sensityl, um ativo para peles sensíveis, da Givaudan. Segundo Rosa, ele age positivamente no humor, propiciando uma sensação de bem-estar. A Sarfam aproveitou para anunciar novos parceiros: a Biosynthis (fabricante de alternativas de origem vegetal ao silicone), Uni-Powder (de produtos para o segmento de maquiagem, como filtros físicos, pigmentos e dispersões), a Lonza (player com presença global na área de preservantes tradicionais e verdes, ésteres de origem vegetal e ativos biotecnológicos) e a Tinci, uma das principais produtoras de ingredientes funcionais da China.

    Orçamento Rápido

    GuiaQD.com.br

    Informe os produtos que deseja receber cotação.

     

     

    O Innovation Center também contou com a participação da Brenntag. O espaço serviu para a apresentação de dois novos ativos: Etioliftine e Fermentoil hair complex. O primeiro trata-se de um ativo biomimético com ação anti-idade para pele madura. O Etioliftine tem sua origem na gojy berry, na qual as raízes e as cascas são ricas em ácido hidrocinâmico, que atua como antioxidante e estimula o organismo a inibir a produção da progerina. “Por volta dos 45 aos 50 anos, nosso organismo começa a sofrer uma mutação do gene LMNA, transformando-o em uma proteína chamada progerina. A progerina destrói o interior da célula levando ao envelhecimento e à flacidez da pele”, explicou Milena Porfirio, da área de Inteligência de Mercado de Personal Care da Brenntag.

    O Fermentoil, por sua vez, é uma solução para cabelos danificados. O produto é um blend de óleos fermentados; no processo, a fermentação quebra a cadeia graxa do óleo, tornando a cadeia química menor, o que permite maior poder de hidratação ao cabelo. “Esta participação é um marco para nós, queremos ser reconhecidos como parceiros de inovação”, avaliou Milena.

    Em parceria com a Brenntag, a Chemours participou da feira com o Glypure, um ácido glicólico em grau cosmético, indicado para aplicações capilares de uso diário. Gustavo Ramalho, representante técnico da Chemours, explicou que por ser uma molécula pequena, o produto possui facilidade de penetração ao longo do eixo capilar, permitindo assim mais maciez e proteção ao fio.Colamiqc – A participação da Associação Brasileira de Cosmetologia (ABC) na FCE Cosmetique foi um sucesso. O 24ª Colamiqc, congresso realizado paralelamente às feiras pela ABC, atingiu as expectativas, com 400 inscritos. Além disso, o estande onde a associação exibiu trabalhos acadêmicos de toda a América Latina atraiu um grande número de estudantes e profissionais da área. Para Jadir Nunes, coordenador científico do Colamiqc, a proposta era promover a integração entre a área acadêmica e a indústria. “Meta atingida”, afirmou.

    Química e Derivados - Nunes: Colamiqc contribui para integrar academia e empresas
    Nunes: Colamiqc contribui para integrar academia e empresas

    Apesar de o objetivo ter sido alcançado, Nunes lamentou a escassez de investimentos governamentais nas universidades. Aliás, para ele, o mercado de cosméticos carece de inovações justamente por essa falha. “No aspecto qualitativo, o Brasil deixa a desejar. Não houve grandes saltos em relação às inovações”, disse. A saber, até 2015, o Brasil detinha o terceiro lugar no ranking mundial da indústria de cosméticos; hoje está na quarta posição.

    De qualquer modo, o Brasil se sobressai no cenário mundial por causa de sua biodiversidade. Até por este motivo, Juliana Bondança Pereira, gerente de projetos da FactorKline, esteve no Colamiqc para falar sobre a indústria brasileira de ingredientes naturais. Para ela, em meio às altas taxas de desemprego e à lenta recuperação econômica do país, o mercado nacional de ingredientes se mantém expressivo – em 2018, somou 1,2 bilhão de dólares. O dado se refere aos surfactantes, absorvedores UV, conservantes, emolientes, emulsificantes, modificadores de reologia, pigmentos, polímeros condicionantes e polímeros fixadores. Desse universo, cerca de 30% são ingredientes naturais, de origem natural ou sintetizados.

    Química e Derivados - Juliana: produto vegano pode ser totalmente sintético
    Juliana: produto vegano pode ser totalmente sintético

    Juliana explicou que a predileção por produtos com apelo natural está atrelada à geração Milleniun, os nascidos entre 1980 e 2000. “Esse público busca um consumo além de si mesmo, ou seja, quer algo que não agrida a vida ao seu redor”, disse. A palestrante também apontou um novo perfil de compra. O consumidor adquiriu o hábito de ler o rótulo dos cosméticos. “Ele compra aquilo que retrata bem-estar e sustentabilidade”, ratificou. Também diagnosticou a preferência por formulações com o mínimo de ingredientes possível, e a necessidade que o consumidor tem de se sentir exclusivo. “As pessoas querem ser cuidadas pelas marcas”, comentou. Ela fez questão de esclarecer uma dúvida recorrente entre os consumidores: ao contrário do que muitos pensam, o produto vegano (aquele sem qualquer relação com animais) pode ser 100% sintético.

    Novidades – Todas essas tendências estavam ali na feira. O minimalismo das formulações e o veganismo se fizeram notar entre os lançamentos, assim como os conceitos de customização e experimentação. Em diversos estandes, o público teve a oportunidade de interagir com os produtos e ter experiências multissensoriais. Esse foi o caso da Vollmens. Os visitantes eram convidados a sentir o aroma das fragrâncias em caps dry (cápsulas secas de fragrância) e, em seguida, experimentar um drink. “Cada bebida tem um ingrediente que se sobressai, igual ao da fragrância, assim, o cliente consegue entender que além do olfativo, o paladar interfere na escolha da fragrância”, explicou Patrícia Shimojo, do marketing da casa de fragrâncias Vollmens.

    Química e Derivados - Drinks usam cápsulas para incorporar fragrâncias
    Drinks usam cápsulas para incorporar fragrâncias

    A companhia estava celebrando seus 15 anos e, por isso, criou quatro fragrâncias de perfumaria fina para o evento. Direcionadas ao público masculino, a Black Tie Party e a Celebration foram interpretadas pelo suspiro de churros com canela e nitrogênio líquido, e pela esfera de morango com geleia de pimenta e gin, respectivamente. Já a fragrância feminina Red Carpet foi representada pela infusão de frutas secas com algodão doce e água de coco com toque de rum e gengibre, enquanto a Rose Celebration se fez sentir pelo espumante com caviar de rosas, servido em tubo de ensaio. “Ao tomar o drink de caviar de rosa, por exemplo, e morder a esfera, você sente como se estivesse cheirando a rosa”, disse Patrícia.

    A FAV105, distribuidora da suíça Firmenich, também quis inovar e brincar com as sensações. Por isso, levou fragrâncias, com notas associadas à sensualidade e ao prazer da gula. Neste caso, apostou no universo gourmand, com aromas como chocolate, caramelo e leite condensado. “Buscamos o tema diversão, com o viés adulto, de desejo”, disse Renan Bastos, do marketing da FAV105. A intenção ali, segundo ele, era remeter o público a experiências de bem-estar e relaxamento.Com a ideia do “faça você mesmo”, a Ashland chamava o público para conhecer o “Crème by You”, pequenas formas sólidas que, após serem misturadas com água e levadas ao micro-ondas, transformam-se em uma dose diária de creme. Cada peça contém um ativo (anti-idade, clareador, hidratante e calmante, por exemplo) que pode ser combinado de várias maneiras. Para Liliana Brenner, diretora de marketing da América Latina – Personal Care da Ashland, cabe ao cliente eleger qual tipo de benefício quer para aquele dia e qual textura do produto deseja. “O consumidor quer ter a experiência de criar algo feito especificamente por ele e para ele”, reforçou Liliana.

    Química e Derivados - Ativos devem ser misturados pelo consumidor
    Ativos devem ser misturados pelo consumidor

    Além desse conceito, a companhia lançou dois produtos. Um deles, o Advantage Revive, é uma tecnologia para ser usada em xampu a seco, de forma que o cabelo fique livre do sebo e com aparência e sensorial de recém-lavado. Baseado em uma química exclusiva de polivinilpirrolidona (PVP), o polímero apresenta morfologia de área de superfície otimizada para proporcionar melhores propriedades de limpeza e, para Liliana, tem a vantagem de ser eficiente em baixas dosagens.

    Também novidade, o Procataline G2 biofuncional age na desintoxicação capilar e conta com propriedades purificadoras e suavizantes do couro cabeludo. Extraído de sementes de ervilha (Pisum sativum) e chia (Salvia hispanica), o produto é rico em peptídeos, aminoácidos, polissacarídeos, polifenóis e minerais. “Ele protege o couro cabeludo e os fios dos efeitos negativos gerados pela poluição do ar”, concluiu Liliana.

    As unidades de negócios da MCassab estiveram reunidas no estande com um propósito comum: promover o conceito da sustentabilidade. Desenvolvido pela Gattefossé, um dos destaques era o emulsionante natural Emulium Illustro. Conforme explicou a gerente de desenvolvimento de produto, Andrea Adams Schvan, ele permite formulações de processos a frio, com poucos ingredientes, e apresenta alto benefício funcional para a pele.

    Da parceira Covestro, a distribuidora exibiu o Baycusan eco, linha de poliuretanos (PU) formadores de filmes para filtro solar e cabelo. Da fabricante Kox, mostrou um blush de rosas em bastão, elaborado com cera de rosas Kahlwax 6692, o produto se apresenta como eficaz por conta do ingrediente ativo Gatuline Radiance. Segundo o fabricante, consegue-se devolver a luminosidade e a vitalidade da pele porque é possível estimular a sua microcirculação pela liberação de óxido nitroso nas células endoteliais. “Traz a fragrância das rosas e melhora o sensorial do produto acabado (maquiagens e cremes corporais, por exemplo)”, completou Andrea. Um dos destaques da Unidade Global de Negócios Coatis do Grupo Solvay foi o Augeo Clean Multi, um solvente de fonte renovável, com atributos que, de acordo com o fabricante, combinam alta solubilidade com correta volatilidade.

    A distribuidora reservou ainda um espaço em seu estande para divulgar sua unidade de Nutrição Humana. Não por acaso, esta foi uma das áreas de maior crescimento na companhia nos últimos anos. Leila Coelho, gerente de desenvolvimento de produto da MCassab, apresentou diversos alimentos enriquecidos com vitaminas e minerais da sua fábrica de pré-mistura de nutrientes (premix). “São fórmulas personalizadas desenvolvidas para cada cliente a serem aplicadas em qualquer produto e de qualquer formato, seja um comprimido, uma cápsula ou um chocolate”, explicou. Na feira, havia amostras de bombom, com propriedades antioxidantes; petit four flora nozes, indicado para aumentar a imunidade, e paçoca diet, para garantir a saúde óssea.

    A participação da Química Anastácio na FCE Cosmetique teve um foco principal: divulgar a sua estreia no segmento de silicones, fruto da parceria com a holandesa BRB. Num primeiro momento, são sete tipos do produto no portfólio da distribuidora, mas o objetivo é fechar o ano com pelo menos 20. “Aqui na feira estamos sentindo melhor o mercado e analisando de que forma faremos essa ampliação”, explicou Fernando Malanconi Teixeira, supervisor de vendas de cosméticos da Química Anastácio. Para ele, além da intenção de completar seu portfólio, a distribuidora diagnosticou uma brecha do setor. “Nos últimos dois anos, faltou silicone, e os clientes se mostraram abertos a testar novas marcas”, afirmou.

    A fim de atender a essa demanda, ele também oferece uma alternativa natural ao silicone. Trata-se do Plant Sil, da fabricante francesa Natura-Tec. De origem 100% vegetal (da oliva), o produto, segundo estudos, apresentou desempenho muito parecido ao dos silicones mais utilizados no mercado, segundo Teixeira.Outro destaque da distribuidora se referiu à massa base para sabonete desenvolvido pela asiática KLK. “É uma base vegetal (de palma) competitiva para substituir o sebo”, afirmou Teixeira. A aposta é alta. Segundo ele, além do Brasil ser um dos maiores consumidores de sabonete em barra do mundo, por aqui, cresce cada vez mais a procura por produtos com apelo natural.

    Química e Derivados - Godoy: clientes querem mais insumos naturais nas fórmulas
    Godoy: clientes querem mais insumos naturais nas fórmulas

    “A onda do free é uma tendência consolidada. O consumidor não quer mais parabenos, conservante, corantes e afins”, comentou Fernando Alves de Godoy, gerente comercial da Chemspecs. Para ele, a sociedade busca produtos mais naturais em detrimento dos sintéticos, e esse movimento já se reflete nos novos desenvolvimentos da indústria cosmética. Dentro desse cenário, há uma subcategoria, ainda mais exigente: dos produtos veganos. “É um nicho que está crescendo, e este consumidor está disposto a pagar mais”, afirmou Godoy.

    Atenta a isso, na FCE a empresa destacou um xampu e um condicionador veganos. O xampu tem na sua formulação extrato aquoso de alecrim, tensoativo aniônico de origem natural (Jordapon SCI Powder) e agente repositor da camada lipídica de origem vegetal, isento de conservantes e etoxilados (Lamesoft PO65). O condicionador traz o Cetiol CC, emoliente multifuncional de alta espalhabilidade, promovido como uma excelente alternativa ao silicone. “Há três anos nem pensaríamos em trazer este conceito, pois não venderia”, comentou.

    A companhia divulgou também o ativo Patch2O, desenvolvido pela Basf. Composto por uma rede exclusiva de polissacarídeos que atua na liberação controlada de ativos hidratantes, o ingrediente garante à formulação longa duração no couro cabeludo. “Ele melhora o brilho e a nutrição do fio antes que saia do bulbo”, explicou Godoy.

    Química e Derivados - Formulações cosméticas seguem conceito vegano, da Chemspecs
    Formulações cosméticas seguem conceito vegano, da Chemspecs

    Muito mais do que expor o seu catálogo, a Chemyunion quis proporcionar ao visitante da FCE uma experiência. Para tanto, a companhia reservou um lounge, que dividiu em cinco continentes, e ali exibiu protótipos de cosméticos referentes à cultura de cada região. “Queremos mostrar o que está acontecendo de mais moderno no mundo e de que forma esses pontos se conectam; como podem inspirar e oferecer inovação aos clientes”, disse Tatiane Paixão, gerente de comunicação da Chemyunion.

    Eram diversos os itens expostos. No núcleo europeu, por exemplo, o Bruma Hidratante Corporal foi apresentado como uma resposta à tendência de customização. Composto por Omega Plus (óleos vegetais ricos em ômegas 3, 6, 7 e 9), Acqua Bio (polissacarídeos funcionais vegetais) e Hebeatol CG (ésteres funcionais de xilitol com caprilil glicol), o produto resulta da combinação entre um bálsamo hidratante e um óleo de oliva. “O consumidor une os dois produtos acabados, e pode criar na casa dele um terceiro”, comentou Patrícia Moreira, gerente de marketing de Skin Care, da Chemyunion.

    Um dos protótipos da Oceania, o protetor solar FPS 30 (UVA e UVB) traz na formulação o Powderfeel WR, um emulsificante que proporciona alta estabilidade de emulsões em processos a frio e reduz os efeitos de irritação da pele ao minimizar o uso de tensoativo. A pasta de macadâmia drenante, por sua vez, representou as Américas. Segundo Patrícia, o produto hidrata, drena e age contra a celulite e a flacidez. Sua composição leva Slimbuster H (combinação de extratos botânicos padronizados em saponinas e flavonoides), Omega Plus, Powderfeel WR e Hebeatol CG.

    Para representar a África, a empresa brincou com as formas. Apresentou uma barra de massagem, com alta concentração de manteiga de karitê e um óleo de café verde. “É um óleo em barra, com poder hidratante e firmador”, comentou. Também mostrou um protótipo da manteiga de karitê em stick, para agir como finalizador de cabelo. “O produto tem também o Sensoveil Soft, que é uma alternativa natural ao silicone, o Thermoshield Premium (ativo de proteção térmica) e Ômega Plus”, disse Patrícia. Do continente asiático, a empresa expôs o xampu Slime. Formulado com o Chemysoap S 3R (triglicerídeos vegetais saponificados), Sensactive L30 (tensoativo aniônico suave) e Sensactive APG LG (surfactante não-iônico), o produto foi inspirado na massa de modelar – febre entre crianças e adolescentes.

    A Dinaco destacou em sua participação o Color Protection, produto que combina três especialidades do portfólio: Merquat 2003PR, Neossance Hemisqualane e Phytoscreen Patagônia. “É um complexo que ajuda na proteção térmica e na manutenção da cor dos fios do cabelo”, comentou a diretora de marketing estratégico da Dinaco, Marina Fernandes. Para comprovar a eficácia do produto, profissionais do IPClin, Instituto de Pesquisa Clínica Integrada, estavam no estande fazendo testes. Um deles averiguou que o Color Protection, em comparação com o produto usado para controle, ao ser utilizado em um cabelo de coloração vermelha (cor com maior tendência ao desbotamento) após 15 lavagens, apresentou desempenho superior na ordem de 20%.

    O visitante também pôde conferir as novidades da Lubrizol, no estande da parceira Dinaco. Estavam expostos: o Matrifuse S-1, dispersante de pigmento solúvel em óleo para aplicação em produtos de maquiagem e de proteção solar, e o Fixate Keratin, um tratamento capilar com ativação térmica sem formaldeído ou ácido glioxílico, além do Dawnergy, um peptídeo apresentado com a proposta de tornar a pele mais radiante e rejuvenescida. No estande o público também viu de perto as novidades lançadas na Europa pelas suas outras representadas: Schulke, Elkem, Alchemy, J.H. Lowenstein e Sozio.Entre os destaques da Alpha Química, figuraram o Microcare Riam (Thor), um agente condicionante para tratamento capilar; Purasal Moist XS (Corbion), indicado para aumentar a hidratação da pele, e o Sanilac 80 (também da Corbion), um bactericida e antiviral. Da Merck foram apresentados o Ronacare Cyclopeptide 5, ativo anti-idade e antirrugas, e o Ronacare Nicotinamide, com niacinamida vitamina B6 para pele, que possui ação de clareamento com propriedade anti-inflamatória, e o Ronacare Sereneshield, um regulador da oleosidade e da flora microbiana da pele.

    Química e Derivados - Robô HC-10 auxilia humanos na produção de farmacêuticos
    Robô HC-10 auxilia humanos na produção de farmacêuticos

    FCE Pharma – A 24ª FCE Pharma, Exposição Internacional de Tecnologia para a Indústria Farmacêutica se firmou como importante plataforma de negócios. O evento trouxe à luz questões como a rastreabilidade dos medicamentos, até porque a lei 13.410, de 28 de dezembro de 2016, do Sistema Nacional de Controle de Medicamentos (SNCM), prevê a rastreabilidade obrigatória de todos os medicamentos até 2022. Outro foco da exposição foram os incrementos tecnológicos da indústria 4.0 como fundamentos para o avanço do setor. Aliás, neste sentido, o prognóstico é positivo. Para a Interfarma – Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa, daqui a três anos, o Brasil será o quinto maior mercado no ranking mundial. Hoje detém a sexta colocação, atrás de Estados Unidos, China, Japão, Alemanha e França.

    O evento contou com a ajuda o R&D Academy para trazer esses conceitos para a realidade do mercado. Batizado de laboratório do futuro, o espaço foi dedicado à exibição de tecnologias da indústria 4.0. Entre as empresas participantes estava a Yaskawa Motoman do Brasil que levou seus robôs para demonstrar processos de paletização e manipulação de materiais. Um deles, o modelo colaborativo HC-10, possui seis eixos e atende a aplicações diversas como montagem, carga e descarga, manipulação, empacotamento e paletização. Projetado para garantir a segurança do operador, o robô possui carga útil de 10 kg, alcance máximo de 1.200 mm e repetibilidade de ± 0.1 mm.

    Química e Derivados - Robô da Pollux inspeciona qualidade de produtos finais
    Robô da Pollux inspeciona qualidade de produtos finais

    Com o tema “Think Beyond, think Pharma 4.0”, o estande da Pollux expôs equipamentos para o final de linha e robôs para inspeção de qualidade, com sistemas de visão (câmeras) e Inteligência Artificial integrados. A ideia é dar conta de uma demanda reprimida. Estudos revelaram que apenas 20% da indústria farmacêutica alcançou um nível de maturidade digital avançado. “Estamos levando tecnologia de ponta e a experiência de mais de 22 anos no mercado para que as empresas possam se sentir seguras para investir em soluções que estejam em conformidade com a nova legislação”, afirmou Ricardo Gonçalves, diretor de Desenvolvimento de Negócios da Pollux.

    O equipamento fez a identificação individualizada de medicamentos, com o emprego de tecnologias de captura, armazenamento e transmissão eletrônica de dados. Além de realizar o procedimento de aglomerar vários cartuchos dentro de uma mesma caixa, o robô colaborativo integrado à linha de produção respondeu pela paletização das caixas montadas.

    A Bosch Packaging Technology deu destaque ao sistema Track & Trace integrado ao Pharma i 4.0 Starter Edition. Em conformidade com a regulamentação de rastreabilidade de medicamentos determinada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o sistema Track & Trace foi desenvolvido para acompanhar os medicamentos em toda a cadeia produtiva. Já o Pharma I4.0 Starter Edition, que atua atrelado ao sistema Track & Trace, combina três funcionalidades: gerenciamento de KPI (incluindo OEE), acompanhamento de eventos e monitoramento de condições. Esta solução de software é flexível e pode ser acessada em dispositivos fixos e móveis.

    Química e Derivados - Sistema Track & Trace atende as normas de rastreabilidade
    Sistema Track & Trace atende as normas de rastreabilidade
    Química e Derivados - Cromatógrafo Nexera conta com inteligência artificial
    Cromatógrafo Nexera conta com inteligência artificial

    Novidades em cromatografia também figuraram entre os expositores. A Shimadzu levou seu lançamento em cromatografia líquida de alta eficiência para as indústrias cosmética e farmacêutica. A nova série Nexera foi a atração do estande. Com recursos de Inteligência Artificial (AI), o equipamento permite que os dispositivos detectem e resolvam problemas automaticamente. Além de fazer as análises, o aparelho monitora o volume de fase móvel da gravimetria. “É um novo conceito de design, eficiência e inteligência”, pontuou Ariane Morguetti Nogueira, especialista em produtos da Divisão Analítica da Shimadzu. Outro ponto salutar diz respeito à produtividade. O Nexera acomoda até 17 mil amostras. “Um equipamento padrão opera com 600 amostras”, ressaltou. O ciclo de injeção, segundo a empresa, é de 7 segundos. O modelo anterior da Shimadzu chegava a 14 segundos.

    Por tradição, a Laborglas participa da FCE Pharma com o Grupo Vidy. Desta vez, no entanto, também tinha um estande próprio. O diretor executivo da Laborglas, Leonardo Pinheiro, quis apresentar suas empresas parceiras e mostrar ao mercado que hoje detém um portfólio completo. Um destaque ficou por conta da Lauda, empresa alemã com 60 anos de existência. Na ocasião, exibiu equipamentos de termorregulação e medição de temperatura. “São os melhores da categoria”, apontou Leonardo. O catálogo inclui banhos termostáticos, chillers e dedos-frios, tensiômetro e viscosímetros capilares, entre outros.

    O estande abrigou ainda uma amostra do portfólio de suas outras representadas: Heidolph, Hanna Instruments, Vaccubrand, Horiba, Pol Eko e Shimadzu, além dos produtos da sua marca própria, LGI. Apesar de ter sido criada há cerca de quatro anos, a linha foi oficializada há dois meses. E desde então só cresceu. Hoje conta com 60 itens – no início eram 15.

    O visitante da FCE Pharma também pôde conferir o lançamento da Evonik do polímero Eudragit Fl 30 D-55 no mercado brasileiro. Anunciado como um novo padrão para revestimentos entéricos, ele pode ser aplicado por meio de um processo suave, rápido e não pegajoso, além de permitir formulações sem plastificantes. Segundo a companhia, como produto unitário, os tempos de preparação da suspensão de revestimento podem ser reduzidos em até 70%.

    A FCE Pharma e a FCE Cosmetique foram um sucesso, segundo João Paulo Picolo, CEO da NürnbergMesse Brasil, empresa responsável pelas feiras. O interesse pelas atrações durante os eventos e os corredores do pavilhão lotados refletiram o entusiasmo do público. Tudo indica que os visitantes se permitiram ter novas experiências, e agora aguardam serem surpreendidos pela 25ª edição, agendada para 2 a 4 de junho de 2020, no São Paulo Expo.

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.