Cosméticos, Perfumaria e Higiene Pessoal

Uma solução natural e efetiva para redescobrir as emulsões A/O – Coluna ABC Cosmetologia

Quimica e Derivados
15 de junho de 2020
    -(reset)+

    Compatibilidade com silicones e melhora da performance de emulsionantes derivados de silicone

    A compatibilidade deste novo emulsionante à base de poliglicerol com silicones também foi avaliada. Pode-se desenvolver uma emulsão estável (1 mês à 50oC) com silicone representando 50% do total da fase oleosa (Fig. 6). A compatibilidade de emulsionantes de silicone com esse novo emulsionante à base de de poliglicerol também foi avaliada. Na verdade, o novo emulsionante melhora a performance dos emulsionantes de silicone. Quando avaliado sozinho, o novo emulsionante produziu emulsões estáveis com microestrutura bem homogênea (Fig.7), No entanto, nas condições testadas, os emulsionantes de silicone não produziram emulsões estáveis. A associação com esse novo emulsionante natural tornou as emulsões estáveis. Além disso, a combinação dos emulsionantes melhorou a microestrutura da emulsão. Entende-se, portanto, que a adição do novo emulsionante derivado de poliglicerol poderia funcionar como um co-emulsionante, melhorando a performance destes emulsionantes de silicone. A fase oleosa destas emulsões avaliadas na Figura 7, foi a mesma praticada na Figura 6 (10% de ciclometicone e 15% de Neopentanoato de Isodecila, Óleo mineral e Estearato de Magnésio).

    Química e Derivados -

    Desenvolvendo formulações com pigmentos coloridos e filtros UV utilizando novo emulsionante derivado de poliglicerol

    Há uma crescente demanda pelo desenvolvimento de emulsões naturais para a pele contendo pigmentos. A habilidade deste novo emulsionante natural, derivado de um polímero de glicerina, em dispersar pigmentos coloridos foi avaliada comparativamente com emulsionantes à base de silicone. Nas condições avaliadas as emulsões desenvolvidas com emulsionantes de silicone ficaram estáveis, ou não, mas todas elas demonstraram a presença de aglomerados de pigmentos de 10 a 20 µm (Fig. 8). As emulsões desenvolvidas com o novo emulsionante natural ficaram estáveis (sem separação após 1 mês a 50oC), além de dispersar completamente os pigmentos. As propriedades anfifílicas deste emulsinante à base de poliglicerol podem melhorar a molhabilidade destes pigmentos preenchendo eventuais microbolhas de ar na superfície destes aglomerados de pigmentos, podendo também reduzir a tensão interfacial entre os aglomerados e a fase dispersante oleosa. Em outras palavras, este novo emulsionante natural seria “uma ponte” entre a superfície destas partículas e o meio oleoso em que elas estão dispersas. Uma vez dispersos, os pigmentos tendem a se reaglomerar pelo processo conhecido como floculação. Esse processo também envolve as já mencionadas anteriormente, forças de atração de Van der Waals.10

    Química e Derivados -

    O emulsionante natural à base de poliglicerol pode desempenhar um segundo papel como agente dispersante, reduzindo as forças de atração entre as partículas impedindo a floculação e controlando o tamanho das partículas. Anteriormente neste artigo nós propusemos um mecanismo de estabilização estérica prevenindo a coalescência de partículas de água (Fig. 5). A configuração oligomérica deste emulsionante natural pode também prevenir a reaglomeração de pigmentos, pois age como uma barreira entre estas partículas. As boas propriedades molhantes/dispersoras deste emulsionante derivado de poliglicerol se aplicam diretamente às formulações de cosméticos coloridos, como BB, CC creams, bases, batons ou bálsamos anidros. Nestes cosméticos, a dispersão adequada de pigmentos é um fator primordial para se ter uma distribuição uniforme na superfície da pele e ter um bom poder de cobertura.

    Química e Derivados -

    Enquanto as dispersões de pigmentos afetam diretamente a performance e o sensorial de maquiagens em geral, em protetores solares eles podem otimizar a performance daquelas formulações que aplicam filtros físicos. Aqui, novamente, a distribuição homogênea das partículas inorgânicas garantirá um sensorial e performance UV adequados e/ou desejados para estas formulações. O emulsionante à base de poliglicerol demonstra alta compatibilidade tanto com filtros inorgânicos como filtros orgânicos. Formulações de protetores solares com FPS 15 (somente filtros inorgânicos) e FPS 25 (filtros orgânicos e inorgânicos), produzidas à frio foram desenvolvidas com este novo emulsionante natural e demostraram ser totalmente estáveis, sendo avaliadas após serem armazenadas por um mês à temperatura de 50oC (Fig. 9). Fórmulas de FPS 50 também podem ser desenvolvidas com este emulsionante natural combinando filtros orgânicos e inorgânicos.

    Química e Derivados -



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *