Equipamentos e Máquinas Industriais

Tubos – Produção cresce, mas a importação também

Rose de Moraes
15 de março de 2012
    -(reset)+

    Revista Química e Derivados, Tubos da Schulz, aço inoxidável

    Tubos da Schulz: aço inoxidável e ligas especiais com costura

    Apesar de não ter viabilizado o projeto dos tubos sem costura no Brasil, o presidente regional da Schulz continua acreditando na importância de fazê-los e voltou a se dedicar a um novo projeto similar, especialmente para aplicações offshore, abrangendo um pacote tecnológico mais completo que reúne possibilidades para a fabricação local de tubos com ligas superduplex, bimetálicas, entre outras.

    Enquanto delineia o novo projeto, Bueno não esconde o entusiasmo por oferecer tubos com costura para os projetos já em andamento. “De forma pioneira, acabamos de fornecer para a Refinaria Abreu e Lima (Rnest) tubos fabricados com ligas superduplex para a instalação da primeira dutovia metálica do Brasil para transportar ácido sulfúrico da refinaria até o porto de Suape-PE”, informou. Integrada por tubos fabricados pela Schulz, totalmente executados no Brasil e revestidos com polietileno, a dutovia terá extensão total de 8.500 metros.

    A Rnest foi projetada com capacidade para processar 230 mil barris/dia de petróleo. Contando com previsão de inauguração da primeira etapa em 2013, a Rnest poderá se tornar referência para o setor, até mesmo por permitir maior autonomia ao país na produção de derivados de petróleo.

    “Temos vários projetos que podem ser viabilizados no Brasil, mas precisamos contar com maiores definições acerca da demanda a ser atendida, para dar cobertura à sua consecução”, afirmou Bueno.

    Paredes mais espessas – Novos tubos de aço-carbono com costura também estão recebendo inovações para atender às novas aplicações e projetos de expansão no setor petrolífero. Concebidos e projetados pela TenarisConfab, um dos nascituros ao pré-sal são os novos tubos para escoamento e transporte, também conhecidos como tubos de exportação (UOE-SAW L). Confeccionados com aço-carbono com costura e com paredes mais espessas (40 mm), os primeiros lotes deverão sair da fábrica de Pindamonhangaba-SP ainda em dezembro deste ano.

    Inéditos na produção mundial da empresa, até então reconhecida na fabricação de tubos para transporte e escoamento de fluidos e gases com espessuras de parede até 32 mm, os novos tubos, desenvolvidos para suportar pressões em profundidades acima de 3 mil metros, terão a garantia de não colapsarem e deverão contar com a capacidade nominal já instalada na fábrica, de 400 mil toneladas/ano, pelo menos inicialmente.

    “A Petrobras já opera em lâminas d’água de 2.300 metros e precisávamos canalizar nossos esforços de pesquisa e desenvolvimento também para a construção de tubos que suportassem, com boa margem de segurança, pressões mais elevadas, em águas ultraprofundas”, comentou Luis Chad, gerente de engenharia de produto da TenarisConfab.

    Para extrair óleo, a grande aposta da empresa se dirige aos tubos de aço-carbono com costura, associados às conexões também em aço-carbono da linha premium, denominadas Tenaris Hydril. “Os produtos Hydril são especialmente destinados a operações de perfuração de poços de petróleo e gás. Para operações de perfuração offshore, high pressure e high temperature, foi desenvolvida a linha Blue Series, que já se firmou como a mais avançada em conexões premium no mercado. Ainda destaco a tecnologia Dopeless, que, com revestimento seco e multicamada, descarta a utilização de graxa para as conexões, reduzindo os riscos em operações de perfuração mais complexas, como as realizadas em ambientes offshore. Já as conexões Wedge Series 500 são direcionadas às atividades em que a alta resistência ao torque é fundamental. Elas fornecem compressão superior e resistência à flexão, para aplicações tais como poços altamente desviados e colunas que devem ser movimentadas”, acrescentou Chad. Para atender à demanda do pré-sal, a empresa tem a preocupação de fabricar com conteúdo nacional conexões especiais que possam apoiar os atuais e futuros projetos.

    Com produção local apenas focada em tubos de aço-carbono com costura, a empresa mantém fora do país a produção de tubos sem costura, como na Argentina, México, Itália, Romênia, Canadá e no Japão, em Tóquio, onde também fabrica tubos com ligas especiais, como cromo.

    De acordo com avaliação técnica da empresa, a resistência dos tubos à corrosão ácida é um dos aspectos mais importantes e que estão sendo previstos nos novos projetos em desenvolvimento pela TenarisConfab. Para as atividades de produção/extração, a empresa também está apta a fornecer, em parceria com a americana Wyman-Gordon, tubos de aço inoxidável, fabricados com ligas ultrarresistentes à corrosão, segundo informou Chad.

    “Em ambos os casos , o desafio de vencer a corrosão é grande e, por isso, nos dedicamos a um projeto especial para o desenvolvimento de tubos de aço-carbono, confeccionados com ligas especiais, e que apresentam resistência a ácidos (souer-service), como ao ácido sulfídrico, um atributo essencial às instalações em linhas de produção de óleo.

    Só nos últimos três anos, mais de 150 mil toneladas de tubos resistentes à corrosão fabricados em Pindamonhangaba- SP, segundo calculou Chad, já foram fornecidos para instalações de gasodutos offshore.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *