Acidentes no transporte químico diminuem

Redução do número de acidentes comprova amadurecimento do setor

Nos últimos 15 anos, houve uma queda de quase 60% no número de acidentes no transporte químico no Brasil, segundo dados da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim). Não por acaso, os indicadores de desempenho do Sistema de Avaliação de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade (Sassmaq) demonstram melhoria em todos os itens monitorados, comparando o número e a gravidade de acidentes rodoviários, entre as empresas que adotam este tipo de gestão e as que não o possuem.

O foco da atuação do Sassmaq é a prevenção de acidentes, a partir da qual é avaliada a gestão da empresa nos temas de saúde, segurança e meio ambiente, equipamentos, planejamento das operações, segurança patrimonial e confidencialidade.

Há também a inspeção local por amostragem, o que envolve a capacitação dos condutores e o programa de manutenções dos veículos e equipamentos.

Dados de acidentes no transporte químico

No ano passado, o sistema realizou 474 avaliações, das quais 92% conseguiram aprovação. Até o último mês de maio, o sistema efetuou 195 avaliações, com 84% de aprovação.

Segundo Luiz Shizuo Harayashiki, gerente de Gestão Empresarial da Abiquim, esses dados demonstram o amadurecimento das companhias que transportam ou pretendem transportar produtos químicos.

Transporte Químico: Redução do número de acidentes comprova amadurecimento do setor ©QD Foto: Divulgação
Harayashi: Sassmaq beneficia indústria e transportadores

“O número de reprovados não é expressivo, pois normalmente as empresas, ao se interessarem pela certificação, preparam-se muito bem antes de se submeter à auditoria”, comenta.

Programa Sassmaq

O programa conta com 13 organismos de certificação, com cerca de 35 auditores e mais de 800 unidades avaliadas. A lista de verificação contempla aproximadamente 500 questões, divididas em seis capítulos, que podem ser pontuadas nas categorias Mandatória, Industriais e Desejáveis e nas dimensões de Saúde, Segurança, Meio Ambiente e Qualidade.

Não existe uma obrigatoriedade para o setor de transportes adotar o programa. No entanto, a indústria química é orientada a contratar as transportadoras certificadas. “O mercado foi extremamente receptivo ao Programa Sassmaq, adotando, incorporando e requerendo de seus fornecedores de serviços essa certificação”, afirma Harayashiki. Trata-se de um diferencial, que auxilia o contratante na qualificação do prestador de serviço. Segundo ele, a transportadora também se beneficia, pois uma única avaliação substitui a variedade de inspeções a que os prestadores de serviços de logística são tradicionalmente submetidos, sem, no entanto, tornar redundantes avaliações em itens específicos não contemplados no programa.

Leia mais:

O Sassmaq oferece um mecanismo para a avaliação de um sistema de gestão que orienta a organização para um processo de melhoria contínua, disponibilizando respostas diretas sobre os pontos fortes e fracos observados durante a auditoria. A avaliação é realizada por organismo independente e garante ainda um certificado de boas práticas, no qual pré-requisitos definidos pela indústria e pelo mercado vão orientar um relatório factual detalhado, representando a situação da companhia certificada naquele momento.

O sistema é submetido a revisões periódicas. No momento, aliás, está em desenvolvimento a 4ª edição do módulo rodoviário, prevista para ser lançada ainda neste ano, trazendo as inclusões das dimensões de sustentabilidade, ESG (ambiental, social e governança) e segurança. A validade da certificação, por sua vez, passará para três anos, com verificações anuais. A frota de veículos e equipamentos declarada no perfil estará também vinculada ao certificado e as unidades avaliáveis serão matriz, filial e base operacional. Além disso, os indicadores de desempenho das empresas serão mandatórios e haverá relacionamento dos requisitos com os ODS (Objetivos do Desenvolvimento Sustentável), da ONU.

A ideia de criar o Sassmaq surgiu há muitos anos. Com base no Programa Atuação Responsável – iniciativa voluntária da indústria química mundial, gerida no Brasil pela Abiquim, o Conselho Europeu da Federação da Indústria Química (Cefic) lançou, no início dos anos 1990, o programa Intervention in Chemical Transport Emergencies (ICE), voltado à melhoria de desempenho em segurança no transporte, armazenagem e manuseio de produtos químicos, modelo este adotado pelo Brasil e denominado Sassmaq.

Fonte: Abiquim

Veja Também:

Não deixe de consultar o Guia QD, maior plataforma eletrônica de compras e vendas do setor, com mais de 300 mil consultas mensais por produtos e mais de 400 anunciantes ativos. Nele você encontra diversas transportadoras de produtos químicos. Consulte ainda:

* Transportes marítimos
*
Transportes rodoviários
*
Sistemas de armazenagem, distribuição e transporte.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.