Logística, Transporte e Embalagens

Transporte e logística: Indústria química busca reduzir custos e melhorar operação terceirizando serviços integrados de transporte e logística

Quimica e Derivados
27 de março de 2005
    -(reset)+

    Química e Derivados: Transporte: A unidade da bayer em Belford Roxo - operadora faz centro de distribuição. ©QD Foto - Divulgação

    A unidade da bayer em Belford Roxo – operadora faz centro de distribuição.

    Foco na distribuição – A Ipiranga Química, distribuidora de produtos químicos do grupo Ipiranga, traçou como meta, em 2001, dobrar de tamanho até 2006. Para que isso acontecesse, expansão dos negócios existentes e a busca por produtos de maior valor agregado eram seus principais desafios. A empresa queria passar dos R$ 305 milhões faturados em 2001 para R$ 610 milhões em 2006, o que já será possível neste ano. “Mas sem uma infra-estrutura adequada, nada disso seria possível”, informa André Luiz Maynart de Lemos, gerente de suprimentos e logística da Ipiranga Química.

    Foi aí que entrou um novo centro de distribuição, que levou um ano para ser planejado e 14 meses para construção. Esse novo centro foi inaugurado em junho do ano passado em Guarulhos e absorveu R$ 42 milhões em investimentos. “No projeto, visamos a segurança operacional em meio ambiente, produção, qualidade de vida e redução de custo”, afirma Lemos. “Fizemos tudo isso para uso próprio e também para passar a oferecer serviços para clientes. Nós é quem somos os terceiros”, diz o executivo.

    Hoje, a empresa conta com quatro clientes – Basf, Lyondell, Ineos e Agripec – para quais oferece pacotes de serviços como embalagem, transporte, armazenagem, separação ou mistura de matéria-prima e entrega na linha de produção. “Trabalhamos com todos os modais de transporte – 80% de terrestre, 18% de marítimo e 2% de aéreo e cabotagem – terceirizados”, explica Lemos. Para o executivo da Ipiranga Química, a indústria química está preocupada nos processos “chaves”. “O ponto crucial é onde está o limite”, diz.

    Química e Derivados: Transporte: andre_ luis . ©QDO novo centro de distribuição de Guarulhos, no processo de armazenagem de embalados, quando completar um ano de operação, em julho, terá gerado uma redução de 13% de custo unitário em reais por toneladas. Com a oferta desse serviço para outros clientes, a redução chegará a 70% com o ganho de escala. “A tendência é que a distribuidora se especialize cada vez mais e, para isso, prevemos para este ano um aporte de R$ 21 milhões na ampliação do centro de distribuição e em tecnologia da informação”, justifica Lemos, da Ipiranga Química.

    Especialização e experiência – Com 54 anos de existência e destes, 40 dedicados ao transporte de produtos químicos, o grupo Gafor é hoje um operador logístico que tem mais de 50% de seu faturamento – em 2004 foram R$ 250 milhões – proveniente da indústria química. “A Gafor desenha soluções logísticas para cada cliente, com desenvolvimento específico de equipamentos. Gerenciamos o estoque, armazenagem e a entrega dos produtos de nossos clientes”, diz Silvio Fagundes, sócio-diretor da Gafor Distribuidora.

    A Gafor, inclusive, se prepara para fazer a movimentação interna da fábrica de um cliente. Sem mencionar seu nome, Fagundes afirma apenas que se trata de um projeto onde a Gafor ficará responsável pela embalagem em tambor do material que sai da linha de produção

    Química e Derivados: Transporte: Fagundes - gafor se especializou na máquina. ©QD Foto - Paulo Igarashi

    Fagundes – gafor se especializou na máquina.

    Com a especialização na área química, o grupo Gafor acabou desenvolvendo algumas particularidades para essa indústria. Dos mil veículos próprios que compõem sua frota, a empresa tem 65% dela dedicada a atender a indústria química e ainda um terminal ferroviário em Guaratinguetá-SP. A renovação de frota para a indústria química acontece a cada três anos.

    “Do ponto de vista econômico, três anos é o ideal para a troca de veículo por causa de seu desgaste. Muitos dos produtos transportados para a indústria química são perigosos e os veículos têm que estar em perfeita condições de uso”, informa o executivo da Gafor Distribuidora. Fagundes diz ainda que a empresa participa do desenvolvimento da carreta de seus caminhões. A empresa tem 20 filiais espalhadas pelo Brasil, sendo que as unidades de Cubatão, Paulínia, Mogi Guaçu, São José dos Campos e Guaratinguetá – todas no Estado de São Paulo – são dedicadas a produtos químicos e petroquímicos.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *