Tintas: Perspectivas 2009 – Indústria prevê ano fraco, mas tenta se animar com medidas de estímulo a montadoras e construtoras

No segmento de tintas para manutenção industrial, o consumo mundial em 2007 foi de 374 milhões de galões e a previsão (antes da crise) para 2012 era de 550 milhões de galões. As Américas respondem por 10% do consumo mundial e o Brasil, em 2007, consumiu 5,9 milhões de galões, com a projeção de crescimento, como dito pela Abrafati, de 1% em 2009. Entre as perspectivas positivas para o segmento, Pitta relacionou a construção de novas refinarias de petróleo no Maranhão e no Ceará, a construção do parque industrial e de refino em Suape-PE, os investimentos nas hidrelétricas de Jirau, no Rio Madeira, e Santo Antônio, a expansão do parque eólico e a ampliação da produção de biodiesel.

Pitta também mencionou investimentos em aumento de capacidades na produção de açúcar e álcool, papel e celulose, siderurgia e mineração. Segmentos que, após sua palestra no Fórum Abrafati, informaram cancelamentos e postergações de investimentos. Como alertou o próprio Pitta: “O andamento e a confirmação de algumas das iniciativas estão vinculados à continuidade de investimentos governamentais em infraestrutura, disponibilidade de créditos, preço das commodities e reação do mercado global.” De fato, todas as previsões em relação a 2009 estão cercadas de inúmeras condicionantes.

Página anterior 1 2 3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios