Tintas e Revestimentos

Tintas: O setor de tintas e a sustentabilidade – Abrafati

Quimica e Derivados
18 de janeiro de 2019
    -(reset)+

     

    Química e Derivados, Abrafati 2019: Impulsionando o crescimento do setor de tintasQuímica e Derivados, O setor de tintas e a sustentabilidade

    Ocupando nos últimos tempos espaço privilegiado na agenda da cadeia de tintas, a sustentabilidade tornou-se um dos principais motores da sua busca contínua por inovação tecnológica. Ao mesmo tempo, o setor assumiu um forte compromisso com o desenvolvimento setorial sustentável.

    O resultado do trabalho nessa direção, realizado pelos fabricantes e seus fornecedores, são soluções cada vez mais avançadas do ponto de vista ambiental, tanto em termos de produtos, quanto de matérias-primas, processos produtivos, transporte, aplicação e disposição de resíduos. Tudo isso sempre priorizando a atuação responsável (respeito ao meio ambiente, à segurança e à saúde ocupacional), o atendimento dos interesses da sociedade, o cumprimento da legislação, a manutenção de uma postura ética, o uso racional dos recursos naturais, a melhoria da qualidade de vida e a viabilidade econômica do negócio.

    De maneira geral, as características das tintas são cada vez mais ambientalmente amigáveis. Um exemplo é o fato de que, hoje, quase 90% das tintas imobiliárias são à base de água – o que diminui muito o uso de solventes orgânicos no produto, trazendo ganhos ambientais por reduzir a emissão de VOCs (compostos orgânicos voláteis).

    Juntamente com conquistas como essa, diversas outras iniciativas vêm sendo desenvolvidas pela indústria de tintas e seus fornecedores com foco na sustentabilidade. É o caso do investimento significativo e contínuo em técnicas e desenvolvimentos que permitem ter produtos com impacto ambiental minimizado, envolvendo a redução do uso de matérias-primas, energia e água, a produção mais eficiente com geração de menos resíduos, a prevenção da poluição e outros. O gerenciamento adequado de resíduos e embalagens pós-consumo é mais uma das prioridades do setor.

    Para que a indústria de tintas siga avançando no rumo da sustentabilidade, a ABRAFATI tem como um dos pilares de sua atuação o incentivo à circulação de conhecimentos e das melhores práticas associadas a esse tema. Nesse sentido, uma importante contribuição é trazida pelo Congresso Internacional de Tintas – cuja 16ª edição será parte da ABRAFATI 2019, no início de outubro do próximo ano –, que tem a sustentabilidade como um de seus grandes guarda-chuvas. Ali, especialistas de todo o mundo, ligados à indústria e ao meio acadêmico, compartilham seus estudos e pesquisas, assim como inovações que estão chegando ao mercado, possibilitando ter uma visão abrangente do que existe de mais inovador e sustentável em termos de matérias-primas, formulação, aplicação de tecnologias, incremento de performance, funcionalidades e muitos outros aspectos.

    Além do trabalho realizado intramuros pela cadeia produtiva, para minimizar impactos e oferecer produtos com características mais avançadas do ponto de vista da sustentabilidade, há um outro aspecto que merece ser ressaltado: o papel muito relevante, do ponto de vista da sustentabilidade, desempenhado pelas tintas. Afinal, elas proporcionam proteção às mais diferentes superfícies onde são aplicadas, contribuindo para evitar a sua deterioração. Em peças de madeira, por exemplo, a durabilidade proporcionada pela pintura evita o corte de novas árvores e todo o gasto de energia e outros materiais necessários para a sua reposição. O mesmo vale para produtos feitos de aço, como automóveis ou navios.

    Química e Derivados, Abrafati 2019: Impulsionando o crescimento do setor de tintas

    Antonio Carlos de Oliveira é presidente-executivo da ABRAFATI – Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas

    Além disso, há outros benefícios trazidos pelo produto, em aplicações específicas. Por exemplo, certos tipos de tintas contribuem decisivamente para evitar danos ambientais originados por vazamentos e infiltrações, em plataformas de petróleo, tanques, dutos e outras instalações. Outras vão ainda além nessa mesma função, incorporando sensores que identificam esses possíveis vazamentos e infiltrações.

    A contínua evolução tecnológica da indústria de tintas traz importantes contribuições adicionais do ponto de vista da sustentabilidade. Um dos destaques nessa seara está nas tintas automotivas: hoje, usa-se quantidade menor de tinta por veículo, eliminando desperdícios no processo produtivo e, ao mesmo tempo, reduzindo o peso dos mesmos, o que tem como resultados a economia de combustível e a redução das emissões de CO2.

    A economia de energia que as tintas podem proporcionar, tanto com melhorias na luminosidade do ambiente como na redução do seu aquecimento, é outro exemplo positivo.

    Como essas, há numerosas outras contribuições das tintas à sustentabilidade. Podemos dizer, portanto, que a nossa indústria vem construindo – e ajudando a sociedade a trilhá-lo – um caminho consistente no rumo do desenvolvimento setorial sustentável.

    Texto: Antonio Carlos de Oliveira



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *