Fornecedores de pigmentos de efeito se preparam para a volta dos tempos dourados de vendas

 

Espalhados em vários segmentos da economia, os negócios com pigmentos de efeito experimentam, atualmente, diversas sensações: desde o aperto até uma certa expansão. A melhor notícia é que o futuro promete ser mais aprazível, embalado pelo crescimento de demanda e com novidades em termos de produtos.

Química e Derivados, Labecca: fabricante local vende em reais e atende com mais agilidade
Labecca: fabricante local vende em reais e atende com mais agilidade

“Estamos vivendo um tempo de grandes dificuldades”, resume Antonio Labecca Filho, gerente comercial da Aldoro Indústria de Pós e Pigmentos Metálicos Ltda. Referindo-se a “uma forte retração de mercado”, ele afirma que, com exceção das tintas para repintura automotiva,

“todas as outras linhas atendidas encolheram, sejam decorativas, industriais, protetivas, automotivas originais e plastic coating”. Apesar das adversidades, a cadeia do setor de tintas anseia que a história se repita com uma recuperação no segundo semestre deste ano.

Harry Heise, CEO da Forscher Indústria e Comércio de Produtos Químicos Ltda., avalia que os pigmentos perolados têm um consumo mais estável, mas a tendência é registrar uma queda em volume ao redor de 20% este ano, em relação ao apurado no ano passado.

Química e Derivados, Heise oferece ampla gama de efeitos, até os termocrômicos
Heise oferece ampla gama de efeitos, até os termocrômicos

Os pigmentos de efeito fluorescente têm um comportamento diretamente proporcional à moda. “Quando as cores fluorescentes entram nas propostas de cores, principalmente do ramo têxtil, observamos um crescimento muito rápido, mas de curta duração. O mesmo ocorre com os pigmentos termocrômicos e fotocrômicos. Normalmente, são utilizados em campanhas promocionais e têm um ciclo de consumo intermitente. Neste momento, os fotocrômicos estão em alta”, especialmente na área calçadista”, relata Heise.

Em direção oposta, Thalita Cristina Estima de Jesus, gerente de vendas da Merck, declara que o mercado registra “crescimento sólido ano após ano por um simples motivo: os pigmentos de efeito sempre estão presentes nos cosméticos. Algumas vezes de forma mais discreta, como nos produtos matte, ou mostrando todo o seu esplendor com os metalizados, de acordo com a tendência de cada estação”.

Na mesma linha, Cristine Lopes Camargo, gerente de vendas para as Américas do Sul e Central da Eckart Pigments, comenta que “a demanda por pigmentos de efeito tem sido crescente no Brasil, pois além de agregar valor aos produtos, o seu uso está mais diversificado, sendo utilizado em todo tipo de aplicação: tintas automotivas e industriais, tintas em pó e de impressão, plásticos, têxtil e outras”.

Química e Derivados, Cristine: novidades com função anticorrosiva e condutiva
Cristine: novidades com função anticorrosiva e condutiva

Também na contramão da crise, a coordenadora de marketing técnico da Basf, Agnes Boniolo Muciacito, informa que “houve uma demanda importante no mercado brasileiro e sul-americano em 2016, tanto que, no segmento automotivo, a empresa tem aumentado a sua participação”. No ano passado, a multinacional alemã unificou o negócio global de pigmentos na marca Colors & Effects, reunindo um amplo portfólio de pigmentos orgânicos, inorgânicos, híbridos e de efeito.

A empresa criou equipes que atendem exclusivamente cada área, em cinco indústrias-chave: tintas, plásticos, impressão, cosméticos e agricultura. “A prioridade é continuar sendo um fornecedor global confiável para os clientes, baseando-se em dois pontos fortes: expertise químico e um amplo portfólio de corantes e pigmentos de efeito de alta performance”, salienta Agnes.

Marcos Raicher, diretor da Colornet Comércio Exterior Ltda., também tem uma visão positiva da realidade: há “um franco crescimento” seguindo a tendência de que “as cores sempre vêm acompanhadas de efeitos metálicos e perolados, que conferem uma estética moderna e diferenciada em todas as aplicações”.

Química e Derivados, Agnes: Basf unificou suas atividades em pigmentos
Agnes: Basf unificou suas atividades em pigmentos

Projetando as atividades a médio e longo prazo, Labecca considera que a expectativa é favorável no Brasil. De qualquer maneira, ressalta que a Aldoro também tem “trabalhado forte no mercado externo, consolidando-se em alguns países e em pleno desenvolvimento em outros, o que fortalece a ideia de resultados positivos para o futuro”. A empresa exporta mais da metade do seu volume de produção.

O executivo chama a atenção para o fato de que a Aldoro é a única produtora de pigmentos metálicos no país (está instalada em Rio Claro-SP) e a meta é consolidar cada vez mais a posição, “com muita atenção e trabalho no atendimento aos clientes, atualização de produtos e desenvolvimento de novas opções, sempre com a premissa de melhoria contínua de produtos e processos”.

Heise calcula que, em 2017, haverá uma nova retração no consumo, embora menor do que em 2016: “A médio e longo prazo, a tendência é de crescimento de efeitos nos produtos ao consumidor. Com isso, a demanda por pigmentos será grande. A Forscher está preparada para atender essa demanda futura, mediante parcerias estratégicas e oferta de produtos de alta qualidade”, acrescenta.

Química e Derivados, Thalita: cosméticos sustentam avanço constante das vendas
Thalita: cosméticos sustentam avanço constante das vendas

Na sua definição, a Forscher é um pequeno player no segmento de pigmentos de efeito. Mas, a participação é crescente ano após ano. “Em termos de valor, somos atualmente o quarto maior importador de pigmentos no Brasil. Os pigmentos de efeito já representam 32% do faturamento da empresa. Há 3 anos, era 23%. A meta para 2017 é atingir 35% do faturamento, chegando a 50% até 2020”, revela.

Carlos Fernando de Abreu, CEO da Colormix Especialidades, espera que o mercado de tintas e vernizes volte a crescer este ano. Grande parte da demanda depende da recuperação dos mercados automotivo e industrial. Por outro lado, ele pondera que “a procura por diferenciação por parte dos clientes”, coloca a empresa em posição de destaque, “pois possui um excelente portfólio de efeitos, com suporte técnico da equipe local e representadas”. Além de ter importantes marcas globais de pigmentos, Colormix conta ainda com a sinergia da representação dos Aditivos BYK no Brasil.

Agnes e Thalita também olham 2017 com otimismo. “A expectativa é que o mercado se recupere, possa gerar mais empregos retomando o crescimento das indústrias”, diz a executiva da Basf. “Com a melhora do cenário econômico do país, a previsão é de aquecimento do mercado cosmético e também dos pigmentos que tornam essa categoria tão brilhante, no sentido literal da palavra”, observa a representante da Merck.

Raicher engrossa a fila da esperança: “2017 será o ano da recuperação. A nossa estratégia é prover o melhor serviço aos clientes, conquistar novos em novas regiões e promover efeitos diferenciados”.

Tendências – Em função das incertezas econômicas, Labecca sinaliza que, talvez, a indústria automobilística tente promover novos modelos ou atualizações e divulgue cores metálicas diferenciadas ou de tons terrosos, embora, na prática, o consumidor brasileiro tenha um perfil conservador (as cores metálicas prata e cinza seguem estáveis).

Os segmentos de tintas decorativas, industriais e protetivas devem seguir com a sua importância nos negócios de pigmentos metálicos.

Já para os pigmentos de alumínio non-leafing de alta performance, Labecca expõe que o segmento de repintura automotiva segue como o mais relevante, mas o de tintas industriais tem intensificado alguns negócios devido à demanda por efeitos metálicos mais qualificados em substituição aos de nível standard.

Para as purpurinas, que geram efeitos dourados, os contratos no âmbito de tintas decorativas estão em bom nível desde 2016 e acredita-se que se manterão neste ano. A Aldoro verifica que, nos últimos anos, houve um crescimento contínuo do uso de pigmentos metálicos para plásticos, embora os volumes sejam relativamente baixos quando comparados aos usados em tintas.

Para Abreu, a indústria automotiva busca, cada vez mais, soluções de efeito de maior espectro, ou seja, de tons metálicos claros até os mais escuros, em função do tamanho de partícula, não só no substrato metálico como nos plásticos. Estes acabamentos estão cada vez mais presentes nos carros, seja para reduzir custos ou agregar luxo. Aplicações que reproduzem acabamentos similares ao aço inox ou aos espelhos, têm sido cada vez mais procuradas como alternativa pelos designers.

Na opinião de Heise, o uso de pigmentos perolados “continua forte” no setor automotivo, mas, obviamente, está sendo afetado pela baixa produção industrial. Em plásticos, os perolados, sempre presentes, têm o seu “consumo regular”. Existe “uma procura crescente por termocrômicos e fotocrômicos, desde, principalmente, o final de 2016 e o início de 2017, muito focado em campanhas promocionais”.

Cristine concorda que os cinzas metálicos e as pratas são ainda líderes no Brasil, se comparados às demais cores de efeito, como o dourado, cobre, bronze e perolados: “Para atender a esta demanda, a Eckart oferece uma vasta gama de pigmentos lamelares e esféricos, com características desde mais claras e brilhantes até os metálicos mais escuros – como o Liquid Black. Os pigmentos Metalure, que remetem ao efeito espelho, também têm muita procura, pois imitam o aço e o efeito cromado, com um brilho espetacular”.

Raicher recorda que pelo menos 70% da frota de veículos nacional tem algum efeito metálico e perolado. “A cor prata está entre as três mais populares (junto com branco e preto). A mesma tendência se observa em eletrônicos, plásticos, embalagens e cosméticos (esmalte de unha, por exemplo). Mesmo em tempos de crise, o mercado procura diferenciação. Uma embalagem com cores e efeitos vibrantes na prateleira do supermercado atrai mais o consumidor do que outras mais apagadas. Um automóvel com cores metálicas ou perolados tem maior valorização de mercado”, conceitua.

A Merck apresenta ao mercado cosmético, duas vezes por ano, a ferramenta Color Forecast, que é feita em parceria com a agência francesa Nelly Rodi. “Para o próximo inverno, a tendência é que os pigmentos de efeito voltem mostrando todo o seu esplendor com uma paleta que vai do vermelho flamboyant, bordô, verdegris (verde acinzentado) ao azul petróleo, finalizando com a preciosidade do dourado em subtons avermelhados”, destaca Thalita.

As origens – A China é o maior exportador de pigmentos perolados, fluorescentes e fosforescentes.

Os pigmentos termocrômicos e fotocrômicos vêm, predominantemente, da Europa e do Japão. A Índia ainda é inexpressiva nesse segmento de mercado, conta Heise.

Embora haja uma tendência de o Brasil ser importador de matérias-primas para a área de tintas, sobretudo da Índia e da China, Labecca sublinha que a Aldoro “segue firme trabalhando” e ressaltando as vantagens de ser um exclusivo fabricante nacional de pigmentos metálicos, capaz de oferecer preços em moeda local, flexibilidade e agilidade de entrega, e rápida resposta na recomposição de estoque, entre outras vantagens.

Abreu indica que a Colormix representa a alemã Eckart, maior fabricante de pigmentos metálicos e de efeito do mundo: “Nosso portfólio conta também com pérolas naturais da Ruicheng, renomada fornecedora asiática, para mercados industriais, automotivos, cosméticos e gráfico”.

Agnes enfatiza que a Basf tem uma ampla carteira de produtos em diversos substratos, como mica, mica sintética, borosilicato e alumínio. “A companhia segue rigidamente as normas mundiais ambientais e tem produtos baseados em matérias-primas de sua própria mina para extração de mica (em Hartwell, EUA), zelando pela sustentabilidade da cadeia produtiva. A Basf opera 13 sites de produção de pigmentos localizados na China, França, Alemanha, Coréia, Holanda, Suíça e Estados Unidos”.

Thalita salienta que, cada vez mais, o consumidor final está ciente de que os produtos cosméticos são críticos por dois aspectos: segurança e origem. O consumidor entende que áreas sensíveis como olhos e lábios devem receber produtos com baixo teor de metais pesados, devido ao risco à saúde.

Ela percebe que os consumidores se questionam cada vez mais se o pigmento faz parte de uma cadeia sustentável que preserva não apenas o meio ambiente, mas o ser humano que extrai esse material. “Nos pigmentos de efeito Merck, esses dois pré-requisitos são preenchidos para garantir um produto de altíssima qualidade”, pontifica.

A Colornet é distribuidora da Silberline, dos Estados Unidos, “um dos maiores fabricantes mundiais de pigmentos metálicos, com grande participação nos mercados automotivo, industrial, plásticos, tintas de impressão e cosméticos”. Também é, conforme Raicher, distribuidora de perolados da CQV, da Coréia do Sul, e comercializa perolizados da chinesa Rika para a áreas de plásticos e industrial.

Química e Derivados, Novidade do ECS, Paliocrom BR EH 1000 é um alumínio de tom vermelho
Novidade do ECS, Paliocrom BR EH 1000 é um alumínio de tom vermelho

Novidades

A Basf vai, de acordo com Agnes, lançar no European Coatings Show, de 4 a 6 de abril, em Nürnberg, Alemanha, o pigmento Paliocrom Brilliant Red EH 1000 (L 3254) e exibir na Global Color Presentation uma nova seleção de cores para os mercados de tintas automotivas e industriais. A marca Colors & Effects também irá realizar 24 painéis mostrando essas cores. Em destaque: tendências para 2017 e os próximos anos.

O Paliocrom apresenta “uma excelente cobertura e saturação completa de cor, garantindo uma ótima aparência em camadas finas de tinta”, descreve a coordenadora de marketing técnico. “A nova solução é um pigmento de alumínio do tipo silver dollar, de tom vermelho, extremamente saturado, que oferece uma distribuição uniforme, excelente brilho e um poder de cobertura inigualável. Isto é possível graças às pequenas partículas de alumínio ultramacias, que são revestidas em um processo otimizado e passivadas para proporcionar maior grau de adesão (menor possibilidade de formação de bolhas e descascamento)”.

O novo pigmento de efeito aumenta as opções de estilo para os clientes de tintas automotivas e industriais de alto desempenho. A Basf comemorou, recentemente, 25 anos de sua linha Paliocrom. Outro lançamento é o Lumina Royal Dragon Gold, o mais novo membro da família Lumina Royal, pigmentos de efeito altamente cromáticos.

Segundo a porta-voz, “este é um pigmento de efeito dourado esverdeado brilhante que oferece maior luminosidade e cintilância para stylings amarelos e verdes. Aumenta as possibilidades de tons com alta saturação para esse espaço de cores para os segmentos de embalagem, eletrônicos, aparelhos eletrodomésticos, artigos esportivos e outras aplicações especializadas. Oferece tons atraentes, especialmente quando combinados com pigmentos amarelos ou na redução do preto”.

A Eckart também estará no European Coating Show apresentando “diversos lançamentos de produto, desde perolados sintéticos com cores vivas e brilhantes, alumínios APEO-free para sistemas base água e solvente e novas tecnologias de pigmentos funcionais, como anticorrosivos e condutivos”, antecipa Cristine.

Ela adiciona que a Eckart constantemente apresenta inovações nas mais diferentes aplicações, para que possa avaliar estes efeitos em substratos diversos: “Como a gama de produtos é ampla, é importante ter estoque local das matérias-primas. Para isso, a Colormix, nossa parceira e distribuidora exclusiva no Brasil, cuida para que tenhamos todas as inovações e lançamentos disponíveis para o mercado brasileiro, que é muito ávido por novidades”.

Abreu complementa: “A Colormix apresentará inúmeras novidades envolvendo pigmentos metálicos e de efeito, com destaque para as cores vivas e brilhantes e os alumínios para sistema base água da Eckart Pigments. Nos primeiros dias de abril, teremos dois importantes momentos, onde o mercado poderá conhecer as novidades do setor: a Feiplastic, no Brasil, e o European Coating Show, na Alemanha”.

A Aldoro está, segundo Labecca, “tratando de consolidar produtos desenvolvidos especificamente para alguns clientes e de atingir a maturação de outros, lançados no mercado nos últimos anos. Entre eles, alguns pigmentos de alumínio da linha Stanlux Silver, tipos non-leafing de alta performance, como o extrafino Stanlux Silver 3901, recomendado para repintura automotiva e tintas industriais, além da sua indicação para can coating. Além disso, a empresa também possui novas opções de pigmentos de alumínio peletizados com cera de PE da linha Stanlux Pell para aplicação em masterbatches para plásticos. E outros desenvolvimentos estão em andamento”, avisa.

A tendência da Silberline, confessa Raicher, é apresentar efeitos cada vez mais brilhantes com menor tamanho de partícula para as áreas automotiva, plásticos, tintas de impressão e cosméticos: “A linha Starbrite dá um efeito espelhado na peça pintada e é largamente aplicada em rodas e embalagens, substituindo a metalização”. A CQV está “praticamente” entrando no mercado brasileiro com uma ampla variedade de pérolas com alta tecnologia, já aprovada por vários clientes globais.

Com uma visão generalista, Heise manifesta que “sempre existe lançamento de novos produtos de efeito, porém não há nada revolucionário, pelo menos que seja economicamente viável”. Ele julga que, “normalmente, o que se lança são produtos mais ecológicos, com efeito mais intenso, com maior solidez a solventes, químicos, luz e temperatura”.

A empresa dispõe de uma linha completa de pigmentos de efeito (perolados, fluorescentes, termocrômicos, fotocrômicos, glitters, fosforescentes, UV, NIR, difrativos, interferência, entre outros). Na linha de perolados, “oferece a mais completa gama de tipos, cores e efeitos (prata, ouro, bronze, interferência), com os mais variados substratos: mica natural, mica sintética e borossilicato”, explica Heise.

“Temos produtos para tintas automotivas, cosméticos, plásticos, tintas de impressão e têxtil, entre outros. Temos novidades como perolados revestidos de dióxido de titânio preto, cujas propriedades conferem maior intensidade de cor sem sangramento e sem a mistura de corantes. Na linha de fluorescentes, oferecemos 14 linhas diferentes, para todas as aplicações possíveis (tintas, cosméticos, plásticos, têxtil, papeis, etc). Os nossos produtos são isentos de formaldeído, o que permite a sua aplicação nos clientes que exigem essa característica”, frisa o especialista.

A Merck, que se afirma líder de mercado em inovação para pigmentos, está promovendo o conceito Smart Effects, uma combinação de efeitos de cores com benefícios adicionais que antes não existiam nessa categoria. Exemplo: todos os pigmentos lançados com esse conceito terão, além de sua cor única, um benefício extra, como textura agradável, que pode ser percebida no produto final.

Para esse ano, estão previstos lançamentos em novos substratos, como a alumina e novos pigmentos da categoria Smart Effects. “A Merck continua investindo nessa categoria para apresentar ao mercado diferentes cores e efeitos para encantar o consumidor final. Para 2017, estão previstos cinco novos lançamentos que prometem chacoalhar o mercado”, assevera Thalita.

Investimentos

Atualmente, os investimentos da Aldoro se concentram na melhoria contínua da capacitação dos seus colaboradores, equipamentos e processos. Além disso, a empresa aplica continuamente na qualidade de serviço e no atendimento aos clientes do mercado brasileiro, oferecendo suporte técnico e comercial.

Paralelamente, tem intensificado o apoio aos representantes e distribuidores internacionais com orientação técnica e “consistência na estratégia comercial”. Disponibiliza uma gama completa de pigmentos metálicos, incluindo as pastas de alumínio, alumínios lamelares em pó e purpurinas. Os produtos levam a marca Stanlux e estão divididos em linhas.

A Basf prossegue investindo em pesquisa e desenvolvimento, além de reunir especialistas e o portfólio para ajudar os clientes a continuar inovando. Conta com um laboratório de desenvolvimento e aplicação técnica de pigmentos, localizado em Guaratinguetá-SP. Agnes menciona que a Basf possui “uma grande variedade de pigmentos de efeito de altíssima performance com excelentes resistências”. Promovem efeito de branco mais branco, furta-cor, cores metálicas sem metal, perolados, entre outras possibilidades

O mercado cosmético brasileiro é sem dúvida uma das prioridades da Merck para os próximos anos. “Para garantir que sejamos capazes de atender às demandas do mercado, estamos investindo na ampliação do laboratório de aplicação técnica para que tenhamos ainda mais autonomia para a tropicalização de fórmulas e a criação de produtos voltados para as necessidades da pele brasileira”, apregoa Thalita.

Abreu realça que, além dos investimentos necessários para a manutenção de estoques dos seus produtos, a Colormix seguirá, em 2017, com os programas de educação e desenvolvimento da equipe. Através da Eckart, oferece aos mercados de tintas industriais e gráficas uma linha completa de pigmentos metálicos, perolados sintéticos e pigmentos de ouro e bronze. O portfólio reúne diversas marcas.

A Colornet tem plano de investir em novos armazéns e em equipamentos de laboratório e ampliar o corpo técnico e comercial. Atualmente, a Forscher não prevê investimentos adicionais na área.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios