Tintas e Revestimentos

Tintas e Revestimentos: Cargas e aditivos evoluem

Hamilton Almeida
31 de agosto de 2019
    -(reset)+

    Química e Derivados - Cargas e aditivos evoluem e agregam qualidade e vários benefícios aos produtos finais

    Cargas e aditivos evoluem e agregam qualidade e vários benefícios aos produtos finais

    Química e Derivados - Karina: foco direcionado para aditivos que geram diferenciais

    Karina: foco direcionado para aditivos que geram diferenciais

    O ramo de aditivos e cargas para tintas navega em meio a um cenário econômico sinuoso, em que a necessidade de redução de custos impõe limites e inspira soluções. O futuro, pelo menos, parece mais estimulante, com a esperada reativação da economia nacional. O desafio é chegar até lá.

    “Houve queda da demanda por tintas no Brasil nos últimos anos em razão da conjuntura política e econômica”, afirma Karina M. Zanetti, assistente técnica sênior da Miracema-Nuodex. Apesar da conjuntura “não muito otimista”, ela frisa que a empresa apresentou resultados positivos e, inclusive, aumento nos volumes de venda dos aditivos este ano, quando comparado ao mesmo período de 2018: “Isso se deve principalmente ao fato de termos assumido o fornecimento de novas contas, que não estavam em nossa relação de clientes ativos”.

    “Com o comportamento mais conservador de alguns mercados, houve menor consumo desses itens, principalmente no comércio de tintas base d´água. Para o segmento de tintas base solvente, houve melhores resultados, principalmente motivados pela tímida recuperação do segmento automotivo”, observa Alexandre Monteiro, gerente comercial da Colormix Especialidades.

    Química e Derivados - Selena: investimento na equipe técnica e portfólio é constante

    Selena: investimento na equipe técnica e portfólio é constante

    Selena Mendonça, gerente de negócios da Metachem, avalia que o ano de 2019 está apontando um crescimento bastante modesto para as tintas, em relação ao ano anterior, com reflexos diretos no consumo de aditivos e cargas: “Tomando como referência os anos anteriores a 2014, identificamos que este setor deverá ter desempenho inferior”.

    A percepção na Aromat, que tem atuação mais forte em aditivos do que em cargas, é de que os negócios estão se comportando em 2019 de maneira muito parecida com a do ano passado. “Os volumes não decolaram e as vendas estão em patamares semelhantes”, opina Fernando Ribeiro Santa Rosa, gerente técnico.

    Fabrício Rodrigues, gerente de vendas de tintas e revestimentos para a América do Sul da Imerys, pensa que o consumo de aditivos minerais “vem se mantendo estável. Outro fator de grande impacto é a influência indireta das linhas de menor PVC [conteúdo de sólidos por volume], que em geral utilizam menor quantidade de aditivos minerais por volume. A mudança de hábito do consumidor, que através da tecnologia está mais crítico e atento às regulamentações e à qualidade do produto final, tem trazido como consequência maior exigência funcional para os aditivos minerais, o que tem potencializado as nossas soluções de performance”.

    Química e Derivados - Viviane: objetivo é se tornar uma one stop shop para tintas

    Viviane: objetivo é se tornar uma one stop shop para tintas

    “Em momentos de crise, há interesse por cargas de alto desempenho que proporcionem melhor custo-benefício na produção de tintas, seja na redução do preço total da formulação, ou que melhorem o resulado do produto final, agregando valor”, pondera Viviane Gandelman, diretora de negócios & supply chain da Dinaco.

    Alexandre aponta que “o mercado nacional está em busca de aditivos mais eficientes e com melhor custo-benefício. E que os produtos ecologicamente corretos e autossustentáveis estão tendo grande procura. Além disso, o fornecedor precisa estar comprometido na garantia de um produto estável e com qualidade, para evitar qualquer problema na formulação final. A utilização de algumas cargas funcionais tem grande apelo para produtos mais nobres e que necessitam de maior resistência química ou física”, acrescenta o executivo.

    Karina corrobora: “As maiores demandas são por produtos que agreguem valor à tinta e, se possível, tragam redução no custo do produto final”. Selena sintetiza: “Um dos requisitos nessa procura são soluções que possam levar a menores gastos com energia e à aceleração no processo produtivo”.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *