Tintas – Abrafati 2015 impulsiona o desenvolvimento tecnológico e crescimento

Química e Derivados, Abrafati 2015 impulsiona o desenvolvimento tecnológico e o crescimento do mercado de tintas
Soluções inovadoras e sustentáveis que acabam de chegar ao mercado e caminhos que se abrem para as tintas do futuro são os destaques do evento

A Abrafati – Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas conduz uma série de programas e ações que têm por objetivo a busca do desenvolvimento setorial sustentável. Essas iniciativas desempenham papel chave na construção do futuro da cadeia de tintas, que evolui e se renova continuamente. Ao mesmo tempo, representam uma significativa contribuição para o desenvolvimento econômico e social do Brasil. Em uma série de artigos, a associação apresentará um resumo dos avanços dos últimos 30 anos e do que está por vir, relacionados a temas essenciais como o desenvolvimento tecnológico, a sustentabilidade, a melhoria da qualidade e a competividade. Nesta edição, o tema é o principal evento do setor, realizado a cada dois anos, que é responsável por manter a indústria de tintas tecnologicamente atualizada e economicamente forte.

Química e Derivados, Abrafati 2015 impulsiona o desenvolvimento tecnológico e o crescimento do mercado de tintas
Reconhecida hoje como o mais importante evento do setor de tintas na América Latina e um dos principais no mundo, a Abrafati 2015 – que reúne o Congresso Internacional de Tintas e a Exposição Internacional de Fornecedores para Tintas – foi idealizada como um ponto de encontro do setor, com foco na disseminação de conhecimentos, no debate de caminhos e tendências, no estímulo à inovação e na abertura de oportunidades de negócios.

O incentivo ao desenvolvimento tecnológico e ao crescimento do setor foi a motivação para a criação do evento e se mantém até hoje como a base para a sua constante evolução. Comprovando essa afirmação, pode-se ler em um texto do início dos anos 1990 que resumia os objetivos do congresso: “Com esta vasta gama de trabalhos técnicos envolvendo o assunto tintas, acreditamos que a Abrafati poderá contribuir substancialmente para a difusão de ideias que, levadas pelos congressistas às suas respectivas empresas, poderão ser o embrião de desenvolvimentos relevantes nas mais diversas áreas”. A descrição segue atual, com um congresso com nível técnico cada vez mais elevado, que contribui decisivamente para a atualização tecnológica da indústria, a discussão de novas vertentes para a pesquisa e a incorporação dos princípios da sustentabilidade no ambiente empresarial.

Na 14ª edição do Congresso Internacional de Tintas e da Exposição Internacional de Fornecedores para Tintas, que ocorrem de 13 a 15 de outubro deste ano, estarão reunidos as empresas e os profissionais de maior destaque no setor. É a ocasião ideal para conhecer, apresentar e discutir as soluções para as demandas futuras da cadeia de tintas. O foco principal das inovações mostradas na exposição e dos estudos apresentados no congresso será a sustentabilidade, que hoje direciona a pesquisa e o desenvolvimento tecnológico do setor.

A programação de alto nível do congresso representa uma oportunidade de atualização e intercâmbio de informações essencial para os profissionais da cadeia de tintas. O variado e rico conteúdo apresentado permitirá entender as tendências e visualizar as inovações que começam a ditar os rumos da indústria de tintas, configurando-se como uma oportunidade única de conhecer os caminhos que levarão à tinta do futuro.

Nesta edição, uma importante melhoria foi introduzida: o aumento em 25% do número de trabalhos apresentados oralmente, que passaram de 72 para 90.

“A elevada qualidade dos trabalhos submetidos à avaliação levou à decisão de aumentar o número de palestras. Seria uma pena deixar de fora estudos que agregam conhecimentos importantes e abrem novas perspectivas para a evolução tecnológica”, explica Gisele Bonfim, gerente técnica e de Assuntos Ambientais da Abrafati, também coordenadora do Comitê Científico do Congresso, ao lado de Jorge Fazenda.

A divisão das palestras nos seis auditórios seguirá uma lógica temática, aperfeiçoando a sistemática que já foi utilizada na edição anterior, de modo a facilitar a montagem da agenda de cada congressista. Os nomes escolhidos para os auditórios indicam claramente o teor dos trabalhos a serem apresentados em cada um deles: Resina e Emulsão, Pigmento, Aditivo, Tinta, Revestimento, Meio Ambiente.

Além das 90 palestras, cerca de 40 trabalhos estarão na Sessão Pôster, complementando e enriquecendo a programação, tanto com o conteúdo adicional exposto, quanto com a possibilidade de interação com os autores proporcionada por essa modalidade.

Qualidade assegurada – A seleção dos trabalhos foi feita pelo Comitê Científico, formado por especialistas de reconhecida competência da indústria, que os avaliaram do ponto de vista da relevância, da inovação e da contribuição trazida à evolução das tintas, com parecer amplamente favorável.

“Recebemos trabalhos de excelente qualidade e bem variados, abrangendo diversas tecnologias que serão úteis para os profissionais de toda a cadeia de tintas. Dentre eles, destaco estudos científicos envolvendo matérias-primas, embalagens, ciclo de vida de produtos e novos conceitos de tinta”, afirma Celdia Bittencourt Guedes Lizardo, membro do comitê e gerente sênior da Basf – Divisão Tintas Imobiliárias Suvinil.

Outro aspecto que chama a atenção é a abrangência do Congresso, tanto em termos de temas quanto de perfil e origem dos autores. “São trabalhos vindos de diversas partes do mundo, contando com o envolvimento de diversas áreas: fabricantes de tintas, fornecedores de matérias-primas e insumos, assim como universidades”, salienta Celdia Bittencourt. “No conjunto dos trabalhos avaliados, atraíram a minha atenção, por seu caráter inovador, aqueles relacionados ao efeito self healing e também à sustentabilidade”, acrescenta William Saraiva, gerente de produto da Lukscolor, outro participante do Comitê Científico do Congresso.

Nesta edição, cresceu significativamente a participação de pesquisadores acadêmicos entre os autores de trabalhos. O fato é extremamente positivo, indicando uma aproximação maior entre universidades e indústrias e ampliando o caráter científico do Congresso. “Vejo com muito bons olhos essa tendência. É enriquecedora a presença de alguém que não esteja relacionado com o dia a dia de uma indústria, ‘pensando fora da caixa’. Com a participação desses pesquisadores e eventuais intercâmbios entre eles e as empresas, com certeza o setor de tintas terá muito a ganhar”, afirma Maria Cristina Kobal Campos de Carvalho, diretora de Inovação e Tecnologia da Renner Sayerlack, que também faz parte do Comitê Científico.

Especialistas vindos de todas as partes do planeta mostrarão aquilo que existe de mais inovador e sustentável em termos de matérias-primas, formulação, aplicação de tecnologias, incremento de performance, funcionalidades e outros aspectos.

O grande guarda-chuva sob o qual estão reunidas as palestras é a sustentabilidade, que hoje ocupa posição central na estratégia das empresas do setor, refletindo-se no trabalho desenvolvido nos seus laboratórios e instalações. “A pesquisa está sendo direcionada pelos três aspectos envolvidos no conceito de sustentabilidade – ambiental, econômico e social –, de forma articulada. Por exemplo, as condições de escassez de água, energia e recursos naturais em geral têm reflexos nesses três campos e os estudos que vêm sendo conduzidos por especialistas estão atentos a todos eles. Questões como essas estarão em grande evidência no congresso”, ressalta Gisele Bonfim.

Essa visão é corroborada por Maria Cristina de Carvalho, que considera a saúde do planeta como a preocupação do momento. “Por isso, a sustentabilidade está realmente influenciando e, de fato, direcionando as recentes pesquisas, tanto nas instituições voltadas especificamente para essa atividade, como também nas indústrias. Em função disso, muitos são os trabalhos com foco nessa área e, entre eles, os temas que mais me chamaram a atenção foram os ligados ao aproveitamento de rejeitos, ou seja, reciclagem de resíduos. Merecem destaque também os estudos com ênfase em ciclo de vida dos produtos, baixo teor de VOCs (compostos orgânicos voláteis) e até mesmo relacionados com legislações e regulamentações mundiais para preservação do meio ambiente”, destaca.

Com a breve descrição da programação e do seu perfil geral, é possível afirmar que esta edição do Congresso trará, mais uma vez, uma contribuição muito valiosa para o desenvolvimento científico e tecnológico da cadeia de tintas no Brasil.

“A presença dos especialistas que apresentarão os trabalhos, dos mais de mil congressistas que assistirão às palestras e de milhares de profissionais qualificados que circularão pelo evento proporcionam condições ideais para a disseminação de conhecimentos, o compartilhamento e o debate de soluções inovadoras, levando à evolução do setor”, resume Dilson Ferreira, presidente-executivo da Abrafati.

Enquanto no congresso os principais especialistas internacionais compartilharão com o público seus estudos e pesquisas, na exposição poderão ser vistas as suas aplicações na prática, em lançamentos que contribuem para uma nova etapa da história do setor.

As dimensões do mercado brasileiro, que é hoje o 5º maior do mundo em volume – atrás apenas de Estados Unidos, China, Índia e Alemanha –, mobilizaram os principais players do setor, que mostrarão, em mais de 250 estandes, o que têm de melhor a oferecer aos fabricantes de tintas.

Da mesma forma, as perspectivas futuras de crescimento do consumo de tintas no País atraem as empresas, que enxergam excelentes oportunidades em um mercado com mais de 200 milhões de habitantes, cerca de 50 milhões de automóveis em circulação, um déficit habitacional superior a 5 milhões de moradias e investimentos em infraestrutura estimados em pelo menos R$ 600 bilhões para o período 2015-2018.

Buscando oportunidades de negócios com indústrias do Brasil e dos países vizinhos – que comparecem em grande número à exposição, em busca de soluções inovadoras –, estarão presentes muitas empresas da Ásia, Europa e América do Norte.

Ao mesmo tempo, entre os fornecedores que já operam no País há uma forte confiança no evento, o que faz com que o encarem como prioridade em suas estratégias para este e os próximos anos, apresentando ali novos produtos, tecnologia e serviços, prospectando clientes e detectando tendências.

Engana-se quem imagina que as empresas do setor estão paradas, à espera de melhores dias. Há uma forte movimentação no mercado, voltada para oferecer mais e melhores opções de produtos, tecnologias e serviços para as indústrias de tintas. Diversos fornecedores já anunciaram que mostrarão portfólios ampliados, soluções inovadoras, versões mais avançadas de produtos atuais. Os lançamentos e as inovações poderão ser vistos às centenas, na visitação aos estandes, onde também serão destacadas as novas frentes de negócios abertas por diversos expositores.

“Mais importante do que o número, que é muito significativo, é a qualidade dos expositores. Estarão no evento fornecedores que formam a vanguarda do setor, investindo bilhões de dólares anualmente em pesquisa e desenvolvimento. Isso significa que aquilo que existe de mais inovador na nossa cadeia será mostrado na Exposição”, afirma o presidente-executivo da Abrafati, Dilson Ferreira.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.