Tintas: 7ª Exposição Internacional de fornecedores para tintas e 7º Congresso Internacional de tintas

Outro destaque da Brasilata eram as latas homologadas para transporte marítimo. Relatou Viterbo que as embalagens para produtos perigosos estão sujeitas a severas recomendações internacionais editadas pelas Nações Unidas, segundo as quais devem ser submetidas a testes extremamente rigorosos. Dentre eles, de aprovação mais difícil, estão a resistência da lata à pressão interna de 100 kPa durante cinco minutos e a queda de 1,20 m, ambos feitos com latas cheias. As tintas à base de solventes fazem parte da categoria produtos perigosos, tendo os fabricantes que utilizar onerosos sistemas de reforço, como travas de material plástico e embalagens secundárias como caixas de papelão ondulado, para atender a essas normas. Após extenso trabalho com perfis, espessuras de tampa e anéis, em dezembro de 2000, a Brasilata conseguiu obter uma lata 4 (900 mL), que passou nos testes realizados pelo Ministério da Marinha, um dos órgãos certificadores no Brasil. Segundo Viterbo, até então era desconhecida na literatura mundial a existência de uma lata com tampa de pressão que tivesse resistido a tais testes sem o auxílio de travas auxiliares. Essas travas custam de 30 a 40% do valor da embalagem. Além disso, o custo das caixas de papelão igualmente especiais vinha inviabilizando a exportação de vários produtos, informou Viterbo.

No estande da grande concorrente, a Prada, de São Paulo, também estava sendo divulgada uma linha de latas homologadas pelo Ministério da Marinha para transporte de produtos perigosos. Também estavam sendo apresentadas latas de 18 L com frisos verticais, que facilitam o transporte e o empilhamento.

Associações técnicas ganham destaque

As feiras têm se mostrado um bom local para que entidades ligadas aos segmentos divulguem seus objetivos e busquem novos associados. Isso era, segundo a assessora de diretoria Monica Sales, o que a ALTP – Associação Latino Americana de Tintas em Pó, buscou ao estar presente à feira. A ALTP é uma associação essencialmente técnica formada por empresas da América Latina ligadas à indústria de revestimento em pó, sendo sua fundação uma resposta às exigências mercadológicas de produtos ecologicamente corretos, que tem se intensificado no continente. Participam da associação, companhias produtoras de tintas em pó; de matérias-primas, como resinas, pigmentos, aditivos, cargas; fabricantes de equipamentos para laboratório, extrusão, moinhos, pistolas eletrostáticas; companhias usuárias e aplicadoras; e instituições educacionais.

Os objetivos da instituição incluem promover o uso e desenvolvimento dos revestimentos em pó como técnica industrial que oferece economia de energia, eliminação de poluição, maior produtividade, maior rendimento e oportunidade para obtenção de produtos novos, exclusivos ou de melhor qualidade. A associação também pretende servir como fórum internacional e fonte confiável de educação e informação para indivíduos e organizações envolvidos no uso de revestimento em pó, ou para fornecedores de equipamentos, matérias-primas, ou outros materiais para tais usuários, e ainda desenvolver e disseminar procedimentos e dados sobre segurança na operação de equipamentos e na manipulação de materiais.

Outra instituição presente era a ATBCR (Associação Técnica Brasileira de Cura por Radiação), sediada em São Paulo. A ATBCR, uma entidade sem fins lucrativos, criada em 1993, tendo como objetivos promover o uso e o desenvolvimento da cura de tintas, vernizes, adesivos, revestimentos e compostos poliméricos por radiação ultravioleta (UV) ou feixe de elétrons (EB).

A expressão “cura por radiação“ é utilizada para descrever a polimerização instantânea de um sistema líquido com 100% de sólidos, isto é, sem a presença de solventes, iniciada por radiação. A velocidade alta da cura por radiação de tintas e vernizes, leva à obtenção de filmes com alto brilho e superfícies apresentando uma qualidade final bem superior do que a apresentada pelos materiais curados convencionalmente pelo calor, adicionando um valor considerável ao produto final. Além disso, uma linha típica de cura por UV consome aproximadamente 20% da energia gasta por uma linha de cura térmica convencional, e como o processo requer apenas alguns segundos, trabalha-se com uma velocidade de produção bem alta, ou seja, há ganhos de produtividade. Há ainda benefícios ambientais, já que a maioria dos produtos curáveis por UV/EB contém muito pouco ou nenhum solvente, sendo a quantidade de compostos orgânicos voláteis liberada durante o processo drasticamente reduzida. Outra vantagem é a possibilidade de utilização na cura de tintas ou vernizes sobre substratos sensíveis ao calor, já que o aumento da temperatura durante o processo é pequeno.

Cresce a participação das Universidades

Segundo os organizadores, mais de mil congressistas participaram das conferências do 7o Congresso Internacional de tintas. A sessão de abertura, com tema “O desafio das tintas – desempenho e eficiência em uma economia altamente inconstante”, foi coordenada por Rui Artur Goerck, da divisão de tintas e vernizes da Basf. Houve um número recorde de palestras, com uma presença maior de técnicos estrangeiros, que ministraram ou participaram de 48 do total de 75 apresentações realizadas.

Igualmente digna de nota foi a participação crescente das universidades e instituições de pesquisa brasileiras, que representam este ano 20% do total das palestras.
Um dos palestrantes, o Prof. Dr. Etelvino Bechara, do Instituto de Química da USP, apresentou pesquisa feita com apoio da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) sobre a corrosividade dos ovos de libélula nas tintas automotivas. Resinas acrilo/melamínicas são muito utilizadas nessas tintas, dada à resistência a danos físicos e a diversos agentes químicos, entretanto, apresentam baixa resistência a ácidos em geral.

Página anterior 1 2 3 4 5 6Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios