Tintas e Revestimentos

Tintas: 7ª Exposição Internacional de fornecedores para tintas e 7º Congresso Internacional de tintas

Quimica e Derivados
5 de setembro de 2001
    -(reset)+

    Química e Derivados: Tintas: tintas_abertura.De acordo com a organizadora Abrafati (Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas), cerca de 12.000 pessoas visitaram a sétima edição da Exposição Internacional de Fornecedores para Tintas, ocorrida de 19 a 21 de setembro, no International Trade Mart, em São Paulo. Os 130 estandes foram ocupados pelos principais fornecedores de equipamentos e insumos para a indústria de tintas. Algumas empresas apresentaram um número expressivo de lançamentos, caso da Rhodia, mais especificamente de sua divisão PPMC (Papel, Pinturas e Materiais de Construção).

    O gerente de marketing Carlos Roberto Tomassini destacou a chegada ao mercado brasileiro de vários produtos, dentre eles novas dispersões acrílicas, comercializadas sob as marcas Rhodopás SA 250 e SA 251, desenvolvidas para serem usadas na formulação de tintas hidrorrepelentes para aplicação em locais sujeitos à umidade, como banheiros e cozinhas.

    Os produtos permitem a obtenção de dois tipos de tintas: Premium (SA 251) e Standard (SA 250). As diferenças são obtidas em função de aditivações específicas. O composto acrílico contido no Rhodopas SA 250 confere as mesmas propriedades de uma tinta látex convencional: lavabilidade, durabilidade e boas propriedades mecânicas, porém os aditivos presentes, com propriedades hidrofóbicas, propiciam também repelência à água. “A associação do polímero acrílico e dos aditivos, de diferentes naturezas químicas, leva ao efeito combinado de hidrorrepelência e porosidade de filme, conhecido como efeito respirante”, informou Tomassini.

    Também foi lançada a linha Rhodoline, de aditivos e coalescentes para formulação de tintas imobiliárias. Esses produtos atuam na formação do filme de látex. Inicialmente, as partículas de polímero dispersas em água se aglomeram e, com a evaporação da água, terminam por coalescer, formando uma estrutura tipo colmeia. Se a temperatura do sistema for superior à temperatura mínima de formação de filme, o que depende das características do sistema látex/coalescente, o filme formado é coeso e livre de fissuras. “Os produtos são indicados para quaisquer formulações de revestimentos que empreguem polímero em dispersão, especialmente os sistemas acrílicos”, disse Tomassini.

    Química e Derivados: Tintas: Tomassini - dispersões acrílicas e aditivos repelem água.

    Tomassini – dispersões acrílicas e aditivos repelem água.

    Foram ainda divulgadas as novas linhas de isocianatos alifáticos Tolonate e Rhodocoat, utilizados na formulação de tintas industriais base solvente e base água, respectivamente. São poliisocianatos derivados do HDI (hexametileno di-isocianato) utilizados na formulação de revestimentos poliuretânicos, tintas industriais e adesivos. Conhecidos por seus excelentes níveis de desempenho, as poliuretanas formam-se pela reação entre um poliisocianato e um poliol com um átomo de hidrogênio lábil. A escolha do poliol e dos parâmetros da formulação determinam os níveis de desempenho do filme. Para ajudar seus clientes a cumprirem as exigências relativas aos limites de componentes orgânicos voláteis (VOC) e, dessa forma, proteger o meio ambiente, a Rhodia desenvolveu poliisocianatos alifáticos de baixa viscosidade (Tolonates HDT-LV e HDT-LV2) e poliisocianatos alifáticos para sistemas base água (linha Rhodocoat), explicou Tomassini.

    Os visitantes do estande da Rhodia puderam ainda conhecer os aplicativos técnicos Solsys (solvent system design ou desenho de sistemas solventes), para determinação de parâmetros de solubilidade de resinas e polímeros, e o RhodoPaints, planilha de cálculo de formulações de tintas decorativas.

    A Degussa esteve presente divulgando um grande número de produtos. Lançou, dentre outros, uma nova sílica pirogênica, modificada superficialmente, de nome comercial aerosil R 7200, que aumenta a resistência ao risco em vernizes para madeira curados por ultravioleta (UV). Segundo o gerente de negócios Ralf Ahlemeyer, a empresa está investindo fortemente no Brasil. Um exemplo disso é a unidade de produção de negro-de-fumo em Paulínia-SP, que estará funcionando em abril de 2002.

    A Clariant também mostrou inovações. O coordenador técnico Luiz Carlos Pestana informou que a empresa, tradicional fornecedora de emulsões, desenvolveu na Europa, onde as exigências ambientais são uma realidade, uma linha de dispersões acrílicas base água para uso em substituição às resinas alquídicas base solvente. “A Clariant está disponibilizando uma ampla gama de dispersões acrílicas para as mais diversas aplicações em substituição aos sistemas base solvente, pois acreditamos que o mercado brasileiro dentro de pouco tempo começará a demandar esses tipos de sistemas livres de VOC”, disse Pestana. Algumas das dispersões disponíveis no Brasil são Mowilith LDM 7410 e Mowilith LDM 7450, produtos indicados para esmaltes e vernizes de alto brilho base água, com boa performance de resistência aos agentes naturais. A linha de espessantes também foi destacada no estande da empresa, dentre eles o Mowilith LDM 7002, um espessante associativo de alto cisalhamento, adequado para uso em tintas de alto brilho, às quais confere viscosidade, além de diminuir a separação de fases, fenômeno não desejado.

    Para aplicação em gesso e madeira, Pestana destacou o Mowipur 1308, uma dispersão PU base água com alta resistência à abrasão. Inodora e com secagem rápida, é indicada para a produção de vernizes para parquet, em substituição aos sistemas uréia-formol largamente empregados, que necessitam de no mínimo sete dias de secagem, além da completa evacuação do local de aplicação, devido aos vapores bastante agressivos.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *