Têxtil: Tecnologia confere propriedades avançadas aos produtos têxteis

Tingimento ecológico – Antonio Souto explicou que o tingimento de fibras de poliamida é usualmente feito com corantes ácidos; entretanto o uso de outras classes de corantes como reativos e diretos “podem oferecer grandes oportunidades para o desenvolvimento de novos produtos com melhores propriedades como esgotamento, fixação, níveis de solidez, brilho, uma maior gama de cores, podendo gerar soluções ambientalmente mais sustentadas”. Souto garante que os efeitos químicos e físicos da descarga plasmática contribuíram para os excelentes resultados obtidos na solidez do corante sobre a fibra e no rendimento do tingimento. “Estes promissores resultados significam menos corantes nos efluentes, menos tempo para realização do processo e a possibilidade de tingir poliamida com temperaturas mais baixas”.

Química e Derivados,Produção por tipo de fibrasO plasma é um gás ionizado quase neutro. Quimicamente reativo, é considerado um estado mais ativado que o sólido, líquido ou o gasoso. Desta forma, o plasma é frequentemente apelidado de quarto estado da matéria. Antonio Souto acrescenta que a Descarga Plasmática de Dupla Barreira Dielétrica (DBD), obtida em condições atmosféricas, é a técnica mais utilizada, dentre outras alternativas não térmicas de plasmas, para modificar as propriedades físicas e químicas de diferentes polímeros têxteis. Segundo ele, todas as fibras, das naturais às sintéticas, podem ser submetidas ao tratamento. O especialista garante que o interesse despertado pela aplicação da descarga plasmática para a modificação da superfície dos materiais têxteis, a fim de lhes conferir novas propriedades, tem sido muito grande no mercado. “Atualmente são desenvolvidos numerosos trabalhos, tanto científicos como de aplicação industrial, na área do pré-tratamento têxtil, utilizando plasma frio”, e concluiu: “Fizemos vários estudos e constatamos que o tecido de poliamida sem tratamento de plasma consumiu o dobro de corante para o mesmo tingimento. Resultado: houve saturação da cor. Já com o tratamento plasmático, a água do banho ficou quase incolor podendo ser reaproveitada, ou seja, sem o tratamento, descartamos a água do banho no efluente. Com o tratamento, fizemos quatro tingimentos com a mesma água”.

De fato, os principais impactos ambientais gerados pela atividade têxtil estão justamente nos processos de beneficiamento. Levando em consideração a poluição ambiental e diante da ameaça cada vez maior de escassez de água para consumo, é imperativo que as indústrias encontrem meios de otimizar seus processos industriais.

Ciclodextrinas – Na busca por processos inovadores na área têxtil, as ciclodextrinas (CDs) também têm despertado o interesse das indústrias do setor têxtil. Por seu tamanho nanométrico e suas propriedades de interagir com diversas moléculas químicas, as CDs podem ser utilizadas como auxiliares nos processos de lavagem e de tingimento. No beneficiamento têxtil, resíduos de produtos químicos (óleos e gomas) gerados na engomagem do fio de urdume, e na lavação de artigos têxteis (tensoativos), são de difícil remoção. O emprego das CDs nas formulações pode aumentar a solubilidade das substâncias nestes resíduos. As ciclodextrinas também podem ser aplicadas nos acabamentos de superfície, modificando as propriedades das fibras. Por exemplo, fibras funcionalizadas com CDs e carregadas com reagentes adequados, podem ganhar propriedades bactericidas, proteção UV ou terapêuticas.

Há também os acabamentos químicos que oferecem repelência à água, óleos, ácidos, álcalis e retardantes a chama que já são, inclusive, produzidos no Brasil. A Cia. Cedro, em parceria com a Rhodia (grupo Solvay), desenvolveu a linha Cedro Tech FR, um tecido com peso máximo de 250 g/m², mais leve que os similares, destinado à confecção de uniformes profissionais, que além de retardar a chama também protege contra o arco elétrico. Uma peça feita com Tecido FR foi apresentada na exposição organizada no hall de entrada do Senai-Cetiqt, ao lado de outros produtos de performance nacionais e internacionais que ilustraram o Fórum no Rio de Janeiro.

Química e Derivados, Materiais Têxteis ImplantáveisTêxteis médicos – Os têxteis, originalmente criados para proteger a pele dos humanos, já estão sendo utilizados como produtos médicos, ou seja, como materiais implantáveis. Esses produtos incluem tecidos elásticos para terapia de compressão, sistemas rígidos como gesso sintético, pele artificial e suturas cirúrgicas internas. Os biotêxteis certamente são a nova fronteira dos chamados “tecidos inteligentes”.

Os não tecidos, por exemplo, já ocupam lugar de destaque em roupas e artigos médicos e de higiene como toucas, máscaras, lençóis além de lenços e fraldas higiênicas. Mas as estruturas tecidas e malhas, incorporando fibras sintéticas, também estão se mostrando eficazes na medicina. Um longo trabalho realizado pela Universidade do Minho, em Portugal, mostra algumas das principais aplicações em materiais implantáveis, do qual destacamos a Tabela.

De acordo com os organizadores, o Fórum Internacional de Inovação Têxtil foi tão produtivo que uma nova edição está prevista para 2015, provavelmente em São Paulo.

Página anterior 1 2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios