Tecnologia ambiental: Usinas recuperam CO2

Química e Derivados, Equipamento recupera o CO2 da fermentação do etanol para uso em bebidas
Equipamento recupera o CO2 da fermentação do etanol para uso em bebidas

Gerador de dióxido de carbono no processo de fermentação do etanol, o setor sucroalcooleiro tem um potencial grande de reaproveitamento do gás e ainda de deixar de emitir um dos principais contribuidores do efeito estufa.

Com essa meta comercial, empresas com tecnologia para a captura e a recuperação do gás carbônico, que pode ser usado em várias indústrias, sobretudo a de alimentos e bebidas, estão ofertando a tecnologia no mercado e começam a conquistar os primeiros clientes na área.

Um exemplo é o grupo norte-americano Pentair, que desde 2009 vende sua tecnologia no Brasil, tanto para indústrias cervejeiras, que também geram o gás no processo fermentativo e normalmente o reaproveitam na própria fábrica, como para as usinas.

“Para as usinas é uma quebra de paradigma, porque a maioria ainda acha mais fácil apenas lavar o gás, recuperar o etanol contido nele, e descartar as emissões”, explicou o gerente de vendas da Pentair, Marcelo Rampazzo.

Mesmo assim, a Pentair já forneceu dois sistemas para o grupo usineiro alagoano Toledo, para as usinas Vale, em Onda Verde-SP, e para a usina Penedo, na cidade homônima em Alagoas. O primeiro recupera um volume médio de 70 t/dia; e o segundo, 35 t/dia (com possibilidade de duplicação).

Segundo Rampazzo, o projeto aproveita o sistema de captura da usina, usado para a lavagem de gases, e acrescenta sistema de tubulação de captação e purificação com filtros de carvão ativado, além de secadores e stripper para separar nitrogênio e oxigênio (e descartá-los), que não condensam no processo de resfriamento. O gás carbônico liquefeito é direcionado para os tanques isotérmicos sob temperatura de 25 graus negativos, e depois é vendido para indústrias de bebidas para carbonatação.

Foram investidos na usina paulista R$ 6 milhões e na alagoana, R$ 4 milhões. De acordo com Rampazzo, o pay-back se dá em uma safra: “A primeira safra paga o investimento e na segunda a usina passa a ter lucro.”

O perfil da primeira venda da Pentair na área foi o ideal, porque manteve o fornecimento do CO2 por todo o ano, bom para fidelizar os clientes. Na entressafra da usina em São Paulo, o fornecimento fica por conta da alagoana e vice-versa.

O gerente revela que tem recebido muitas consultas de usinas e espera fechar novos contratos em breve.

Mostrar mais

5 Comentários

  1. Gostaria de receber mais informação sobre seu equipamento para a captura do CO2 do processo de fermentação do etanol.

    Produzimos até 650 m3 de etanol hidratado por dia e estamos interesados, primeiramente, em recuperar o álcool evaporado que sai junto com o CO2 e posteriormente em aproveitar o gas para poder comercializar de alguma forma.

    Por favor, entrar em contato no telefone (19) 99577-6214 o no meu e-mail.

    Grato.

    1. Caro Werbth,

      Primeiramente peço desculpas na demora em responder sua pergunta, mas apenas hoje vi que o artigo fora publicado na internet através de um colega que me enviou o link.
      O telefone da Pentair é (11) 3378-5400

      Grato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios