Meio Ambiente (água, ar e solo)

Tecnologia ambiental – Notícias: Degrémont fornece unidades de remoção de sulfato

Quimica e Derivados
13 de junho de 2014
    -(reset)+

    Química e Derivados, Andraus: 6 unidades vendidas em 2 anos

    Andraus: 6 unidades vendidas em 2 anos

    Depois de ter vencido seus dois primeiros projetos em abril de 2013, para fornecimento de unidades para remoção de sulfato de água de injeção de poços off-shore com membranas de nanofiltração da parceira Hydranautics, a Degrémont Brasil conseguiu nos últimos meses mais obras de grande porte para consórcios de estaleiros que constroem navios-plataformas (FPSOs).

    Há cerca de dois meses a parceria Degrémont-Hydranautics conseguiu dividir um pouco o mercado dominado por empresas de engenharia que se utilizam da tecnologia de nanofiltração da Dow, abrindo possibilidade para outros competidores especializados em membranas participarem desse mercado.

    Para começar, foram vencidas as licitações para unidades de remoção de sulfato e de osmose reversa para diluição de óleo no Estaleiro Jurong, que constroem os FPSOs P68 e P71s, unidades replicantes que serão instaladas nos campos de Lula e Sapinhoá, no cluster do pré-sal da Bacia de Santos. Cada um dos navios receberá unidade de remoção de sulfato com capacidade para tratar 38.200 m3/dia e estação de osmose reversa com capacidade de tratamento de 1.200 m3/dia. Segundo o gerente comercial da Degrémont, Sylvio Andraus Junior, a previsão de entrega das obras é até o início de 2015.

    Mercado em ascensão – O desempenho da Degrémont vem ao encontro da estratégia da Petrobras de não depender apenas das membranas de nanofiltração da Dow para remover os íons sulfato (principalmente de bário e estrôncio) da água de injeção de poços profundos, tratamento que aumenta a produção ao evitar a formação de depósitos inorgânicos e aumentar a pressão para extração.

    Antes da entrada da Degrémont e da Hydra­nautics, o que foi incentivado e apoiado pela petroleira, apenas a Dow fornecia as membranas, por meio de contratos de exclusividade ainda vigentes com as OEMs Aker Solutions, Veolia, Siemens e Cameron. A caducidade da patente oxigenou as concorrências, o que deve ocorrer ainda mais com a anunciada entrada nesse mercado da produtora japonesa de membranas Toray, em parceria no Brasil com a Centroprojekt.

    Os primeiros contratos ganhos pela Degrémont, e já entregues, foram para  unidades de remoção de sulfato em duas plataformas replicantes para o Estaleiro Angra dos Reis, da BrasFELS. Os fornecimentos serão para as FPSOs P66 e P69. Ambas contam com 1.250 membranas de nanofiltração cada e incluíram ainda unidades de osmose reversa para produção de água para diluição de óleo.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *