Publieditorial

28 de agosto de 2017

Tanque da Tecniplas opera com manutenção zero em planta da Braskem

Mais artigos por »
Publicado por: Quimica e Derivados
+(reset)-
Compartilhe esta página

    Em 2010, a Tecniplas forneceu um tanque de compósitos em PRFV (Plástico Reforçado com Fibras de Vidro) para a Braskem. Com 13 m de diâmetro, 11 m de altura e capacidade para armazenar até 1,5 milhão de litros, o reservatório foi instalado na planta de clorosoda da empresa em Camaçari (BA) para armazenar a água residual do processo produtivo. Diferente da alternativa anteriormente utilizada pela Braskem – um tanque de aço revestido com borracha –, o equipamento da Tecniplas opera até hoje com manutenção zero.

    Devido à corrosão provocada pela água residual, a Braskem era obrigada a refazer o revestimento de borracha do tanque de aço a cada quatro anos, pelo menos. A atividade onerava a operação e reduzia o ritmo produtivo, sem contar a típica complexidade da execução de trabalhos em plantas de clorosoda. “Após a instalação do reservatório de PRFV, já se passaram sete anos e nem uma simples pintura foi necessária”, comenta Giocondo Rossi, diretor da Tecniplas.

    Para Manuel Sanches Filho, responsável pelos projetos de diversas fábricas da Braskem no Nordeste, a solução apresentada pela Tecniplas também chamou a atenção por conta da conveniência logística. “Um tanque dessas dimensões teria que ser fabricado na nossa planta, o que exporia os funcionários a alguns riscos. O sistema inovador da Tecniplas permitiu que as seções do reservatório fossem produzidas em São Paulo e transportadas até a Bahia, onde ocorreu apenas a montagem”, ele detalha. Há cerca de dez anos, a Tecniplas introduziu no Brasil o processo de oblatação, tecnologia que possibilita o transporte rodoviário dos megatanques que fabrica em Cabreúva, no interior de São Paulo. Quando apresentam mais de 5 m de diâmetro, limite para o tráfego nas rodovias brasileiras, os tanques são produzidos em seções, ovalizados e acinturados – assumem o formato semelhante ao do número “oito”. Na planta do cliente, as seções são redimensionadas e, de forma manual, laminadas umas sobre as outras.

    Em média, a oblatação reduz o tempo de transporte de 90 para 10 dias. Também permite transportar, dependendo do diâmetro do reservatório, dois ou três anéis em uma mesma carreta.
    Fundada em 1976, a Tecniplas é líder nacional em reservatórios e equipamentos de compósitos em PRFV. Além de atuar no mercado de clorosoda, está presente nos setores de álcool e açúcar, papel e celulose, química e petroquímica, saneamento básico, fertilizantes e alimentos e bebidas.

    Para mais informações, acesse www.tecniplas.com.br



    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *