Solventes – Alternativas verdes se consolidam no mercado de tintas

Revista Química e Derivados, Solventes, Alternativas verdes se consolidam no mercado de tintasOs solventes para tintas menos agressivos ao meio ambiente estão na moda e vão, cada vez mais, ganhando mercado. “Os solventes ‘verdes’ estão conquistando espaço importante como insumo para a fabricação de tintas”, testemunha Nadia Armelin, gerente de P&D para coatings da Oxiteno. “É crescente a demanda por solventes menos agressivos ao meio ambiente, sejam advindos de fontes renováveis, de tecnologias menos intensivas na emissão de gases de efeito estufa ou pela diminuição dos riscos à saúde do trabalhador e também pelo impacto das legislações nacionais e internacionais.”

Alinhada a essa tendência, a Rhodia saiu na frente ao criar um portfólio de solventes de fonte renovável, baixo impacto humano e ambiental e de alta competitividade. “Essa nova linha de produtos, sob a marca Augeo, amplia a gama de produtos da Rhodia, que inclui os solventes oxigenados com origem no etanol e os derivados da cadeia da acetona”, informa Alexandre Castanho, diretor da área de solventes da Rhodia Coatis, unidade global de negócios do grupo que é dirigida no Brasil.

Castanho é taxativo: “Nossa visão é a de que as pressões ambientais e dos consumidores são uma tendência sem volta. E quem não estiver preparado para oferecer produtos que contenham propriedades sustentáveis não irá permanecer no mercado.” A Rhodia produz 250 mil t/ano de solventes oxigenados acéticos (derivados do etanol), cetônicos (de origem da cadeia da acetona) e derivados de bioglicerina. A empresa produz solventes oxigenados há 53 anos no Brasil, no conjunto industrial de Paulínia-SP; é pioneira nesse segmento e líder de mercado na América Latina.

“Em um ambiente mundial de rápidas mudanças regulatórias, há uma demanda crescente por solventes alternativos ou que combinem performance com atributos que atendam às regulamentações”, adiciona Marcelo Oliveira, gerente do negócio de intermediários para a América do Sul da Invista.

“A linha de solventes FlexiSolv foi criada para atender à necessidade do mercado de obter um solvente com boa performance e atributos que atendam às exigências regulatórias de saúde e meio ambiente”, comenta Oliveira. Apesar de essa linha ser bastante nova – foi lançada há cerca de um ano –, o executivo lembra que a Invista fornece solventes alternativos às indústrias há mais de três décadas. “Desde então, a Invista oferece ao mercado solventes com atributos que atendam às regulamentações existentes, que sejam eficientes e com boa performance em uma variedade de aplicações, incluindo produtos de limpeza, revestimentos, adesivos, tintas, removedores etc.”

Revista Química e Derivados, Nadia Armelin, gerente de P&D para coatings da Oxiteno, solventes verdes
Nadia: “verdes” já respondem por 16,5% das vendas da Oxiteno

Oliveira ressalta que a linha FlexiSolv foi desenvolvida com base em mais de trinta anos de experiência na produção de solventes alternativos. “Do reconhecido DBE (éster dibutílico) ao último lançamento, as microemulsões FlexiSolv, nossas equipes técnicas são comprometidas em assegurar que nossos produtos atendam às necessidades dos clientes.” Por isso, ele prevê o lançamento de novas soluções FlexiSolv. A Invista acredita em um “futuro brilhante” em um mercado de “constantes mudanças”, mas com foco numa crescente demanda global por solventes alternativos.

Nadia diz que a Oxiteno tem investido fortemente no desenvolvimento de solventes “verdes”: “Vale destacar o desenvolvimento de coalescentes derivados de fontes renováveis, que garantem menor VOC, proporcionando alto desempenho e aumento do índice de vegetalização das formulações. A Oxiteno também investe no desenvolvimento de solventes oxigenados, que contribuem na substituição de solventes aromáticos de alta toxicidade, como o Ultrasolve M1200, utilizado na substituição de tolueno.”

Em síntese, a Oxiteno oferece uma linha diferenciada de solventes que obedecem aos pilares de sustentabilidade da empresa. Coalescentes de fontes renováveis, Ultrasolve M1200 (acetato de sec-butila), e acetato de isopentila, isopentanol e isobutanol, que são obtidos com a fermentação de açúcares.

A Oxiteno possui uma ampla linha de solventes oxigenados, constituída por glicóis, éteres glicólicos, acetatos, cetonas, álcoois e coalescentes. “Como maior empresa de etoxilação da América Latina, contamos com uma linha de tensoativos não-iônicos, aniônicos e outros aditivos que completam nosso portfólio.” Recentemente, a empresa lançou opções de solventes e tensoativos que trazem benefícios ao meio ambiente e ao ser humano. “Em 2010, esses produtos já representaram 16,5% do volume de produtos vendidos pela empresa nesse segmento”, revela Nadia. A Oxiteno é detentora de diversas tecnologias para a produção de solventes, tais como etoxilação, esterificação e hidrogenação, que permitem a diversificação de portfólio.

O cardápio de solventes oxigenados da Rhodia é constituído por uma linha composta por seis famílias químicas (acetatos, cetonas, álcoois, glicóis, ceto-álcoois e cetais), abrangendo todas as faixas de evaporação (da mais rápida à mais lenta). “Apresentam propriedades totalmente alinhadas às atuais e futuras tendências ambientais”, salienta Castanho.

Recentemente, a Rhodia lançou a linha de solventes de fonte renovável sob a marca Augeo. Segundo Castanho, “o primeiro produto da linha, o Rhodia Augeo SL 191, é um solvente inovador, derivado da glicerina, destinado a diversas aplicações em tintas e vernizes. É um solvente de lenta evaporação, que agrega propriedades técnicas capazes de oferecer maior produtividade e menor consumo no processo de fabricação desse setor”.

Com esse produto, “a Rhodia amplia a sua presença em um segmento especializado do mercado de solventes, oferecendo uma inovação que substitui, com desempenho superior, os glicóis éteres e seus acetatos de fonte petroquímica, alguns deles agressivos à saúde humana e ao meio ambiente”, acrescenta Castanho.

Revista Química e Derivados - Marcelo Oliveira, gerente do negócio de intermediários para a América do Sul da Invista, solventes
Oliveira: mudanças regulatórias estimulam uso dos novos solventes

Já a Invista fornece a linha de solventes FlexiSolv dividida em três categorias: os ésteres DBE, os álcoois benzílicos e as microemulsões. “Os solventes FlexiSolv são parte do negócio de especialidades químicas, um segmento que fornece soluções inovadoras para clientes em diversas aplicações, como fibras têxteis, carpetes, poliuretanos, transporte, revestimentos, adesivos, intermediários farmacêuticos, soluções para limpeza, fragrâncias e tintas de impressão”, afirma Oliveira.

Em um mercado de crescentes regulamentações em meio a muitas matérias-primas, Oliveira diz que “os solventes FlexiSolv oferecem soluções alternativas atraentes para os usuários e formuladores. Por exemplo, o éster FlexiSolv DBE oferece excelente solubilidade, baixa evaporação e é biodegradável”. Além disso, ele ressalta que os materiais utilizados na linha de solventes FlexiSolv passam por uma extensiva vistoria para atender aos diversos critérios referentes à saúde, segurança e meio ambiente.

“O solvente com microemulsões FlexiSolv permite que se tenha maior eficiência com menos quantidade de produto, uma vez que parte do solvente é substituída pela água”, observa Oliveira. É considerada uma “excelente solução para os formuladores que buscam redução de custo”.

Leia Mais:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.