Logística, Transporte e Embalagens

Setor químico e órgãos públicos trabalham em parceria

Quimica e Derivados
21 de junho de 2018
    -(reset)+

    Química e Derivados, Setor químico e órgãos públicos trabalham em parceria para aumentar a segurança na armazenagem de produtos químicos

    Segurança na armazenagem é foco de projeto em desenvolvimento desde 2016

    A indústria química mantém constante busca por melhorias em seus processos que promovam a segurança de seus colaboradores e das comunidades do entorno. Para aumentar a segurança na armazenagem dos produtos químicos a Associação Brasileira da Indústria Química – Abiquim implementa o Projeto Armazenagem Responsável.

    Química e Derivados, Cubatão Fertilizantes, Valdir José Caobianco, sponsor do Projeto Armazenagem Responsável

    O diretor-presidente da Vale Cubatão Fertilizantes, Valdir José Caobianco, sponsor do Projeto Armazenagem Responsável

    O trabalho, iniciado em 2016, tem como objetivo propor ações visando o armazenamento seguro de produtos químicos, além de implementar as análises de risco e preparação de atendimento a emergência no manuseio e armazenamento de produtos, de acordo com os requisitos do Programa Atuação Responsável®.

    A necessidade de aumentar a segurança na armazenagem de produtos químicos foi apresentada pelo diretor do Centro de Integração e Desenvolvimento do Polo de Cubatão (CIDE), do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP) em Cubatão e diretor-presidente da Vale Cubatão Fertilizantes, Valdir José Caobianco, ao Conselho Diretor da Abiquim. O Conselho então designou o desenvolvimento de um projeto focado na segurança na armazenagem de produtos químicos perigosos e Caobianco, que também integra o grupo, foi designado para atuar como sponsor do projeto.

    Segundo Caobianco, as indústrias químicas ao longo do tempo investiram na prevenção e no pronto atendimento a emergências dentro delas. “Seguindo as recomendações do Programa Atuação Responsável® e da ISO 14001 as empresas são capazes atuar de forma preventiva e percebemos que elas estão preparadas para evitar problemas para as comunidades”.

    Mas o executivo lembra que também é preciso estar preparado para evitar ocorrências nas empresas terceirizadas que armazenam os produtos. “Ressaltei ao Conselho Diretor da Abiquim que mesmo as ocorrências em áreas de armazenagem podem fazer com que as pessoas fiquem com receio das indústrias”.

    Entre as ações do Projeto Armazenagem Responsável a Abiquim tem atuado como agente mobilizador por meio de: reuniões, workshops, capacitação para disseminar as melhores práticas relacionadas ao manuseio e armazenagem de produtos químicos, ações preventivas e de atendimento a emergência, divulgação da atuação junto à comunidade, além de contribuir na investigação e análise dos acidentes.

    Um dos principais conceitos do projeto é a importância de envolver o setor público, as entidades setoriais, a iniciativa privada, além do Corpo de Bombeiros da Polícia Militar do Estado de São Paulo, ou seja, todos que possam colaborar e atuar para aumentar a segurança da população que reside nas áreas próximas ao Porto de Santos, na região de seu entorno e no Polo de Cubatão, local onde é desenvolvido o piloto do Projeto Armazenagem Responsável. “Todas as entidades participam ativamente e estão dispostos a melhorar e participar do processo, que deverá posteriormente ser expandido para todas as regiões com áreas para armazenagem de produtos químicos”, explica Caobianco.

    Os órgãos envolvidos no desenvolvimento do projeto são a Secretaria Municipal de Assuntos Portuários, Indústria e Comércio (Seport) da Prefeitura de Santos; o Conselho de Autoridade Portuária (CAP) – Santos; o Plano Nacional de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida à Emergências Ambientais com Produtos Químicos Perigosos (Comissão P2R2-BS) do Ministério do Meio Ambiente; a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (COMDEC) de Santos, Cubatão e São Vicente; a Comissão Local das Autoridades nos Portos (CLAPS) GT Prevenção de Sinistros; o Comitê para Implantação do “Sistema de Gestão Integrado de Prevenção, Preparação e Resposta Rápido a Emergências Ambientais com Produtos Químicos Perigosos”, na Baixada Santista (SGIP2R2/BS) da Casa Militar; o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP) de Cubatão; o Centro de Integração e Desenvolvimento Empresarial da Baixada Santista (CIDE), além da própria Abiquim.

    Para o gerente do CIDE, Valmir Ramos Ruiz, o envolvimento com órgãos do governo é importante para beneficiar a sociedade. “Estamos produzindo um banco de dados para saber tudo o que é produzido e armazenado. Dessa forma poderemos tomar ações preventivas”, explica.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *