Setor industrial se mobiliza para evitar aumento de impostos – ABRAFATI

ABRAFATI participa de reuniões com vice-presidente da República e lideranças do Congresso para apresentar proposta alternativa ao fim da desoneração da folha de pagamento.

Química e Derivados, Dilson Ferreira (ABRAFATI) e o vice-presidente Michel Temer: boa receptividade à proposta da indústria
Dilson Ferreira (ABRAFATI) e o vice-presidente Michel Temer: boa receptividade à proposta da indústria

Representantes de várias entidades empresariais, entre as quais a ABRAFATI, estiveram ontem em Brasília para defender uma alternativa ao projeto de lei que estabelece uma mudança no regime de desoneração fiscal da folha de pagamento.

O objetivo é dar uma contribuição expressiva para o ajuste fiscal, mas reduzindo o impacto do aumento dos tributos.

Essa desoneração, que tem grande importância para a indústria de tintas, foi defendida desde o início pela ABRAFATI, assim como por outros setores.

Liderado por Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), o movimento cresceu e ganhou força para buscar um acordo que leve o projeto de lei a ser modificado.

Ontem, o grupo de empresários reuniu-se com o vice-presidente da República, Michel Temer, que recebeu bem a proposta, destacando a união do grupo como um fator chave para o sucesso.

Depois disso, foi a vez de um encontro com o presidente do Senado, Renan Calheiros, que reconheceu a importância do tema e o levou para nova reunião, com os líderes das bancadas e o relator do projeto, senador Eunício Oliveira.

O grupo também esteve com o deputado Eduardo Cunha, que foi sensibilizado por seus argumentos.

“Sabemos da situação das contas públicas e concordamos em dar a nossa contribuição. Queremos evitar, no entanto, que se onere excessivamente a indústria em um ano difícil como o atual, o que prejudicaria ainda mais a atividade econômica”, afirma Dilson Ferreira, presidente-executivo da ABRAFATI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios