Tintas e Revestimentos

Setor de Tintas – Um setor forte e preparado para os desafios futuros

Quimica e Derivados
24 de agosto de 2016
    -(reset)+

    Setor de Tintas – Promover a competitividade na indústria de tintas é um dos objetivos prioritários da Abrafati, para o qual vem desenvolvendo um conjunto articulado de programas e ações, ao longo das últimas três décadas. Essas atividades têm foco em variados aspectos, que vão do ordenamento do mercado à capacitação profissional, passando pelo incentivo ao desenvolvimento tecnológico, pela criação de um ambiente favorável aos negócios e pela defesa de medidas que levem à redução de custos.

    O esforço em prol da competitividade, portanto, permeia todas as atividades da Abrafati. Pode ser destacado, por exemplo, o Programa Setorial da Qualidade – Tintas Imobiliárias, que vem contribuindo para que, com um mercado mais ordenado, exista maior isonomia competitiva, juntamente com incentivos concretos para o investimento dos fabricantes em pesquisa e desenvolvimento, em valorização de suas marcas, em diferenciação, resultando em tintas melhores, mais inovadoras e com melhor relação custo-benefício. Da mesma forma, o Programa Pintor Profissional Abrafati age nessa direção, ao estimular as vendas e trazer ganhos para a imagem das tintas como produto, dois aspectos em que o trabalho bem feito dos pintores é fundamental.

    Dilson Ferreira - Setor de Tintas - Congresso permite interação com fornecedores

    Dilson Ferreira – Setor de Tintas – Congresso permite interação com fornecedores

    A busca pela competitividade também está presente em iniciativas que visam proporcionar oportunidades para a geração de negócios, a discussão dos rumos do setor e o networking. É o caso do Congresso Internacional de Tintas e, ainda mais fortemente, da Exposição de Fornecedores para Tintas, que permitem avaliar as novidades, conhecer o imenso potencial do mercado e buscar novas oportunidades. A cada edição, milhares de profissionais se envolvem em reuniões, negociações, demonstrações e apresentações técnicas, cujos reflexos se fazem sentir durante longo tempo.

    “A presença de um conjunto de fornecedores que formam a vanguarda do setor e que investem bilhões de dólares anualmente em pesquisa e desenvolvimento torna a Exposição o local ideal para conhecer as inovações e para aproximar fabricantes de tintas de fornecedores, encontrando recursos e novas ideias para o aprimoramento de sua produção e seus processos. A realização simultânea com o Congresso proporciona, adicionalmente, ótimas condições para a interação entre os profissionais da cadeia e para a discussão de novas possibilidades. É uma contribuição inestimável para que o setor avance e se torne cada vez mais competitivo”, destaca Dilson Ferreira, presidente-executivo da Abrafati.

    O papel do evento vai além, impactando positivamente o ânimo do mercado. Na última edição, em 2015, por exemplo, corredores movimentados, estandes cheios, semblantes animados, conversas promissoras e forte interação entre os participantes contribuíram para superar o discurso negativo em relação ao cenário de curto prazo, abrindo oportunidades concretas. Dentro do pavilhão, o clima era amplamente favorável, estimulando os negócios e reforçando a crença no enorme potencial do mercado brasileiro. Foi isso que puderam constatar os 242 expositores presentes, de todo o mundo, e os quase 13 mil visitantes que compareceram.

    Química e Derivados, Lacerda: crise atual estimula o setor a ser mais competitivo

    Lacerda: crise atual estimula o setor a ser mais competitivo

    Busca de soluções – A união de esforços com outros setores empresariais é uma das estratégias para incentivar o crescimento e promover a competitividade. Desde a década de 1980, inúmeras ações conjuntas foram levadas a cabo com entidades representativas dos mais variados segmentos – com destaque para a cadeia de construção, a indústria química e o varejo de tintas e de materiais de construção –, sempre buscando melhorar o ambiente de negócios, abrir oportunidades e fomentar o desenvolvimento econômico e social do Brasil.

    “É preciso, em conjunto, criar uma pauta positiva, para que ela tenha mais força. O caminho daqui para a frente é fazer com que todas essas entidades e também órgãos governamentais estejam juntos, para promover, de uma forma efetiva, o crescimento. A crise atual é um catalisador. É um momento difícil, em que temos de tomar decisões não tão agradáveis, mas é um estímulo para que as empresas se modernizem e se tornem mais eficientes, sustentando-se no mercado. Assim, quando vier o momento de prosperidade, estaremos preparados para crescer, crescer e crescer…”, afirma Antonio Carlos Lacerda, ex-presidente do Conselho Diretivo da Abrafati e vice-presidente sênior de Químicos, Produtos de Performance e Sustentabilidade da BASF para a América do Sul.


    Página 1 de 212

    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *