Setor adota visão da ONU sobre sustentabilidade – Tintas e Revestimentos

Indústria se esforça para alcançar os objetivos da ONU para sustentabilidade

Ampla e cada vez mais relevante, a sustentabilidade é um tema complexo e de muitas facetas.

Uma das suas vertentes mais atuais são os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), uma espécie de tratado criado pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o intuito de estabelecer políticas públicas de proteção socioambiental. Nada disso, porém, é uma grande novidade para o mercado de tintas.

Aliás, não é de hoje que o setor demonstra disposição para ser amigável ao meio ambiente. Ainda assim, no entanto, nem todos os fabricantes são signatários deste acordo, o que não os impediu de cada um, à sua maneira, contribuir com a causa e investir em práticas alinhadas a esse compromisso.

Os ODS fazem parte de um Pacto Global que estabelece condutas a serem incorporadas pelos países membros da ONU.

A fim de fomentar o desenvolvimento sustentável no mundo, a agenda estabelece 17 itens (veja tabela) a serem cumpridos até 2030.

“Eles representam as questões críticas que impactam a sociedade hoje e no futuro, como água, energia, mudanças climáticas e consumo responsável”, resume Rodolfo Viana, gerente sênior de sustentabilidade da Basf.

As demandas são universais e urgentes. Não é por acaso que, segundo Viana, neste período em que o país enfrenta situações difíceis, que vão dos efeitos da pandemia à escassez hídrica, a indústria está focada em melhorar seu desempenho e fazer frente a estes desafios com práticas mais eficientes e em linha com os ODS.

Elaine Poço, diretora de P&D e Sustentabilidade da AkzoNobel para América do Sul, reforça que a agenda proposta pela ONU é um fator chave para o desenvolvimento, inovação e crescimento de negócios.

Na prática – Ser sustentável para o mercado de tintas, obviamente, não se resume aos propósitos da ONU. Porém, de alguma maneira, os objetivos da entidade direcionam algumas condutas. “Todos os ODS inspiram nossas ações e decisões”, diz Elaine.

A companhia elegeu enfocar cinco objetivos. Para contemplar o item Consumo e Produção Responsáveis, a empresa se dedica à meta de zerar seus resíduos até 2030.

Química e Derivados - Indústria se esforça para alcançar os objetivos da ONU para sustentabilidade - Tintas e Revestimentos ©QD Foto: iStockPhoto
Elaine Poço, diretora de P&D e Sustentabilidade da AkzoNobel para América do Sul

“Todos os nossos resíduos serão reusados ou reciclados, reforçando nossa abordagem de economia circular em toda a nossa cadeia de valor”, enfatiza.

Por ora, há o exemplo da unidade de Mauá-SP. Ela reusa 100% do efluente, após um tratamento de alta tecnologia, além de contar com uma reserva de 700 mil metros quadrados de Mata Atlântica que fornece água para a produção da fábrica.

Para atender ao quesito Saúde e Bem-Estar, a AkzoNobel desenvolveu um portfólio de tintas com propriedades antimicrobianas e antimofo, além do programa de substâncias prioritárias que remove de forma proativa os insumos nocivos das formulações, entre outras iniciativas.

Em consonância com o item Cidades e Comunidades Sustentáveis, a companhia, por sua vez, investe na inovação; um exemplo se dá com o desenvolvimento de produtos mais duradouros que ajudam a preservar edifícios e locais históricos.

O objetivo referente à Ação Climática é contemplado pelo compromisso assumido em 2017, a partir do qual a fabricante deverá se tornar uma empresa neutra em carbono até 2050.

“Para isso, estamos transformando ambições em ações, comprometendo-nos a reduzir as emissões de carbono pela metade até 2030”, diz.

A companhia também desenvolve soluções que possam ajudar a reduzir as emissões de carbono.

Exemplos são produtos de baixa temperatura de cura, soluções de origem renovável, formulações à base de água e produtos mais duradouros.

Por fim, o item Parcerias e Meios de Implementação ecoa em várias frentes na AkzoNobel por meio de sua colaboração com ONGs e a atuação em diversas ações sociais.

E por falar em parceiros, a fabricante e a startup Green Mining criaram um programa de recompensas para incentivar a reciclagem de embalagens de tintas; a ideia é bonificar a entrega de baldes e latas vazias, com pontos a serem trocados por brindes.

Reforçando a economia circular, a empresa apresentou ao mercado recentemente uma embalagem composta por 88% de plástico reciclado.

Além disso, a startup mineira Aterra está implementando uma plataforma de marketplace que auxiliará a AkzoNobel a gerenciar todo o processo da gestão à destinação final de resíduos.

Segundo Elaine, essa iniciativa está alinhada às metas de sustentabilidade da companhia, cujo objetivo é, em 2030, diminuir em 50% a emissão de carbono e em 30% o uso de energia; além de adotar 100% de energia renovável e reutilizar 100% da água e dos resíduos em suas fábricas ao redor do mundo.

O caminho já começou a ser traçado. A ReviveR, a estação de tratamento de efluentes da unidade de Mauá-SP, submete a água a processos físico, químico e biológico de purificação, viabilizando sua reutilização na produção de tintas e revestimentos.

“Com isso, a AkzoNobel consegue, hoje, reutilizar 100% da água gerada na fabricação de tintas”, destaca Elaine. Esse projeto absorveu investimentos de R$ 13 milhões.

A empresa também liderou a transição do uso de esmaltes base solvente para base água no mercado de tintas decorativas.

Hoje, 100% das tintas para paredes da fabricante tem base água. O desafio agora são os esmaltes e vernizes, utilizados sobretudo em superfícies de metal e madeira.

“Esse, com certeza, é um paradigma que muitos podem se deparar, uma vez que é difícil imaginar um produto com essa tecnologia para esses materiais, que normalmente se degradariam com água”, explica Elaine.

Vale dizer que a degradação acontece se não houver a proteção adequada e as manutenções com os intervalos indicados.

Elaine conta que a companhia busca desenvolver produtos que tenham uma alta performance, qualidade e durabilidade, que consequentemente sejam mais amigáveis ao meio ambiente e que agreguem uma valor maior para a empresa.

Exemplos ficam por conta de tintas e revestimentos formulados para que sejam necessárias menos camadas até que se alcance a cobertura ideal e perfeita.

1 2 3Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios