Meio Ambiente (água, ar e solo)

Serviços: Demanda cresce mais pela terceirização

Maria Silvia Martins de Souza
3 de fevereiro de 2001
    -(reset)+

    A EP implantou há pouco na unidade da Volkswagem, em São Bernardo do Campo-SP, uma estação para trata­mento da água efluente da torre de resfriamento. Essa água, após tratada, passou a ser reutilizada na lavagem das carrocerias antes da pintura. O tratamento é feito por osmose reversa, um sistema limpo e eficiente. Segundo o diretor químico Rogério Toledo de Almeida sempre que possível faz-se a opção por esse tipo de sistema ou pela ultrafiltração.

    A EP opera ainda as estações de tratamento da Volkswagem, em São Carlos-SP, e da Scania, também em São Bernardo do Campo. Os serviços são pagos por metro cúbico tratado e variam em função das características iniciais da água ou efluente. Um exemplo: o tratamento por membrana de 1 m3 de água de superfície, de modo a adquirir qualidade para uso industrial, custa desde R$ 3 até R$ 4.

    Algumas empresas fabricantes de produtos químicos possuidoras de grandes unidades de incineração também prestam serviços nessa área. É o caso da Clariant S.A.. A busca de soluções ambientais, com proteção ao meio ambiente, à saúde e à segurança já rendeu à empresa a certificação pela ISO 14.000. A unidade de incineração de resíduos industriais, instalada em sua fábrica de Suzano-SP, atende às neces­sidades internas da empresa e também de terceiros. Sua capacidade de queima chega perto das 4 mil t/ano. Segundo o responsável pela unidade Michel René, o custo médio da incineração varia desde R$ 1,5 mil até R$ 3 mil por tonelada, em função do volume, composição, tipo de resíduo e do acondicionamento.

    Assessoria em legislação ambiental e licenciamento, isto é, regularização junto aos órgãos públicos, como Cetesb (Companhia de Tecnologia e Sanea­mento Ambiental), Feema (Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente) e Secretarias do Meio Ambiente, são serviços que podem ser contratados junto a empresas como a Qualitá Engenharia e Gerenciamento Ambiental Ltda. Fundada em 1991, também executa projetos na área técnica. Servindo desde o ano passado a Sabesp (Cia. de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), a Qualitá faz inspeções nas redes de águas pluviais e de esgotos da companhia, para detectar a existência de ligações clandestinas.

    Outro trabalho interessante reali­zado pela empresa foi o projeto de recuperação de resíduos de tinta-esmalte na Bosch Siemens Continental. Usada na pintura dos eletrodomésticos produzidos pela empresa, os resíduos dessa tinta constituíam sério problema. Segundo o diretor da Qualitá João Carlos Vilela, a obra permitiu reapro­veitamento de 100% do material, com grandes benefícios econômicos para a contratante. Vilela aponta como seus principais concorrentes a Ambiental Laboratório e Equipamentos Ltda., a Efluentes Consultoria Industrial e a Ecolife Consultoria e Comércio Ltda., além da já citada EP Engenharia do Processo. Ressalta ainda que em São Paulo, a grande maioria das prestadoras de serviço na área ambiental pertencem a ex-funcionários da Cetesb ou Sabesp.

    Diagnóstico ambiental, recuperação de solo e de águas subterrâneas, avaliação e execução da remediação em casos de derramamento e acidentes, estudos de impacto ambiental (EIA) e emissão de relatórios de impacto no meio ambiente (Rima), também são serviços oferecidos por vários desses prestadores.

    Química e Derivados: Serviços: J. Peter, da Rueckert, produz 600 cosméticos diversos.

    J. Peter, da Rueckert, produz 600 cosméticos diversos.

    Terceirização da produção – Em alguns segmentos industriais, como o de cosméticos, é de hábito a contratação de serviço de fabricação em unidades industriais de terceiros. São pelo menos dez as grandes empresas em São Paulo dedicadas a esse tipo de produção, tendo a primeira surgido há 20 anos. Segundo Johnny Peter, diretor geral da Rueckert do Brasil, o total de pres­tadores no País chega a 50, incluindo pequenos e médios.

    Presente no primeiro mundo (Suíça e Estados Unidos), a Rueckert está instalada no Brasil em uma área fabril de 2,8 mil m2, com capacidade atual para produção de 12 t/dia, ou 3 milhões de unidades por mês de produtos acabados. Os interessados podem contratar a produção de colônias, batons, cremes, loções, géis, xampus, máscaras, hidratantes, reparadores de pontas, relaxantes, produtos para tratamento facial, desodorantes, sabo­netes líquidos, condicionadores, bron­zeadores e outros.

    A Rueckert tem cerca de 60 clientes no País, fabricando perto de 600 produtos diferentes. A produção míni­ma aceita é de mil peças ou de 300 kg, dependendo do tipo de produto. O serviço é pago pela quantidade pro­duzida. Os acordos variam caso a caso, mas em geral, parte das matérias-primas são compradas pela Rueckert, enquanto os ativos e essências são fornecidos pelos clientes.

    Os terceirizadores em geral ofe­recem gratuitamente assessoria no desenvolvimento das formulações cosméticas e no seu registro junto ao Ministério da Saúde. Lipson Cos­méticos Ltda., Haya Cosméticos, Mary Hill Perfumes Bioskin Cosméticos são outros exemplos de prestadores deste tipo de serviço. Já empresas como a Aercamp e a Aerogas não fabricam, apenas envasam para terceiros produtos em aerossol, como inseticidas, cupin­cidas, óleos lubrificantes, produtos veterinários, agrícolas e cosméticos.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *