Seminário põe déficit na pauta

Simultaneamente à Analítica, a Associação Brasileira de Engenharia Química (ABEQ) e a V.N.U Business Media promoverão o 1° Encontro Brasileiro sobre Tecnologia na Indústria Química (ENBTEQ) e o 6° Seminário de Produtores de Olefinas e Aromáticos. Maior integração entre as atividades industriais e a comunidade científico-acadêmica dedicada à engenharia química, para que os pesquisadores apresentem trabalhos que possam ter aplicação industrial, é o que se pode esperar desses encontros.

Química e Derivados: Seminário: Raquel pleiteia medidas governamentais.
Raquel pleiteia medidas governamentais.

“A comunidade de profissionais do setor industrial há tempos solicitava à ABEQ a criação de um fórum técnico diretamente voltado à discussão de temas da indústria química, mas só agora conseguimos concretizar essa aspiração”, afirmou a presidente da entidade, professora Raquel de Lima Camargo Giordano.

O 1° ENBTEQ também pretende propiciar o contato entre empresários da grande indústria química e o governo federal, de modo a ensejar a apresentação e discussão de políticas que levem à redução do crescente déficit comercial apresentado pelo setor químico.

Dados apurados pela ABEQ revelam déficit crescente na balança comercial de produtos químicos, que saltou de US$ 200 milhões na década de 80, para US$ 1,2 bilhão em 1990, alcançando US$ 6 bilhões em 2002.

“A permanência de um ciclo de baixa rentabilidade por anos tem impedido o setor de acumular capital para ampliar sua capacidade e atender ao aumento da demanda doméstica, o que tem provocado o aumento nas importações de químicos. Por isso, para superar esse quadro de extrema fragilidade, é preciso promover o aumento urgente da capacidade produtiva e da rentabilidade do setor, o que requer várias medidas, inclusive políticas governamentais adequadas para favorecer as relações comerciais, garantias de fornecimento de energia e utilização de novas tecnologias”, recomendou a presidente da ABEQ.

Para propiciar a discussão desses aspectos e ajudar a reverter esse quadro, o 1° ENBTEQ foi programado em sessõs técnicas e mesas-redondas, incluindo uma sessão plenária final aberta ao voto das propostas surgidas durante todo o encontro. Tais propostas serão transformadas em resoluções retratando relatos das atividades e resumos das patentes apresentadas, que serão publicadas pela ABEQ e encaminhadas às instâncias de governo.

Entre os temas que serão discutidos em mesas-redondas constam: “A Indústria Química e a retomada do crescimento: Inserção do Brasil no contexto regional e mundial das relações comerciais”, das 9h30 às 12h, do dia 1°; “Matriz Energética Brasileira e seu Impacto na Indústria Química”, a partir das 14 h do dia 2; “Políticas de Ciência e Tecnologia para a Indústria Química: Incentivo ao desenvolvimento da tecnologia”, a partir das 16h30 do dia 2.

As sessões técnicas, por sua vez, abordarão: “Inovação Tecnológica em Processos Químicos” e “Produção de Aromáticos e Olefinas”, a partir das 14 h do dia 1°; “Novas Tecnologias em Equipamentos e Operações da Indústria Química” e “Projetos e Processos da indústria de Aromáticos e Olefinas”, a partir das 8h30 do dia 2; “Novas Tecnologias na Indústria Química para o Meio Ambiente” e “Produção de aromáticos e olefinas e o meio ambiente”, das 8h30 às 12 horas, sendo finalizadas na plenária final que terá início às 14 h do último dia do encontro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios