Segurança e Proteção Pessoal

Segurança de Processos – Explosividade de pós – ABEQ

Quimica e Derivados
11 de dezembro de 2020
    -(reset)+

    Em 2008, uma explosão iniciada na base dos silos de estocagem da refinaria Imperial Sugar, em Port Wentworth, na Geórgia, Estados Unidos, resultou em 14 mortos e 36 feridos. A refinaria era grande e velha, com métodos de construção desatualizados, e acredita-se que esses fatores tenham contribuído para a gravidade do incêndio. A origem da explosão foi no centro da fábrica. Acredita-se que tenha ocorrido em um porão sob silos de armazenamento (Wikipedia, 2020).

    Química e Derivados - Segurança de Processos – Explosividade de pós - ABEQ ©QD Foto: Divulgação

    Figura 2 – Imagem dos danos causados à refinaria Imperial Sugar em Port Wentworth, na Geórgia, Estados Unidos, em 2008. (Fonte: US CSB)

    A explosão na Norwegian Grain Corporation, em 1970, ocorreu no então maior e mais recente silo de importação de grãos da Noruega, em Stavanger, em um clima quente, dia seco de verão. Felizmente, nenhuma pessoa foi morta, mas alguns trabalhadores sofreram queimaduras de primeiro grau. Embora a extensão da propagação da chama tenha sido considerável, o dano material foi moderado, devido à estrutura de concreto armado comparativamente forte dos edifícios e à ventilação através das aberturas existentes. Todo o evento durou um período de cerca de 25-30 segundos, durante o qual uma sequência de seis ou sete grandes explosões distintas foram ouvidas. A chama se propagou por uma distância total de cerca de 1.500 metros, através de uma série de elevadores de caçamba, transportadores horizontais, dutos, filtros e salas no edifício. As explosões de poeira ocorreram em seis dos grandes silos de armazenamento cilíndricos de 2.000 m³ de volume total cada, em um grande silo ligeiramente menor, em sete silos intermediários dos mais estreitos, com capacidades de 400 ou 1.000 m³, em um silo de 150 m³, e em sete silos de carregamento com capacidade de 50 m³ cada. Os seis maiores silos não tinham ventilação, enquanto as explosões no grande silo de volume ligeiramente menor e em todos os silos intermediários e de carregamento foram ventilados através de poços de visita de 0,4 m², que tiveram suas tampas abertas.

    É interessante notar que apenas um silo foi danificado no incidente, a saber, um dos seis grandes silos de armazenamento não ventilados, que tiveram seu telhado explodido, conforme mostrado na Figura 3.

    Química e Derivados - Segurança de Processos – Explosividade de pós - ABEQ ©QD Foto: Divulgação

    Figura 3 – Topo de silo danificado após explosão de pó de grão de trigo (Eckhoff, 2003).

    Para que ocorra a explosão de pó, este deve estar contido em uma concentração mínima no ar, que varia de material para material. A fonte de ignição pode ser chama, faísca em equipamentos elétricos, eletricidade estática, ou uma fonte de calor que forneça a temperatura mínima necessária para a autoignição (também função da composição do pó). A prevenção da explosão de pó é feita controlando-se os elementos do pentágono de explosão. Assim, algumas recomendações gerais devem ser consideradas.

    As recomendações de controle de poeira incluem o uso de sistemas de coleta de poeira e filtros adequados; a minimização da fuga de poeira dos equipamentos de processo ou sistemas de ventilação; inspeção em intervalos regulares a resíduos de poeira em áreas abertas e escondidas; uso de métodos de limpeza que não gerem nuvens de poeira se houver fontes de ignição; distanciamento de válvulas de alívio em relação a depósitos de poeira.

    As recomendações relacionadas à manutenção são o uso de instalação e equipamentos elétricos adequados; controle da eletricidade estática, incluindo a ligação do equipamento ao aterramento; controle de fumos, chamas e faíscas; controle de faíscas mecânicas e de fricção; separação das superfícies aquecidas e dos sistemas de aquecimento das poeiras. Uma causa relativamente comum para a explosão de pó é o uso de solda em equipamentos que estocam ou por onde circulam pó ou poeira sem limpeza prévia adequada. O calor e a vibração mecânica promovidos pelo serviço de solda aquecem e dispersam o pó em um espaço confinado – a receita para a explosão.

    Para o controle de lesão e danos, utilizam-se a separação do perigo (isolar com distância), a segregação do perigo (isolar com barreira), promover ventilação adequada de ambientes e instalar válvulas de alívio ou discos de ruptura em posições adequadas nos equipamentos industriais, uso de motores antifaiscantes, desenvolvimento de um plano de emergência e manutenção de rotas de fuga.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *