Segurança e Proteção Pessoal

Segurança comportamental ganha relevância na prevenção de acidentes em indústrias químicas

Quimica e Derivados
29 de agosto de 2016
    -(reset)+

    Química e Derivados, Segurança comportamental ganha relevância na prevenção de acidentes em indústrias químicas - Abiquim ©QD

    Tema vem sendo abordado não apenas pelas empresas, mas também na academia

    Em 28 de abril, celebrou-se o Dia Mundial da Saúde e Segurança no Trabalho, e a indústria química teve motivos para comemorar. Com o Programa Atuação Responsável®, o setor registrou uma expressiva redução na taxa de frequência dos acidentes. Um dos pontos nos quais a Comissão de Segurança, Saúde e Higiene do Trabalhador (SSHT) da Abiquim vem trabalhando para garantir a melhoria contínua das indústrias químicas nesse sentido é a Segurança Comportamental.

    Na opinião do coordenador da Comissão de SSHT da Abiquim, Ilerson de Mello, o comportamento humano – correto ou incorreto – tem um importante peso na equação dos acidentes de trabalho. Para Mello, uma abordagem assertiva do tema depende de um bom conhecimento do que os especialistas chamam de “behaviorismo” ou “comportamentalismo”.

    O psicólogo norte-americano Burruhs Skinner é um dos pioneiros no estudo sobre o assunto e criador dos princípios e da base de grande parte da abordagem comportamental. Skinner desenvolveu o sistema de Condicionamento Operante, explicando que quando um comportamento é seguido de uma experiência positiva, essa ação se repete. A experiência da Caixa de Skinner (ver box) se tornou o ponto de partida para abordagens mais alinhadas do comportamento no trabalho, considerando todas as interações internas e externas ao ambiente laboral.

    Segundo Ilerson de Mello, as ferramentas e metodologias de análise de acidentes e incidentes mais utilizadas pela indústria já têm condições de identificar os componentes comportamentais que contribuíram de forma significativa para um determinado evento, mas as ações corretivas costumam focar pontos específicos de ocorrências passadas. “Desvios de comportamento devem ser tratados de maneira assertiva e objetiva, mas os profissionais de SSHT devem estar preparados para adotar abordagens sistêmicas de prevenção, buscando o alinhamento do comportamento. Assim como na bem-sucedida experiência de Skinner, quando valorizamos sistematicamente os bons comportamentos e corrigimos aqueles em desvio, os resultados são colhidos”, destaca Mello.

    De acordo com o diretor técnico da Apollus EHS Solutions, empresa especializada em apoiar as organizações na implementação de sistemas de gestão em saúde, segurança e meio ambiente (SSMA), Clayton Schultz, a segurança comportamental consiste na aplicação dos conhecimentos de diversas áreas que estudam o comportamento humano – psicologia, antropologia, pedagogia, ergonomia, higiene, engenharia de segurança – nas questões de segurança do trabalho, visando à prevenção e redução de acidentes. Para melhorar a consciência e a percepção do risco nas atividades com exposição, são utilizadas tecnologias e ferramentas para reforçar comportamentos positivos e seguros.

    As bases da segurança comportamental são fundamentadas na transformação de crenças e valores das pessoas, que buscam mudar de uma cultura dependente (de supervisão necessária) para uma cultura interdependente (solidária, de trabalho em equipe), em que há ajuda mútua na prevenção aos riscos. Na opinião do especialista, assim, a adoção do Processo de Segurança Baseada no Comportamento viabiliza a minimização de erros, a melhoria da disciplina e a confiabilidade operacional, por meio da adoção de observações e abordagens comportamentais e da remoção de barreiras que originam comportamentos de risco.

    Segundo Schultz, que também é instrutor do Curso Segurança Baseada no Comportamento, oferecido pela Abiquim, nas empresas em que está implantado, o processo abrange a compreensão, a mudança e/ou a manutenção dos padrões de comportamento preventivo, e o reforço à educação e aos comportamentos seguros. “A adoção dos princípios, premissas e conceitos do Processo de Segurança Baseada no Comportamento reforça as crenças e valores que constroem uma cultura preventiva evolutiva na empresa, e que norteará o comportamento das pessoas da organização. Para o caso das indústrias químicas, cujo potencial de risco é elevado pela diversidade e criticidade dos riscos, a implementação e desenvolvimento do processo é fundamental e uma questão de sustentabilidade empresarial”, afirma Clayton Schultz.

    De acordo com o diretor técnico da Apollus EHS Solutions, implementações bem-sucedidas do Processo de Segurança Baseada no Comportamento dão conta de uma redução média de 30% dos acidentes só no primeiro ano. Segundo Schultz, o retorno do investimento em prevenção também é significativo: “para cada dólar investido, o retorno chega a ser de 10 a 25 dólares, devido à redução de erros e à melhoria da confiabilidade operacional”.

    De fato, como há uma melhoria significativa de performance em SSMA. Estudos recentes do World Economic Forum e do Lausanne Institute of Management (IMD) demonstram que os países mais competitivos estão também entre os mais seguros, conforme o gráfico (Table 9, no original):

    Química e Derivados, Segurança comportamental ganha relevância na prevenção de acidentes em indústrias químicas - Abiquim ©QD


    Página 1 de 41234

    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *