Petróleo & Energia (gás, refino e gasolina)

Santos Offshore – Feira atrai interessados nos investimentos bilionários da Petrobras na Baixada Santista

Rose de Moraes
15 de novembro de 2009
    -(reset)+

    “Somos o único fabricante de equipamentos específicos para plataformas offshore a participar do evento deste ano, que, por sinal, está cada vez mais interessante, não só para prestadores de serviços como também para fabricantes e fornecedores de equipamentos de alta tecnologia para as indústrias de óleo e gás”, afirmou Fuad Hamad, diretor-comercial para a área petroquímica da Jaraguá.

    Química e Derivados, Fuad Hamad, Diretor-comercial para a área petroquímica da Jaraguá, Santos Offshore

    Fuad Hamad: obras para adequar plataformas a novos padrões

    Além de apresentar ao mercado linha especial para plataformas marítimas, a empresa, também especializada no fornecimento de fornos de carga, de aquecimento e de reforma catalítica em regime turn key, envolve-se com projetos para ampliar capacidades e promover adequações das plataformas a novos padrões ambientais.

    Até o final de 2009, quando deverão estar concluídos os processos de licitação para a construção de três plataformas piloto na Bacia de Santos e selecionadas as bases para o desenvolvimento tecnológico para a exploração em águas superprofundas, ultrapassando os 5 km, e também vencido o grande desafio de perfurar camadas de 3 km de espessura de sal, um novo modelo de exploração deverá surgir, como disse Hamad.

    Válvulas especiais – A Hiter apresentou exemplares de sua mais recente linha de válvulas da série Revel, dos tipos convencional e angular. As válvulas dessa série estão disponíveis em tamanhos de uma a 16 polegadas, nos modelos convencionais, e de 1” x 1” até 18” x 24”, nos angulares. Providas de acionamento pneumático com pistões simples ou de dupla ação ou ainda elétricos, podem ser feitas de aço carbono, aço liga, aço inoxidável e outros, sob encomenda.

    Atenta às necessidades atuais do setor de óleo e gás, a Hiter admite a possibilidade de desenvolver e fabricar novos produtos, do tipo choke valves, fundamentais como componentes de árvores de Natal, que deverão ser muito requisitadas. “Colocamos em estudo a possibilidade de fabricar válvulas que operem em condições de processo envolvendo gases e vapores submetidos a quedas de pressão muito elevadas e bruscas, constituídas por válvulas do tipo angular, altamente resistentes a essas condições, para as quais já temos tecnologia”, afirmou Graziano Itri, assessor técnico da Hiter.

    Química e Derivados, Graziano Itri, Assessor técnico da Hiter, Santos Offshore

    Graziano Itri: válvulas para suportar quedas de pressão

    Ainda no campo das válvulas, a Ciwal Acessórios Industriais também apresentou nova tecnologia. Trata-se de válvula projetada com novo sistema redutor de acionamento. Além dessa novidade, a empresa destacou sua ampla linha de válvulas de esfera até 32 polegadas para atender às especificações de processos com hidrocarbonetos. São providas de sedes resilientes ou metálicas, para aplicações fi re-safe, sob alta temperatura e com duplo bloqueio especial. Também mostrou a linha de válvulas de gaveta de aço carbono, inox ou de ligas especiais, em classes de pressão de 125 a 1500 psi, e em diâmetros de meia até 36 polegadas (fundidas), e de meia até 2 polegadas (forjadas), incluindo válvulas com vedação de aço inoxidável 304-316-410 ou com ligas especiais.

    Vasos de pressão, torres de processo, colunas, reatores, caldeiras, fornos, trocadores de calor, tanques, entre outros itens, também compõem a ampla linha de equipamentos projetados e fabricados pela Dedini Indústrias de Base, outra presença de destaque na 3ª Santos Offshore.

    Aços CLC – Tecnologias ainda inéditas no Brasil no campo dos aços CLC (Continuous on Line Control), para aplicações nos setores de petróleo e gás, também foram destacadas pela Usiminas e Usiminas Mecânica, que, em parceria com a siderúrgica Nippon Steel, pretendem ampliar os fornecimentos para toda a cadeia produtiva do pré-sal.

    A produção de aços CLC no país se tornará viável com o investimento da Usiminas em processo de resfriamento acelerado na linha de laminação de chapas de grande espessura, instalada na usina de Ipatinga-MG. Segundo técnicos da empresa, o resfriamento acelerado é realizado por meio de tratamento térmico e exige menor adição de ligas na composição. As obras para a instalação do novo processo começaram em fevereiro deste ano e a previsão da siderúrgica é de que a partida para a produção dos aços especiais ocorra já no terceiro trimestre de 2010, considerando uma capacidade instalada de 300 mil até 500 mil t/ano, para atender prioritariamente o mercado interno.

    No rol dos maiores distribuidores de aços longos, carbono e tubos de aço carbono, a Açotubo esteve na feira para destacar a atuação da Artex e da Incotep, empresas integradas ao grupo. Adquirida em 2008, a Artex, do ramo de aços inoxidáveis, deverá contar com nova sede em Guarulhos-SP, a fi m de tornar-se mais competitiva. Já a Incotep deverá continuar se destacando no ramo de trefilação de tubos de aço com ou sem costura, aços especiais, entre outros.

    A InoxForte Aços acrescentou a partir deste ano ao seu portfólio de produtos tubos e especialidades fabricados pelas empresas chinesas Hengyang Valin Steel Tube Co. Hengsteel, Huludao City Steel Pipe Industrial Co. e PCK. Considerada uma das maiores fabricantes de tubos sem costura do mundo e segunda maior da China, a Hengsteel produz vários tipos de tubos, em diversas dimensões, laminados a quente e trefilados a frio, com até 720 mm. Já a Huludao é uma empresa especializada em tubos com costura longitudinal por alta frequência (ERW), produzidos principalmente para a condução de água, óleo, gás, construção de estruturas tubulares, plataformas e casings para petróleo. A PCK, maior fabricante de tubos de aço carbono com costura da China, utilizados na condução de óleo e gás, plataformas onshore offshore, petroquímicas, estações de água, entre outras, também produz revestimentos externos diferenciados. Ou seja, com uma ou duas camadas de fusion bonded epóxi, com tripla camada  de polietileno/polipropileno ou betume e com epóxi líquido, betume e concreto, atendendo às normas internacionais do setor.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *