Santos Offshore 2009 – Cadeia produtiva se reúne na sede das atividades operacionais do pré-sal na Bacia de Santos

Química e Derivados, Petróleo e Energia, Santos Offshore

Maior cidade do litoral paulista, Santos tem como principal cartão-postal os seus mais de sete quilômetros de praia, característica que atrai milhares de turistas durante os feriados e nas férias de verão. No futuro próximo, porém, a principal fonte de renda do município não estará mais à beira-mar e no formigueiro sazonal de banhistas, mas nas águas ultraprofundas situadas a 300 quilômetros da orla, onde estão localizados os mais promissores campos de petróleo da chamada camada pré-sal, na Bacia de Santos. Um sinal dessa tendência de transformação da Baixada Santista de um polo turístico e portuário – o município abriga o maior porto da América Latina – para uma região também industrial, beneficiada pelos royalties do petróleo e pela presença maciça de empresas ligadas à cadeia petrolífera, pôde ser sentido pelo grande número de expositores participantes da terceira edição da Santos Offshore Oil & Gas Expo and Conference, a ser realizada entre os dias 20 e 23 de outubro, no Mendes Convention Center, em Santos-SP.

São esperadas cerca de 320 empresas na feira deste ano, 45% a mais que o registrado em 2008. Durante esses três dias, a organização prevê a circulação de 18 mil pessoas pelos 15 mil metros quadrados ocupados pelos estandes, perfazendo um crescimento de 20% sobre os 15 mil visitantes computados na feira do ano passado. Os números são bastante significativos se for considerado o fato de a nova fronteira do pré-sal estar ainda em fase embrionária, com perspectivas para começar a produzir petróleo em grande escala somente a partir de 2017. “A Santos Offshore é vista como uma oportunidade única para os expositores estarem próximos de futuros potenciais clientes”, afirmou Valmir Semeghini, diretor da AGS3 Promoções & Eventos, responsável pela organização do evento.

Química e Derivados, Visitação deve crescer 20% neste ano, Santos Offshore
Visitação deve crescer 20% neste ano

As operações na camada pré-sal abrangem uma grande área geográfica, que engloba quatro estados brasileiros, estendendo-se da costa de Cabo Frio, no Rio de Janeiro, a Florianópolis, em Santa Catarina. No entanto, para o diretor da AGS3, não há dúvidas da importância da Baixada Santista e do estado de São Paulo dentro do mapa dessa bacia sedimentar de 350 mil km². “São Paulo acabou sendo abençoado pelo présal”, disse Semeghini, referindo-se às descobertas de campos gigantes como os de Tupi e Iara, situados mais próximos da parte paulista da Bacia de Santos. “Durante anos me acostumei a visitar regiões petrolíferas do Rio de Janeiro e da Bahia, e agora estou vendo nascer essa grande área de petróleo no quintal de casa”, comemorou o diretor da AGS3, um paulistano e neto de italianos que está envolvido com o setor há mais de vinte anos, grande parte deles dedicados à promoção de eventos.

Apesar de São Paulo ainda não produzir petróleo, o estado responde por 40% do parque nacional de fabricantes de equipamentos para o segmento petrolífero, além de abrigar quatro refinarias da Petrobras, que juntas respondem por 42% da capacidade de refino do país. São essas empresas que ajudarão a engrossar o quadro de expositores da Santos Offshore, que contará também com companhias vindas de outras regiões do Brasil e do exterior. “A cadeia produtiva do petróleo acaba mexendo com todos os outros segmentos do mercado e engloba desde a produção de um simples parafuso até a fabricação de uma moderna sonda de perfuração”, afirmou Semeghini. “Teremos na feira companhias interessadas em fornecer produtos e serviços não só para os setores de petróleo e gás, mas petroquímico, químico, siderúrgico, entre outros”, acrescentou.

Química e Derivados, Valmir Semeghini, diretor da AGS3 Promoções & Eventos e resável pela organização da Santos Offshore, Santos Offshore
Valmir Semeghini: conferência reforça o lado técnico da feira

No entanto, o principal termômetro para medir a importância das cidades da região metropolitana da Baixada Santista – além de Santos, São Vicente, Cubatão, Guarujá, Mongaguá, Itanhaém, Praia Grande, Peruíbe e Bertioga – para os negócios futuros envolvendo o pré-sal está na planilha de investimentos futuros da Petrobras, que é uma das patrocinadoras da feira Santos Offshore. Com as novas descobertas, a estatal brasileira decidiu construir, na cidade litorânea, a sede definitiva de sua Unidade de Negócio de Exploração e Produção da Bacia de Santos (UN-BS), responsável pelo desenvolvimento dos projetos na região. Hoje, a UN-BS, que funciona em Santos desde 2006, ocupa quatro endereços na cidade, em prédios alugados, com áreas técnicas, de coordenação de operações e administrativas, um contingente total de 800 funcionários.

“Todas as atividades da Bacia de Santos são coordenadas a partir de Santos. Por isso, optamos por construir a sede definitiva da unidade, que terá ao todo três edifícios com capacidade para abrigar até seis mil pessoas”, afirmou o gerente-geral da UN-BS, José Luiz Marcusso. Entende-se por “todas as atividades” da Bacia de Santos, o controle atual de nada menos que 11 sondas de perfuração e duas plataformas de produção em operação (uma delas no valioso campo de Tupi). Nos próximos dois anos serão mais 20 sondas na região. Até o final deste ano, entra em operação mais uma plataforma da estatal e, em 2010, outras quatro unidades. De 2011 a 2016, entrarão em operação outras 12 plataformas na Bacia de Santos, sendo 11 delas na área do pré-sal. Em 2010, ainda será inaugurada a Unidade de Tratamento de Gás Monteiro Lobato (UTGCA) em Caraguatatuba, no litoral Norte de São Paulo, que receberá gás natural de várias áreas da Bacia de Santos.

Química e Derivados, José Luiz Marcusso, Gerente-geral da UN-BS, Santos Offshore
José Luiz Marcusso: bacia extensa exige mais bases de apoio na costa

Segundo o executivo, à época da criação da Unidade da Bacia de Santos, no segundo semestre de 2005, um grupo de trabalho analisou diversos municípios que poderiam receber a sede. Após longas análises técnicas e estratégicas, Santos foi o escolhido. “Foram considerados diversos fatores, como a sua posição geográfica central dentro da bacia, a proximidade do porto, a sua infraestrutura, o fato de estar perto da capital paulista e a existência de universidades”, explicou Marcusso.

Em 2010 será iniciada a construção do primeiro prédio da sede, que terá capacidade para duas mil pessoas e deverá ficar pronto em meados de 2012. “Espera-se que, a partir de 2012, com a disponibilidade do primeiro prédio, tenhamos um efetivo em terra da ordem de 1.500 pessoas, incluindo empregados próprios e terceirizados, além dos prestadores de serviços (contabilidade, jurídico, entre outros). E, até 2017, os outros dois prédios da sede deverão estar concluídos”, prevê o gerente.

As três novas torres da Petrobras serão erguidas no bairro do Valongo, na área central de Santos. Marcusso disse que a estatal, juntamente com a prefeitura da cidade, está desenvolvendo um plano diretor especialmente dedicado ao bairro, que contempla melhorias em seu entorno, como um projeto especial de trânsito, que prevê a extensão do VLT (veículo leve sobre trilhos), além da análise de outros modais, como transporte marítimo para as cidades do Guarujá, Bertioga e Cubatão. “Também está em estudo a extensão de ciclovias até o bairro do Valongo e a possibilidade de se instalar delegacias comunitárias, com a presença na região da polícia civil e militar”, afirmou o gerente.

Além da nova sede, a Petrobras pretende ampliar o aeroporto de Itanhaém e também está finalizando estudos para instalar mais duas bases de apoio logístico ao longo da costa marítima, uma no estado do Rio de Janeiro e outra no estado de São Paulo. Os locais, porém, ainda não foram definidos, embora seja grande a chance de Santos ser a cidade escolhida, considerando os investimentos que já estão sendo aplicados nessa região.

Sabe-se que a instalação de uma base de apoio de uma petrolífera do porte da Petrobras será de extrema importância para os municípios que serão escolhidos, pois onde há esse tipo de operação acaba surgindo a demanda por negócios num raio de até seis quilômetros, como os serviços de manutenção para as atividades marítimas. Atualmente, para o apoio das operações da Petrobras na Bacia de Santos, são utilizados os aeroportos de Jacarepaguá-RJ, Itanhaém e Navegantes-SC, além dos portos localizados em Macaé-RJ, no Rio de Janeiro (capital) e em Itajaí-SC.

A capacitação de mão-de-obra local – não exclusivamente para atender à demanda da Petrobras, mas sim de toda a cadeia de prestadores de bens e serviços – é uma das preocupações da Petrobras e dos organizadores da Santos Offshore. “Santos tem de se programar para comportar toda essa demanda de empresas e de pessoas que surgirá na esteira do pré-sal. Do jeito que está hoje, a cidade não conseguirá atender a essa demanda”, afirma Semeghini. “Não adianta querer desenvolver o setor industrial, mas não dar suporte para ele crescer. Um exemplo ruim disso foi visto na região de Macaé, que teve um crescimento muito rápido por causa da evolução da Bacia de Campos e não estava preparada para isso”, completou o responsável pela feira.

O gerente da Petrobrás lembrou que a estatal criou na região da Baixada Santista, em setembro de 2006, o Fórum Regional da Bacia de Santos, do Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural (Prominp), para desenvolver projetos locais de fomento da indústria de bens e serviços do mercado de petróleo e gás, além de promover a capacitação de mão-de-obra para atendimento a esse mercado em expansão. “Entendemos que, dessa forma, os impactos em Santos e cidades vizinhas existirão, mas serão mais positivos, com a geração de empregos, do que negativos”, aposta Marcusso. “Em Caraguatatuba, por exemplo, cerca de 800 pessoas foram empregadas por meio de convênio com o Senai [Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial e, dos cerca de 2.100 trabalhadores que estão na obra, cerca de 60% foram selecionados naquela região”, acrescentou o executivo, referindo-se à construção de nova base de gás natural que atenderá projetos como o do campo de Mexilhão, instalado a 140 quilômetros da costa marítima.

Ainda segundo o executivo da estatal petrolífera, não se pode comparar a situação de Santos com a de Macaé. “Em termos de concentração de atividades, há uma situação muito diferente. Em Macaé, está toda a base de apoio às operações na Bacia de Campos; já na Bacia de Santos, por ser muito mais extensa, teremos bases de apoio ao longo da costa”, comparou o gerente.

Os primeiros testes para avaliar o atual apetite das empresas e investidores pelo mercado do pré-sal poderão ser medidos durante os três dias da Santos Offshore. Além das exposições, a feira abrirá espaço para rodadas de negócios e conferências. “A grande novidade desta edição será a realização de uma conferência internacional, que pretende incentivar debates entre profissionais de diversas áreas da cadeia de petróleo e gás. Assim, a partir deste ano, a feira começa a assumir um lado um pouco mais técnico, mais acadêmico”, afirmou Semeghini.

Destaques da exposição

(Texto produzido com base nas respostas enviadas pelas empresas que atenderam ao convite feito por Química e Derivados a todos os expositores.)

 

A.C. MORELLI & CIA.

Química e Derivados, Linha de ferramentas manuais em Cobre-berílio da Tramontina-PRO, Santos Offshore
Linha de ferramentas manuais em Cobre-berílio da Tramontina-PRO

Fundada em 1976, a A.C. Morelli & Cia. – Solda Santos destacará na feira a linha de produtos de solda da parceira Linde Gases, como os maçaricos de corte e de solda, bicos de corte, válvulas e reguladores. A companhia também vai mostrar produtos da Tramontina-PRO, focando a linha de ferramentas manuais em cobre-berílio, que são antiexplosivas e bastante utilizadas pela indústria petroquímica, que vem substituindo as ferramentas de bronze.

ABENDI

A Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção (Abendi) participa pela primeira vez da Santos Offshore. A entidade, cujo foco de atendimento está voltado para o polo industrial de Cubatão-SP, irá mostrar na feira trabalhos nas áreas de capacitação para profissionais e pesquisas específicas para o setor offshore, destacando o treinamento e formação de pessoas, certificação e o desenvolvimento de projetos de pesquisas.

ABP-Ex

A Associação Brasileira para Prevenção de Explosões estará presente para mostrar o seu trabalho de atendimento às indústrias sujeitas a este tipo de risco, que atuam em setores como o de petróleo, petroquímico, químico, tintas e vernizes e farmacêutico. Os serviços que a ABP-Ex apresentará aos participantes da Santos Offshore são os seguintes: assessoria e consultoria para possível redução de prêmios de seguros; assessoria e consultoria para defi nição e riscos de explosões (classificação de áreas); constituição de grupos de investigação de acidentes ocorridos em áreas classificadas; e capacitação e certificação de profissionais para áreas classificadas, como técnicos de segurança, projetistas elétricos, montadores elétricos e de instrumentação, e reparadores de equipamentos elétricos.

AÇOTUBO

A empresa, uma das maiores distribuidoras de aços longos ao carbono e tubos de aço carbono do Brasil, participa pela segunda vez da Santos Offshore e vai destacar na edição deste ano os produtos da marca Artex, tradicional empresa adquirida pelo grupo em 2008 e com forte atuação no mercado de aço inoxidável. Em seu estande número 180, o visitante também poderá conhecer melhor os produtos da Incotep, uma das maiores companhias de trefi lação do mercado de tubos de aço. A Açotubo, com centro de distribuição instalado em Guarulhos-SP, também apresentará os detalhes do projeto Wind Fence, em que o grupo participa ao lado da Vale para reduzir em até 80% a emissão de ventos com partículas de minério no Espírito Santo. Na primeira fase do projeto, a empresa forneceu 170 toneladas de tubos de aço para a instalação de uma cerca com área aproximada de 72 mil m². O objetivo é melhorar a qualidade do ar de comunidades localizadas próximas a pátios de minério e carvão, que sofrem com a chamada “fumaça escura de ar”.

BALG DO BRASIL

Química e Derivados, Serviços especializados da Balg, Santos Offshore
Serviços especializados da Balg

Fundada em 1978 e com sede no Rio de Janeiro, a companhia produz uma ampla linha de juntas de expansão e presta serviços para diversos segmentos de mercado como o siderúrgico, naval, offshore, celulose e papel, petroquímico, geração de energia, cimenteiro, e de refrigeração. Na feira, a empresa destaca as juntas de expansão metálicas com fole de aço inoxidável, as juntas de expansão com fole de borracha e as juntas de expansão não-metálicas com fole de tecido. A Balg oferece também serviços especializados, como o reparo em juntas de expansão avariadas e instalação ou substituição de juntas no campo, seja onshore ou offshore.

CARLSONS

Com mais de 65 anos no mercado de ferramentas e equipamentos industriais, a empresa sediada na capital paulista e filial em Curitiba-PR apresenta na Santos Offshore 2009 as mais recentes novidades em equipamentos hidráulicos, pneumáticos, pintura e transferência, ferramentas pneumáticas, antifaiscantes, torquímetros, soquetes e acessórios.

CEJN DO BRASIL

Química e Derivados, Mangueiras termoplásticas e engates para alta pressão, Santos Offshore
Mangueiras termoplásticas e engates para alta pressão

Com fábrica em Curitiba-PR e filial em Santo André, na região do ABC Paulista, a empresa de origem sueca participa pela primeira vez da Santos Offshore destacando seus produtos na área de conexões rápidas – mangueiras termoplásticas e engates para alta pressão (700 a 3.000 bar), média pressão (350 bar) e baixa pressão (20 bar). A empresa já tem larga experiência no mercado de petróleo e gás, fornecendo produtos e serviços para a região de Macaé-RJ.

COMPASS

A Compass Empreendimentos, sediada em Santos, estará na feira para mostrar seu serviço de locação de contêineres habitáveis (escritórios com banheiro, sala de lazer, sala de reunião, entre outros modelos) e dry (para armazenamento de cargas), ideais para acomodações temporárias. A empresa oferece projetos voltados para os mais variados segmentos, como os de engenharia, industrial, siderurgia, aviação e offshore. Feitos de aço de qualidade superior e revestidos com pintura acrílica, os contêineres são de fácil manutenção e têm longa vida útil.

ENGEZER

Sediada no Rio de Janeiro, atua no segmento de análise de gases, oferecendo projetos e serviços para companhias de diversos setores, como petrolífera, petroquímica, farmacêutica e automobilística. Na feira, a Engezer apresentará equipamentos como analisadores de gases, de umidade e de explosividade; cromatógrafo, espectrômetro, detectores, equipamentos para combustão; ar-condicionado à prova de explosão; calorímetros; analisadores para enxofre, sistemas de medição por radiação; sistemas de monitoramento de emissões contínuas e estações de qualidade do ar; sistemas para medição de água em óleo e água em sólido, entre outros produtos.

ENERSYSTEM

O estande da Enersystem, com escritório em Cumbica, em Guarulhos-SP, mostrará suas baterias de lítio voltadas para sistemas de telecomunicações, as baterias alcalinas livres de manutenção, as baterias cilíndricas de chumbo puro e as baterias industriais para as mais diversas aplicações, como em plataformas centrais de monitoramento. Além disso, a empresa irá expor seus sistemas de alarme e segurança e subestação de controle de energia.

EXTECIL SANTOS

Química e Derivados, Reformas de bolsas autoinfláveis, salva-vidas e baleeiras da Extecil Santos, Santos Offshore
Reformas de bolsas autoinfláveis, salva-vidas e baleeiras da Extecil Santos

Localizada na região central de Santos, estrategicamente situada ao lado do maior porto da América Latina, a empresa atua desde 1977 no mercado de serviços e comercialização de materiais de segurança. Na feira, a companhia vai destacar a sua Divisão de Salvatagem, que conta com serviços de inspeção, manutenção e reformas de bolsas autoinfláveis, salva-vidas e baleeiras, além de oferecer materiais como coletes e roupas de imersão. A Extecil também mostrará sua Divisão de Ar Comprimido e Gases Especiais, que dispõe de recarga de cilindros de oxigênio medicinal, unidade geradora própria de nitrogênio e um sistema especial de armazenagem de CO2, sua Divisão de Extintores.

FILTROS MIL

Química e Derivados, Almofada de absorção, Santos Offshore
Almofada de absorção

Fundada em 1995, a empresa sediada em Araucária-PR mostrará uma grande variedade de produtos voltados para a área de proteção ambiental. Serão apresentados itens como barreira de absorção de petróleo e derivados em derramamento aquáticos; manta de absorção indicada para aplicação em ambientes internos e externos, como em vazamentos ocorridos em reparos e para absorção de fluidos oleosos; rolo de absorção, usado para petróleo e derivados nos derramamentos em terrenos irregulares; e travesseiro/almofada de absorção para vazamentos em áreas confinadas como poços, canais de drenagem, fundos de navios, barcos a motor e tanques de armazenagem.

FREIOS BRUNACCI

Com sede em São Paulo, a Freios Brunacci, que está completando 50 anos de atuação em materiais de fricção, vai mostrar na feira sua linha de produtos isentos de amianto e com certificado ISO 9001, que são amplamente utilizados em sondas de perfuração (freio auxiliar do guincho de manobra para sonda), pórticos, empilhadeiras, talhas, pontes rolantes, guinchos de âncoras, entre outras aplicações.

HCG TECNOLOGIA

Química e Derivados, Espectrometos por fluorescência de Raio X da HCG Tecnologia, Santos Offshore
Espectrometos por fluorescência de Raio X da HCG Tecnologia

Com escritório em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, a empresa apresenta os seus espectrômetros por fluorescência de raios X, que, em poucos segundos, analisam diversos elementos químicos, quantificando e qualificando os mais diversos tipos de materiais, por meio de ensaios não destrutivos e em amostras de qualquer formato e tamanho. O equipamento aplica-se às áreas de inspeção de materiais, controle 112 de qualidade e pesquisa de setores como petróleo, petroquímica e química, engenharia, papel e celulose, fundição, mineração e automotivo.

 

HONEYWELL

Com 124 anos de existência, a transnacional norte-americana participa pela primeira vez da feira com o objetivo de estreitar o relacionamento com empresas que estão presentes na região do pré-sal. Um dos principais projetos da Honeywell para o setor petrolífero está no sistema de fogo e gás (detecção de fumaça, gás e chamas), em que a empresa pretende oferecer equipamento especializado em segurança para as operações. “Queremos ser um dos provedores preferenciais para projetos de sistemas de fogo e gás”, afirma a companhia em comunicado enviado à imprensa sobre a sua participação na Santos Offshore.

ICATERM

Química e Derivados, Vapor de água quente, Santos Offshore
Vapor de água quente

A Icaterm Caldeiras, Aquecedores e Queimadores apresenta seus geradores de vapor e de água quente instantâneos verticais, que são à prova de explosão e podem ser utilizados em todos os setores industriais, inclusive em plataformas marítimas e contêineres.

KANAFLEX

Com uma fábrica no Brasil, localizada em Embu-SP, a Kanaflex, de origem japonesa, mostra na feira seus dutos e tubos corrugados de PEAD, flexíveis e impermeáveis, destinados à proteção de cabos subterrâneos de energia ou telecomunicações. Trata-se de um produto totalmente resistente a cargas mecânicas e ao ataque de produtos químicos. Também apresenta a sua divisão de mangueiras flexíveis, com mais de trinta tipos de produtos.

KFW OIL & GAS

A empresa alemã especializada no fornecimento de equipamentos e serviços para o mercado de óleo e gás mostrará seu know-how nas áreas de exploração e produção (E&P) e distribuição de combustíveis. Entre os equipamentos, destaque para os computadores de vazão para líquido e gás, os medidores tipo turbinas, as válvulas especiais para aplicações offshore, os injetores e marcadores; e os calibradores.

KOTEK ELETROELETRÔNICA

Química e Derivados, Sensores da Kotek Eletroeletrônica, Santos Offshore
Sensores da Kotek Eletroeletrônica

A empresa com escritório na capital paulista estreia na Santos Offshore apresentando uma grande variedade de produtos direcionados ao setor de petróleo e gás, entre eles os sistemas de proteção e detecção de arcos elétricos e os sistemas de alarme certificados para uso marítimo, além de equipamentos para automação, como medidores, sensores, totalizadores, controladores e termômetros.

MERAX

Química e Derivados, Ferramentas hidráulicas para diversas aplicações, Santos Offshore
Ferramentas hidráulicas para diversas aplicações

A empresa importadora e distribuidora de máquinas e equipamentos participa da Santos Offshore destacando produtos como biseladoras para tubos (elétricas e pneumáticas, de montagem interna e externa); rosqueadeiras automáticas para tubos de ½’ a 6’; furadeiras de base magnética; ferramentas hidráulicas para diversas aplicações (alicates, bombas, cabeçotes, saca polia, separadores de flanges); e perfuratrizes de concreto e brocas diamantadas.

NAKA

Fundada em 1977, a empresa de origem familiar com sede em São Caetano do Sul, no ABC Paulista, apresenta seus produtos e serviços voltados para o setor de instrumentação industrial, como manômetros, termômetros bimetálicos, termopares, termorresistências, painéis pneumáticos, reguladores de pressão, bomba para geração de pressão tipo comparativa, blocos de temperatura tipo seco, banhos termostáticos, transmissores e transdutores de pressão e temperatura, válvulas pneumáticas, pressostatos, termostatos, bobinas, detectores de gases, e calibradores de pressão e temperatura.

NCC CERTIFICAÇÕES DO BRASIL

Reconhecida por órgãos competentes como Inmetro, Anatel e Denatran, a NCC, que participa pela terceira vez da feira, é responsável pela avaliação de conformidade técnica de produtos e serviços de acordo com a norma vigente. Para a edição deste ano, a certificadora espera repetir os bons resultados obtidos nos anos anteriores, oferecendo os serviços necessários para empresas do segmento de petróleo e gás, como a certificação de equipamentos para atmosferas explosivas.

NUTSTEEL

A fabricante de equipamentos para atmosferas explosivas, fundada em 1968 e com matriz em São Paulo, participa pela terceira vez da Santos Offshore. Instalada no estande número 176, a companhia vai mostrar a sua sirene eletrônica à prova de explosão para Zonas 1 e 2 e que permite ao usuário escolher entre 32 variações de sinal sonoro, selecionadas internamente por meio de uma chave. A empresa também exibirá o seu novo transformador portátil projetado especialmente para áreas classificadas e que tem como principal característica a durabilidade e sua baixa necessidade de manutenção.

POLICOM

Química e Derivados, Produtos para cabeamento estruturado da Policom, Santos Offshore
Produtos para cabeamento estruturado da Policom

Fundada em 1995, a partir da incorporação da Paris Cabo, o grupo Policom mostrará na Santos Offshore seus produtos para cabeamento estruturado, direcionados para aplicações de dados, voz, vídeo e controles prediais. Uma das líderes em sua área de atuação, a companhia sediada em São Paulo já conta com clientes de peso, como as empresas Petrobras, Alunorte, Continental Pneus, CSN, CVRD, Solvay, Klabin, e Usiminas.

RIDGID

A Ridgid, uma das líderes mundiais em ferramentas e máquinas para tubulações industriais, participa pela primeira vez da Santos Offshore. No seu estande, a companhia mostrará os equipamentos de alta tecnologia, como o sistema de diagnóstico de tubulações SeeSnake; o sistema de localização de linhas e redes subterrâneas SeekTech; os baús, sistemas de armazenamento profissional, próprios para ferramentas e equipamentos utilizados em canteiros de obra, contêineres e escritórios-trailer; e a nova câmara digital Micro Explorer, um poderoso e portátil sistema de vídeo de inspeção que permite ser levado para todos os lugares.

RTA

A Rede de Tecnologia Avançada (RTA) apresentará linha de produtos especiais para aplicações logísticas, de telecomunicações, de TI e em operações on e offshore. Destaque para nobreaks tipo UPS para tensões até 690 volts em corrente direta ou alternada; para filtros ativos de distorções harmônicas em redes elétricas, proporcionando economia de energia e aumento da disponibilidade dos equipamentos; e para o Lightsaver, capaz de reduzir em 40% o consumo de energia em redes de iluminação, ou de 15% em toda a rede elétrica.

SHERWIN-WILLIAMS

Com o objetivo de aumentar a sua participação no mercado naval offshore, a Sherwin-Williams do Brasil, por meio de sua divisão Sumaré, fundada em 1976, exibirá toda a sua linha de tintas para o segmento naval (contêineres, rebocadores, plataformas de petróleo) e seus produtos desenvolvidos para a pintura de proteção anticorrosiva.

SOFTWAY

A empresa faz sua estreia na Santos Offshore destacando as suas soluções de software na área de comércio exterior que tenham ligação com o setor de petróleo e gás. Entre os produtos, a companhia apresenta o Repetro Sys, um sistema de controle informatizado para gestão do regime aduaneiro especial Repetro, instituído pelo Decreto 3.161 de 1999 e que permite a exportação e importação de equipamentos específicos para serem utilizados diretamente nas atividades de pesquisa e lavra das jazidas de petróleo e gás natural, sem a incidência dos tributos federais, como PIS e Cofins.

STAHL TALHAS

Instalada em Itapecerica da Serra-SP, a empresa especializada em equipamentos de movimentação de cargas faz sua estreia na Santos Offshore. O principal interesse da companhia é se aproximar das empresas da cadeia de petróleo e gás, em especial a Petrobras. Para isso, a Stahl irá expor na feira seus principais equipamentos de movimentação de carga para áreas classificadas (potencialmente explosivas).

TECHNIP

Química e Derivados, Multinacional Tecnip, Santos Offshore
Multinacional Tecnip

A multinacional Technip leva para a Santos Offshore mais de 50 anos de experiência nas áreas de gerenciamento de projeto, engenharia e construção para a indústria de petróleo e gás. Presente no Brasil desde 1976, o grupo de origem francesa tem cerca de 2.200 profissionais no país, possui uma fábrica de tubos flexíveis em Vitória-ES, um centro de engenharia no Rio de Janeiro, uma base de apoio em Macaé-RJ, além de um navio exclusivo para operação em território brasileiro. Com fi liais espalhadas em 46 países, a companhia tem forte atuação nas áreas de infraestrutura submarina (fabrica tubos flexíveis e umbilicais utilizados para o transporte de água, petróleo, gás e energia), plataformas offshore e de plantas industriais onshore. A primeira parceria da Technip com a Petrobras foi fechada em 1970, antes mesmo de a empresa francesa fincar suas bases no Brasil, quando a companhia integrou o projeto de prospecção do Campo de Garoupa, que abriu o caminho para o sucesso exploratório na Bacia de Campos-RJ, ainda hoje a maior província petrolífera do Brasil. Seu último trabalho concluído para a estatal brasileira envolveu a construção da P-51, a primeira plataforma semissubmersível totalmente construída no Brasil, que exigiu aportes de US$ 850 milhões e foi inaugurada no início de outubro. Neste projeto, a empresa foi responsável por toda a engenharia do topside da plataforma e ainda prestou serviços de offshore mating (união entre o casco da plataforma e o topside). Atualmente, a companhia francesa também é parceira da Petrobras na construção da plataforma P-56, no Campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos, que começará a operar em 2010.

TESTMAT

Há mais de cinco anos no mercado, a empresa de São Paulo presta serviços de engenharia, automação e treinamento e pretende mostrar aos visitantes da feira seus novos produtos, como o Soldador Virtual, que permite treinar os soldadores com mais velocidade e avaliá-los periodicamente sem ter que confeccionar corpos-de-prova, soldar e ensaiar.

TOPAC

Com sede na capital paulista, a empresa fundada em 2005 atua no mercado de venda e locação de rompedores pneumáticos e hidráulicos, compressores de ar, compactadores, gruas de torre e placas vibratórias. Na feira, a Topac vai mostrar uma nova tecnologia de jateamento, a Eco- Jateadora, inteiramente fabricada de alumínio e que pode ser regulada e utilizada com extrema facilidade por apenas um operador. Esse produto é ideal para utilização em aço, alumínio, inox, madeira, mármore, vidro, cimento, pedras, fachadas, materiais compostos, entre outras aplicações.

TOTAL EX BR

Com fábrica em Campos dos Goytacazes-RJ, a empresa de materiais elétricos, especializada em produtos para setores offshore, naval, químico, petroquímico e farmacêutico, vai exibir na feira a sua linha completa de equipamentos, como botoeiras à prova de explosão, seccionadores, elementos de contato, caixas de junção, luminárias, projetores, tomadas e plugues, painéis, prensa-cabos, reatores, conexões e outros acessórios.

VECTRA

Sediada em São Paulo, a empresa de confecção de uniformes destacará na feira a linha de vestimentas especiais Ultra Flame, que tem como principal característica os tecidos com propriedade retardante de chamas e com acabamentos exclusivos para as empresas que de alguma forma têm ligação com o setor de petróleo e gás. Todos os produtos desta linha possuem Certificado de Aprovação (C.A.) e estão de acordo com as normas nacionais e internacionais.

WEG

Com dez unidades espalhadas pelo Brasil e filiais em mais de 20 países, a empresa participa da feira pelo terceiro ano consecutivo. Os equipamentos da WEG estão presentes em muitos navios de apoio e plataformas da Petrobras, seja na área de propulsão, geração de energia, distribuição de força, controle de sistemas ou de tintas para proteção. Nesta edição, a WEG irá expor novidades em produtos e equipamentos de motores, energia, automação e tintas para proteção. Entre os destaques estão: o motor WGM, desenvolvido para suprir a demanda por motores compactos, silenciosos e com mais potência por carcaça; CFW-11 Modular Drive, que possui sistema de refrigeração a água e é capaz de suportar as duras condições do ambiente marítimo e naval; transformadores a seco, mais seguros e com o dobro da potência dos modelos a óleo; e várias linhas de tintas que atendem aos padrões mundiais exigidos pelo segmento marítimo.

ZOROVICH & MARANHÃO

A Zorovich & Maranhão, empresa de consultoria, assessoria, inspeções e treinamento, estabelecida em Santos, com filial no Rio de Janeiro, tornou-se recentemente a primeira companhia credenciada pela Marinha do Brasil para ministrar o Curso Básico de Segurança de Plataforma (CBSP) no estado de São Paulo. Na Santos Offshore, os responsáveis pela empresa, que atende todo o segmento marítimo e portuário, prestarão informações sobre o curso, atualmente realizado apenas em Macaé-RJ, com 40 horas de aulas teóricas e práticas. Por meio do instituto Zorovich, também desenvolve treinamentos especialmente voltados para atender à demanda do mercado offshore, como os cursos HUET (Treinamento de escape de helicóptero no caso de queda na água) e CACI (Curso Avançado de Combate a Incêndio).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.