Saneamento

Saneamento – Plano setorial enfrenta corte de verbas e baixa participação efetiva dos municípios

Antonio C. Santomauro
5 de novembro de 2015
    -(reset)+

    Mas ele também reconhece ser impensável ampliar a penetração do saneamento sem a participação do setor público, como comprovou estudo recentemente desenvolvido para a cidade de Belém-PA, no qual ficou evidente que um projeto de saneamento desenvolvido apenas pela iniciativa privada exigiria cobrar tarifas socialmente inviáveis. “Cidades onde são grandes os déficits no saneamento, caso de Belém, exigem a participação de recursos públicos”, observa Dragone.

    A crise hídrica alavancou ainda mais o interesse pelo tema e as companhias estaduais de saneamento começam a pensar em formar as até agora inéditas PPPs para redução e gestão de perdas. Assim, apesar da redução dos investimentos públicos neste ano, segue crescendo o interesse do capital privado pelo saneamento (ver Tabela 4).

    Química e Derivados, Saneamento: Plano setorial enfrenta corte de verbas e baixa participação efetiva dos municípios
    Exemplo de companhia privada interessada em ampliar sua atuação nesse mercado é a Aegea, cujas concessões já atendem 3,6 milhões de pessoas em 38 municípios de oito estados: o trigésimo oitavo município passou a fazer parte desse grupo no início deste ano, quando a empresa assumiu a concessão dos serviços de água e esgoto da cidade maranhense de Timon. “E estamos participando de concorrências para quatro outras concessões: Pimenta Bueno-RO; Penha e Camboriú-SC; e Holambra-SP”, relata Yaroslav Memrava Neto, líder da área de relações com investidores da Aegea.

    Ele considera o Plansab interessante, por constituir um referencial mercadológico para o setor, mas qualifica seus objetivos como sendo “modestos” em relação à realidade brasileira. “Universalizar o acesso ao saneamento apenas em 2033 é algo pouco condizente com um país cuja economia está entre as dez maiores do mundo”, critica Memrava Neto. “E ainda nem estamos vendo aumento nos investimentos compatíveis com os objetivos propostos nesse plano”, acrescenta.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *