Meio Ambiente (água, ar e solo)

Saneamento – Fitabes aponta rumos para universalização

Fernando C. de Castro
16 de outubro de 2011
    -(reset)+

    Como vantagens das Sociedades de Propósito Específico, Antonio Silva apontou: a celeridade na execução das obras, pois quanto mais cedo começar a operar, mais cedo começa a ser feito o pagamento do investidor, além da melhoria da qualidade da construção. Pelo modelo de negócio, a Sabesp é sempre minoritária nas SPEs, com o objetivo claro de fugir dos entraves burocráticos da Lei 8.666. Acordo de acionistas, porém, garante que as decisões do negócio sejam sempre tomadas em conjunto.

    Novidades na feira – Organizada pela Fagga – subsidiária do grupo GL Events, a segunda maior organização mundial do setor, a IX Feira Internacional de Tecnologias de Saneamento Ambiental (Fitabes) contou com a participação de 265 expositores de diversos estados brasileiros, além de empresas da Alemanha, Itália, Cingapura, Estados Unidos, Polônia, Espanha e Portugal, que vieram buscar oportunidades para apresentar suas propostas.

    Na feira, o grupo Hidrogeron, de Arapongas-PR, divulgou o seu gerador de cloro para estações de tratamento de esgoto, de água e de piscinas, baseado num processo que usa água, sal e energia elétrica para produzir o cloro que será utilizado naquela unidade. Segundo a diretora comercial e de marketing da empresa, Carolina Duarte, também foram mostrados na Fitabes os geradores de ozônio. Ela citou outros produtos à disposição dos clientes, como dosadoras para aplicação controlada de produtos químicos e saturadores de flúor. Com 30 funcionários, a empresa lançou uma consultoria especializada para desenvolvimento de água e de esgoto. Os maiores clientes de seus produtos são a Funasa, Sanepar (PR) e Saneago (GO).

    química e derivados, fitabes, Carolina Duarte, Hidrogeron

    Carolina destacou geradores de ozônio e de cloro

    A Poly Easy, de Barueri-SP, lançou dez produtos na feira, como o arredondador tipo alicate, chanfrador, raspador manual, entre outros. O destaque, entretanto, foi para os poços de visita para esgoto, produto que garante a estanqueidade absoluta pelo anel de vedação, possibilitando interligações em superfícies curvas, intercambialidade com qualquer tipo de material de rede e rapidez na execução até cinco vezes mais rápida que os convencionais, de acordo com o gerente comercial da empresa, José Roberto Parreira.

    A Poly Easy fabrica tubos, conexões e sistemas de soldagem utilizados na indústria do saneamento e gás, usando polietileno de alta densidade (PEAD). Também produz equipamentos nas linhas complementares para soldas de polietileno e acessórios para ramais prediais, vendidos para empresas de saneamento e construtoras.

    Produtora de tubos de 20 a 1.600 mm, para várias classes de pressão, indicados para o saneamento, mineração e telecomunicação, a FGS Brasil também esteve na feira. Segundo o engenheiro Edson Cruz, do setor de vendas da empresa, os tubos são feitos de polietileno de alta densidade (PEAD), polímero que não permite a formação de crostas, garantindo a vazão constante da água e diminuindo o custo com energia. Cruz informou que os produtos da empresa sediada em Cotia-SP e que em breve inaugurará uma unidade em Cajamar-SP obedecem às normas ISO 4427, NBR 15.561, NBR 8417, NTS 048, NTS 194 e EN 12201. Os tubos são utilizados em ramais, redes de distribuição e adutoras de água, emissários terrestres e subaquáticos, redes de irrigação e drenagem.

    química e derivados, fitabes, roberto parreira, poly easy, tubos

    Parreira: poços de visitas para esgoto totalmente estanques

    Fabricante de bombas submersas, anfíbias e aeradores submersos, a Higra, de São Leopoldo-RS, apresentou na Fitabes 2011 a sua linha de produtos. Alexsandro Geremia, diretor comercial da empresa, informou tratar-se de soluções elaboradas com base no princípio da eficiência energética no motor e na bomba, com máquinas que chegam a economizar 50% em eletricidade, acelerando o retorno do investimento para a substituição de equipamentos antigos. A confiança no desempenho do produto é tanta que a Higra oferece para seus clientes a venda de economia de energia. Nesse sistema, por meio de contrato de risco, são substituídos os equipamentos antigos do cliente pelos novos da fornecedora, que é remunerada pela economia na conta de eletricidade do usuário. Depois de um tempo, a propriedade dos equipamentos passa a ser da contratante.

    Com relação às bombas anfíbias e submersas, Geremia destaca que o seu projeto foi concebido para atender às novas necessidades do mercado de captação e movimentação de fluidos, emitem baixo ruído (menos de 60 Db) e são construídas com materiais recicláveis. Os aeradores são executados segundo as normas internacionais ISO 9001, ISO 14001 e OHSAS 18001.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *