Rio Pipeline: Brasil investe nos dutos – Pré-sal e etanol justificam os investimentos de US$ 8 bi na malha nacional de dutos, o quarto melhor mercado do planeta

[box_light]

307 trabalhos disputam prêmio

Mais de 500 sinopses, de 27 países, distribuídas por 13 áreas temáticas, foram analisadas pelo Comitê Técnico da Rio Pipeline 2009, que selecionou 307 trabalhos oriundos de 24 países. O gerenciamento de crise nas operações, integridades de dutos, transporte de biocombustíveis e de CO2, dentre outros, são alguns dos temas dos trabalhos apresentados que vão disputar o Calgary Award e menção honrosa. Os ganhadores terão o apoio do IBP para participar da International Pipeline Conference, no Canadá, disputando um prêmio maior de reputação internacional.

[/box_light] [box_light]

Novidade rima com tecnologia

Esta é a aposta de Raimar van den Bylaardt, diretor do Centro de Tecnologia em Dutos (CTDUT), que preparou algo de novo para a Rio Pipeline. “Estaremos lançando o Wikidutos, um glossário de dutos em sistema colaborativo, tendo como expectativa a participação da comunidade para a sua complementação e atualização, seguindo o modelo Wiki”, conta o executivo. “Certamente será mais um ponto de encontro da comunidade e trará uma significativa contribuição para o setor dutoviário. Pretendemos que seja também o embrião de uma futura enciclopédia digital”, complementa.

Química e Derivados, Raimar van den Bylaardt, Diretor do Centro de Tecnologia em Dutos, Rio Pipeline
Raimar van den Bylaardt: Glossário setorial será aberto como a Wikipédia

A novidade ficará na página da organização (www.ctdut.org.br),que busca ainda maior visibilidade e posicionamento nesta Rio Pipeline. “Queremos mostrar o nosso posicionamento de apoio tecnológico às empresas e conquistar maior visibilidade na comunidade dutoviária”, salienta o diretor, frisando que o CTDUT possui um modelo de gestão que difere significativamente das instituições de pesquisa tradicionais. “Especialmente por ser um centro de pesquisas compartilhado, no qual as empresas podem utilizar as suas instalações para fazer testes de produtos, com suas próprias equipes técnicas, em total sigilo, utilizando apenas o pessoal do CTDUT para as operações básicas e segurança”, explicou.

Segundo ele, em virtude das expectativas em torno do pré-sal, o tema dutos submarinos deve adquirir destaque nesta edição. “Novos materiais e processos construtivos são dois outros temas de destaque”, observa. “E o CTDUT pode participar mais efetivamente do processo de inovação.”

[/box_light]

 

 

Página anterior 1 2 3 4 5

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios