Tintas e Revestimentos

Revestimentos: Cresce a concorrência no mercado de antiaderentes

Marcio Azevedo
11 de abril de 2002
    -(reset)+

    Química e Derivados: Revestimentos: Nádia - opções de resinas vão além do tradicional PTFE.

    Nádia – opções de resinas vão além do tradicional PTFE.

    A Akzo, que divulgou investimentos de US$ 140 milhões em suas unidades brasileiras em 2002, ainda não fabricará os revestimentos que pretende vender aqui, assim como a DuPont, que não produz o Teflon no Brasil. No caso das formulações para exteriores de panelas, a tecnologia será importada da unidade italiana do grupo. Nádia Corrêa explica que esses revestimentos são aplicados por uma técnica própria da empresa, a roller coating. A técnica foi especialmente desenvolvida pela Akzo devido à necessidade de aplicações em discos, e utiliza três camadas (prime, mid e top coat) que são aplicadas na superfície do material a ser revestido.

    Além dos revestimentos para exteriores de utensílios de cozinha, a Akzo também importará dos Estados Unidos formulações destinadas a uso industrial, com aplicação em spray. Na indústria, os revestimentos podem ser utilizados em ferramentas metálicas, vasos, tanques, conexões e tubulações para diminuir o atrito e proteger os utensílios, bem como selantes em bombas, compressores e válvulas, ou como anéis de enchimento para colunas recheadas. Cláudio Vieira informa que o grupo já definiu a produção dos revestimentos no País, mas prefere não adiantar detalhes, preocupado com a concorrência. Questionado sobre a disponibilidade de fornecedores de PTFE para o mercado brasileiro, o executivo revela que mundialmente os supridores da Akzo são a DuPont, a 3M e a Daikin.

    Os revestimentos de ambas empresas receberam a aprovação da Fundação do Coração (Funcor), mantida pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, por reduzirem – e em alguns casos até eliminarem – a necessidade de óleos e gorduras na preparação de alimentos. A DuPont, entretanto, foi a pioneira da iniciativa, ao sugerir que o Funcor realizasse testes para estudar a toxidez do Teflon.

    A Akzo Nobel estima o mercado brasileiro de revestimentos antiaderentes em US$ 10 milhões, sendo 7% correspondentes a revestimentos exteriores. No Brasil, que responde por 80% da demanda por revestimentos na América do Sul, sua principal cliente da companhia é a Tramontina, mas a partir do início da fabricação do Trylon, no País, a Akzo pretende exportar seus produtos para Colômbia, Argentina e Venezuela.



    Recomendamos também:








    2 Comentários


    1. Vocês encontraram a solução. Somos de Curitiba e aplicamos Teflon em rolos, placas lisas, grades, bandejas de tinta e diversos outros produtos


    2. Boa tarde,

      Com relação ao Trylon, como obtenho o produto e o processo para efetuar o revestimento antiaderente sobre rolo de alumínio texturizado para estampar placas de Isopor com a temperatura superficial do rolo térmico a 230 celsius ?



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *