Petroquímica – Resultados voltam ao azul e podem indicar a superação da crise

Essa reorganização interna foi desenhada há alguns anos, ainda sob a presidência de José Carlos Grubisich. Sua efetivação teve um impulso com a crise econômica, embora este fator não tenha sido o determinante. “Era preciso simplificar a estrutura, mas não tivemos tempo de fazer isso antes porque estávamos ocupados com a consolidação das aquisições que incluíram, por exemplo, a Copesul e a Petroquímica Ipiranga, maior referência em polietileno de alta densidade de toda a região”, explicou. As operações gaúchas já foram totalmente integradas à Braskem, que também já comanda a Petroquímica Triunfo, incorporada ao portfólio por opção da Petrobras como forma de ampliar sua participação acionária.

Mendonça observa que a Triunfo contribuirá com a produção de polietileno convencional de baixa densidade, obtido por processo de alta pressão. Embora não se construam mais unidades desse tipo no mundo há décadas, tendo sido preferidas as linhas do linear de baixa densidade, as resinas convencionais hoje recebem preços premium. “Além disso, essa incorporação nos colocou entre as três maiores produtoras mundiais de EVA”, comentou.

Química e Derivados, Carlos Mariani Bittencourt, Ex-presidente presidente do conselho diretor da Abiquim e atual conselheiro da mesma, Petroquímica
Carlos Mariani Bittencourt deixa o comando da Abiquim depois de 22 anos

Nova geração – O conhecido líder setorial Carlos Mariani Bittencourt transmitiu o cargo de presidente do conselho diretor da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim) para Bernardo Gradin, presidente da Braskem. Mariani continuará a apoiar a entidade, como conselheiro, função que exigirá seu deslocamento para São Paulo apenas uma vez por mês. “Depois de trinta e cinco anos atuando na indústria química, dos quais vinte e dois à frente da Abiquim, tornei-me um contador de histórias”, disse o encanecido dirigente em seu discurso de despedida, proferido no dia 27 de maio no auditório da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Muito elogiado pelo antecessor, Gradin homenageou o ex-presidente com discurso em que ressaltou o papel de Mariani no fortalecimento e modernização da Abiquim, que conquistou sob sua direção reconhecimento internacional e respeitabilidade. Mariani, por sua vez, dividiu esses elogios com antigos dirigentes da entidade, como Paulo Cunha (grupo Ultra) e Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira; com vários pioneiros do setor no Brasil, muitos dos quais presentes à cerimônia, como Otto Vicente Perrone, Arthur Candal e José de Freitas Mascarenhas; e com o corpo profissional da entidade setorial, com destaque para Guilherme Duque Estrada de Moraes, Mirtes Suda e Marta Laudares, estes mortos no acidente aeronáutico de julho de 2007.

“A crise econômica abre oportunidades para players entrantes nos negócios petroquímicos”, afirmou Gradin após a cerimônia. Ele comentou que o perfil de controle da petroquímica mundial é muito diferente de há dez anos, com o atual predomínio de acionistas majoritários definidos. “São indústrias profissionais, porém de dono, como a Reliance, a Sabic e a própria Braskem; isso significa que possuem uma lógica de negócios a longo prazo”, disse. A estrutura predominante anterior, com controle difuso por acionistas muitas vezes institucionais, era mais imediatista na obtenção de resultados, uma visão pouco compatível com uma atividade tipicamente cíclica.

Gradin observa que esses novos players precisam ter disposição para assumir riscos para aproveitar essas oportunidades. Ele confia que o período de crise foi precedido por uma forte alta de preços e será seguido por outra forte elevação, formando um gráfico semelhante a um vale. “Só falta saber a amplitude desse vale, se vai ser um ‘V’, ou um ‘U’”, comentou.

Pedro Wongtschowski, diretor-presidente do grupo Ultra, salienta o fato de a demanda mundial por produtos ter mudado radicalmente desde setembro de 2008, afetando o timing dos projetos de investimento, até mesmo no setor petroquímico. “O mundo mudou, o que ia sair em 2012 ficou para 2015”, enfatizou. Nessa perspectiva, todos os projetos do setor precisam ser revistos. Isso inclui o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

Wongtschowski recomenda que o Comperj, projeto do qual o grupo Ultra foi um dos primeiros entusiastas, seja feito em duas etapas distintas, em vez de concomitantes como se pretendia inicialmente. “A primeira fase pode respeitar o cronograma inicial, compreendendo apenas o craqueamento catalítico fluido [FCC] do petróleo pesado de Marlim, deixando para outro momento a instalação do cracker para produzir os insumos petroquímicos”, defendeu.

Química e Derivados, Bernardo Gradin, presidente da Braskem, Petroquímica
Bernardo Gradin: crise é oportunidade para novos players do setor

O FCC poderia transformar o óleo pesado em querosene de aviação (QAV) e nafta petroquímica, dois produtos que o Brasil importa em grandes volumes. Além disso, seriam produzidas pequenas quantidades de eteno e propeno que poderiam ser processadas pela Quattor (nas unidades antes chamadas de Rio Polímeros e Suzano Petroquímica/Polibrasil). “O projeto inicial foi orçado em US$ 8 bilhões, mas já se fala em US$ 15 bilhões ou mais, uma quantia atualmente difícil de financiar e até para arrumar parceiros”, afirmou.

A Oxiteno, empresa do grupo, completou no ano passado um programa de investimentos no Brasil compreendendo o aumento de capacidade de produção de óxido de eteno e derivados em Camaçari-BA, Tremembé-SP e Mauá-SP. Também inaugurou neste ano uma fábrica de oxo-álcoois usando óleo de palmiste importado. Esta fábrica, situada na Bahia, está partindo por etapas, segundo o superintendente da empresa, João Parolin. A empresa também opera fábricas no México e na Venezuela. “Estamos em fase de maturação desses investimentos”, afirmou Wongtschowski.

Página anterior 1 2 3 4Próxima página
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios