Meio Ambiente (água, ar e solo)

Reciclagem de Plásticos – ABEQ

Quimica e Derivados
9 de agosto de 2020
    -(reset)+

    Reciclagem de Plásticos, e ainda a Covid-19 - Coluna ABEQ ©QD Foto: iStockPhoto

    Olá, leitoras e leitores. Enquanto escrevo este texto, estamos na Semana Mundial do Meio-Ambiente. Em 2020, ela foi de 1º até 5 de junho, quando se celebrou o Dia Mundial do Meio Ambiente. Inspirado pela data, gostaria de abordar a questão da produção e da reciclagem dos resíduos plásticos no mundo. Também compilei algumas das iniciativas das Universidades do Estado de São Paulo no combate à Covid-19, com ênfase nas ações dos cursos de engenharia – e de Engenharia Química.

    A questão do plástico

    Os plásticos são onipresentes em nossa vida, independentemente de nossas convicções. Se você está lendo este texto agora, o está fazendo em um computador (plásticos compõem 35% dos desktops), em um smartphone (23% de plástico), ou na edição impressa (em papel couché que tem entre 2% e 3% de látex estireno-butadieno). Os plásticos constituem cerca de 17% da massa dos aparelhos eletrônicos – televisores, computadores, monitores, teclados, eletrodomésticos. Se a presença do plástico é tão intensa assim em nossas vidas, é pela indubitável comodidade que nos proporciona, da qual eu, pessoalmente, não quero abrir mão. O problema surge quando o plástico deixa de ser um utensílio e, descartado, torna-se resíduo.

    A Condor Ferries, empresa de balsas que atua no Canal da Mancha, compilou um extenso conjunto de informações estarrecedoras sobre a poluição causada por plásticos nos oceanos. Mais de um milhão de aves marinhas e 100 mil animais marinhos morrem de poluição por plástico a cada ano. 100% das tartarugas marinhas bebês têm plástico no estômago. Atualmente, existem 5,25 trilhões de macro e micropartículas de plástico nos oceanos, e 88% da superfície do mar é poluída por resíduos de plástico. Entre 8 e 14 milhões de toneladas de resíduos plásticos entram no oceano todos os anos, sendo que as embalagens plásticas são o maior vilão. É como se um caminhão de lixo de plástico fosse descartado em nossos oceanos a cada minuto. Neste ano (2020), o número de plásticos no mar será maior que o número de peixes, e um em cada três peixes capturados para consumo humano contém plástico. Apenas 1% do lixo marinho flutua, todo o resto afunda no fundo do mar. O plástico foi encontrado a 11 km de profundidade, contaminando os lugares mais remotos da Terra. Ele escapa dos aterros, flutua em nossos esgotos, acaba nos rios e segue para os oceanos. Muitos resíduos de plástico são invisíveis a olho nu, são coletados em giros oceânicos, onde a vida marinha se alimenta. Não é apenas o plástico descartável, como garrafas e canudos de plástico que você usa, mas as microesferas nos seus cosméticos, as fibras nas suas roupas e nos seus saquinhos de chá. Como apenas 1% desse plástico flutua, todo o resto afunda, poluindo os lugares mais remotos do planeta (Estatística de Plástico no Oceano em 2020). Vem da Ásia (e da China) a maior parte dos resíduos plásticos encontrados no Oceano (Figura 1).

    Química e Derivados -

    Por mais que mais que o uso cotidiano do plástico signifique comodidade, há certamente um exagero – a Redução (primeiro dos três R’s – redução, reutilização e reciclagem) do uso é imperativa quando confrontamos alguns dados. Mais de um milhão de sacolas plásticas acabam no lixo a cada minuto, o mundo usa mais de 500 bilhões de sacolas plásticas por ano, ou 150 para cada pessoa na Terra. 500 bilhões de garrafas plásticas são usadas todos os anos – o que significa que há 66 vezes mais garrafas do que humanos no planeta. Os americanos usam cerca de 50 bilhões de garrafas de água plásticas por ano. Uma garrafa de plástico pode durar 450 anos no ambiente marinho. Mais de 480 bilhões de garrafas plásticas foram vendidas em 2016 em todo o mundo, contra cerca de 300 bilhões há uma década. 14% de todo lixo é proveniente de recipientes para bebidas. Menos da metade das garrafas compradas em 2016 foram recicladas (Estatística de Plástico no Oceano em 2020).

    A Reutilização (segundo R) é possível, desejada, mas limitada. A sacola do supermercado pode acondicionar o lixo, a garrafinha de água pode ser reutilizada inúmeras vezes. Iniciativas louváveis, como luminárias de garrafas PET em comunidades carentes e isoladas, esbarram na logística.



    Recomendamos também:








    Um Comentário


    1. GERSON CANDIDO DOS SANTOS

      Exemplo de matéria relevante e informativa.Como de hábito Qumica e Derivados nos contempla com ótimas informações.



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *