Meio Ambiente (água, ar e solo)

IYC 2011 – Química Verde – Preocupação ambiental incentiva a renovação de conceitos e práticas

Marcelo Fairbanks
16 de outubro de 2011
    -(reset)+

    No rol das poliamidas, uma especialidade da Rhodia, constam produtos feitos com óleo de mamona (6.10), que apresentam alta resistência química e mecânica, sendo usados em aplicações especiais no Brasil e no exterior, contando com produção local. “O desenvolvimento das poliamidas sempre considera a reciclabilidade, para melhorar o impacto de toda a cadeia”, afirmou. Nesse caso, é preciso envolver esforços logísticos e buscar a aproximação com os demais elos. “A nova Política Nacional de Resíduos Sólidos poderá ajudar muito a consolidar a reciclagem”, comentou.

    Segundo informou, a indústria automobilística projeta os carros prevendo a reciclagem das partes e peças, portanto o desenho do produto permite o desmanche fácil. “As poliamidas são totalmente recicláveis, tanto pela via mecânica quanto pela química, nesta se chega quase ao monômero inicial antes de repolimerizá-lo”, explicou. A Rhodia mantém em Santo André-SP uma unidade industrial para reciclagem química de poliamidas. Segundo Canova, a reciclagem faz sentido por consumir menos energia do que a produção da resina virgem.

    A Rhodia considera a sustentabilidade como uma das macrotendências (cenários no qual as tendências se desenvolvem) mundiais, ao lado da evolução populacional, por exemplo. “A química verde entra em tudo”, comentou. Dessa forma, ela não pode ser vista apartada, mas intimamente ligada a todo o processo produtivo, gerando novos desafios. “A Química não é a vilã da história”, finaliza.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *