Álcool e Açúcar (usinas)

Química Solidária: CRQ VII busca doações de matéria-prima para fabricar álcool gel na Bahia

Quimica e Derivados
29 de março de 2020
    -(reset)+

    O Conselho Regional de Química da 7ª Região (CRQ VII), da Bahia, está engajado na mobilização para a produção de álcool gel, artigo que começa a ficar raro nos supermercados do país e inacessível a boa parte da população.

    Segundo o presidente do CRQ VII, Antonio César de Macedo Silva, a estratégia do Regional é estreitar os laços entre as empresas produtoras de matéria-prima e as instituições da Bahia, viabilizando a fabricação de álcool gel e sua distribuição para unidades de saúde, entidades sem fins lucrativos que atendem a população e as comunidades mais carentes.

    Até o momento, duas universidades estão se engajando na produção dos artigos de higienização: a Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB), especificamente em Feira de Santana, e a Universidade Federal da Bahia (UFBA). O CRQ VII intermedeia relações com diversas empresas, algumas de grande porte como a Braskem ou a Ambev.

    “Fizemos contatos, através de conselheiros e formalmente por meio do CRQ VII, com empresas fabricantes de álcool gel registradas aqui para verificar a possibilidade de doação para as instituições que se mobilizaram para fabricar e distribuir o produto. Estamos aguardando algumas decisões”, afirma Macedo Silva.

    Na UFBA, a produção já teve início. A escala é menor do que a desejada, exatamente pela falta de matéria-prima. Na federal baiana, a produção se deu por iniciativa multidisciplinar: estão envolvidos professores e estudantes da Química, Farmácia e da Politécnica.

    De acordo com Denis de Melo Soares, vice-diretor da Faculdade de Farmácia da UFBA e coordenador do grupo que atua na iniciativa, a carência de alguns produtos básicos impede a produção em larga escala. Não há embalagens suficientes e o carbopol, agente espessante utilizado na confecção do álcool gel, está em falta no mercado em quase todo o mundo.

    “Diante da carência, com o que dispomos na UFBA e uma doação de 100 litros de álcool puro da Fiocruz, vamos produzir 200 kg de álcool gel. Além disso, a gente vai produzir álcool 70% INPM, muito útil para higienizar ambientes, produtos e mesmo as mãos. O inconveniente é alguma ressequidão nas mãos pelo uso repetido, o que pode ser minimizado se as pessoas usarem hidratante ao fim do dia”, afirmou Soares.

    Iniciativa baiana integra o Química Solidária

    As ações na Bahia integram a campanha Química Solidária, do Sistema CFQ/CRQs. O objetivo é articular em todo país iniciativas para a produção do álcool em gel com o apoio de instituições de ensino, empresas, associações e profissionais da área da Química. O álcool gel é considerado fundamental para conter a propagação do coronavírus (Sars-Cov-2).  Além da Bahia, já há ações em curso nos estados do Rio de Janeiro, Paraíba e Mato Grosso, entre outros.

    Vale destacar que a ação está sendo desenvolvida com o mínimo possível de profissionais, uma vez que a orientação do Ministério da Saúde – e outras autoridades – é para que as pessoas fiquem em casa para evitar a disseminação do coronavírus.



    Recomendamos também:








    Um Comentário


    1. Everton Viana Coelho Neves

      Excelente iniciativa e em momento de crise há de se achar solução, o carbopol pode ser substituído por outros espessantes como CMC, HEC, e para minimizar problemas quanto a estes, usar uma quantidade minima de um preservante como cloreto de benzalcônio, digliconato de Clorexidina, Metilparabeno ou imidazolidinil uréia, dentro da tolerância permitida pela ANVISA para uso humano e contato com a pele; naturalmente que as autoridades sanitárias precisam dar aval e o fabricante estar autorizado.
      Certamente temos abundância destas opções no mercado nacional e o momento requer urgência com responsabilidade técnica.
      Everton Viana – Químico Industrial



    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *