Química fina: Empresários mantém produção local da Sanofi

Ocupando uma área de 500 mil metros quadrados, sendo 10 mil de área construída, a fábrica possui duas unidades de síntese: uma piloto, laboratorial e de apoio a produção e outra de acabamento. Ainda há uma unidade chamada planta 5, para produção de terceiros, onde a Globe continua a fabricar insumos para empresas como Sanofi, Pfizer, BetzDearborn, Chemyunion e Janseen Cilag.

A produção atual da Globe está em cerca de 1000 toneladas/ano. O carro-chefe da empresa é o amiodarona, um antiarrítmico responsável por 25% das vendas. Mas a empresa ainda atua com importância no mercado de diazepam (calmante), no qual atende 80% da demanda nacional por ser a única fabricante. A Globe produz ainda anfepramona, difenoxilato, glicinato de tianfenicol, propranolol, sulfametoxazol, trimetoprima e L-Carbocisteína.

O próximo plano da empresa, de acordo com o diretor industrial João Carlos Victorelli, é entrar no mercado de fármacos genéricos, vendendo comprimidos com a marca da empresa. O investimento aí seria maior e de médio prazo. Abrangeria, numa primeira fase, o ácido acetilsalicílico, cuja produção anual será de 150 t/ano em 2002. A demanda nacional de aspirina no Brasil, vale ressaltar, fica em torno de 1.000 t.

Página anterior 1 2
Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios