Potassa cáustica – Produção nacional busca ampliar eficiência

Química e Derivados - Rosenberg: linha de mercúrio será substituída por membrana
Rosenberg: linha de mercúrio será substituída por membrana

Competitividade – A Katrium busca se manter competitiva em face dos concorrentes internacionais que mandam para cá excedentes de produção, com preços baixos, como apontou Rosenberg. “Usamos cloreto de potássio importado e energia elétrica que está entre as mais caras do mundo, mas conseguimos oferecer preços justos aos nossos clientes, em comparação com as alternativas disponíveis”, defendeu.

Ele salientou que o fato de contar com suprimento local é um fator decisivo para quem precisa ter segurança de abastecimento. “Nessa pandemia, com o fechamento do China e da Europa, ficou clara a necessidade de ter fabricantes locais de insumos químicos, como a potassa”, afirmou. O produtor local mantém estoques de matéria-prima e pode garantir o abastecimento das cadeias produtivas consumidoras. “Muitos de nossos clientes são companhias internacionais que acompanham o mercado mundial, eles sabem a importância da garantia de suprimento, além da qualidade elevada que também asseguramos.”

O esforço competitivo também permite à Katrium exportar 10% de suas vendas totais para países da América Latina, inclusive o México. Rosenberg considera esse percentual adequado para a operação, mas entende que a exportação poderá crescer, caso a demanda regional aumente. “Podemos atender esse acréscimo sem comprometer o abastecimento local”, ressaltou.



Página anterior 1 2

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios