Petroquímica: União entre Dow e Basf abala mercado de PS

Feira: FI atualiza mercado de aditivos alimentares

Química e Derivados, Em sua 6ª edição, a feira se consolida.
Em sua 6ª edição, a feira se consolida.

A sexta edição da Fi – Food Ingredients South America 2000 e a 3ª Exposição e Conferências Internacionais sobre Tecnologia para a Indústria de Bebidas, TecnoBebida 2000, no Expo Center Norte, de 2 a 4 de agosto, reuniram lançamentos e ingredientes consagrados no mercado de alimentos.

Sob organização da Miller Freeman, outra tendência importante nas feiras foi a presença de famílias de produtos multifuncionais, com aplicações prescritas em variadas indústrias, da alimentícia, de cosméticos e farmacêuticas até a petrolífera.

Nesse último caso um bom exemplo são os hidrocolóides, aditivos baseados nas gomas vegetais. Voltados para estabilizar, gelificar e espessar alimentos e bebidas, trata-se de grupo formado sobretudo pelas gomas xantana, guar, carragenas, locusta (LBG), entre outras. Um expositor de peso atuante nesse mercado em ascensão, a Rhodia Food, esteve apresentando seu portfólio ampliado com as gomas carragenas, fruto da joint venture com a chilena Gelymar. Antes atuante apenas nas gomas espessantes xantana, guar e LBG, com as carragenas chilenas a Rhodia também entra no mercado das gelificantes, propriedade exclusiva destas gomas e também dos alginatos, pectinas, ágar-ágar e da própria gelatina.

Fornecedora ainda de ingredientes à base de fosfato, as vendas principais da Rhodia Food em hidrocolóides, porém, são das gomas xantana, segmento cuja participação da empresa no Brasil beira os 30%. Segundo Gabriela Macedo, assistente de aplicações e desenvolvimento, o maior emprego da goma xantana, no entanto, é observado na indústria petrolífera onde o produto é aplicado para extrair petróleo de águas profundas. “A demanda já é bem maior que a oferta disponível, podendo-se ainda considerar a tendência de maior emprego dos hidrocolóides nas indústrias farmacêuticas e de alimentos”, afirmou Gabriela.

Química e Derivados, Vieira demanda por TBHQ vai aumentar.
Vieira demanda por TBHQ vai aumentar.

Com mesmo grau de versatilidade, podem ser consideradas as soluções antioxidantes fabricadas pela Eastman. Fornecidas em combinações líquidas e em pó, elas têm largo emprego em óleos comestíveis, mas também são usadas na indústria cosmética, em cremes, batons, óleos para banho e maquiagens. Nos setores químico e petroquímico, os antioxidantes têm aplicações reconhecidas para evitar a oxidação de óleos minerais de processo, protegendo-os quando submetidos a altas temperaturas (entre 100°C a 200°C). Possuem ainda grande utilização no setor farmacêutico, onde atuam como ingredientes para aumentar o prazo de validade de uma série de produtos.

Para o gerente de vendas da Eastman Chemical Brasileira, Alexandre Vieira, “o crescimento do mercado de embalagens em PET e as suspeitas de ação carcinogênica envolvendo os antioxidantes das famílias dos BHT (butilhidroxitolueno) e dos BHA (butilhidroxianisol) levam a crer que a demanda por antioxidantes do tipo TBHQ (t-butilhidroquinona) deverá aumentar bastante nos próximos anos em vários mercados”, avaliou.

O maior produtor de óleo de palma (popularmente conhecido como azeite de dendê) do País, o grupo Agropalma também projeta crescimento da produção nos próximos anos, com vista a melhor atender à demanda atualmente estimada em 150 mil toneladas/ano, principalmente atribuída à capacidade de absorção das indústrias de alimentos consumidoras do produto como gordura vegetal em frituras, biscoitos, massas, bases para margarinas etc.

Química e Derivados, Trujillo palma para lubrificar fibras de juta.
Trujillo palma para lubrificar fibras de juta.

A função polivalente do óleo de palma, no entanto, é particularmente reconhecida em tantas outras aplicações. Segundo o gerente técnico do grupo Agropalma, José A. Trujillo, na indústria cosmética, o óleo se aplica em sabonetes, sabões e participa da produção de matérias-primas, como aminas, amidas, álcoois-graxos, ácidos graxos, palmitatos e ésteres etílicos.

No setor oleoquímico, o produto integra a composição de tintas, vernizes, ésteres, álcoois, podendo ainda ter aplicação em substituição às parafinas. Com função lubrificante, é coadjuvante do processo de laminação do aço, juntamente com o emulgador, tendo aplicação mais recente como lubrificante de fibras de juta, utilizadas para confeccionar sacarias destinadas a produtos de exportação, que saem dos portos brasileiros rumo aos mercados da Europa e EUA, ostentando a tarja hidrocarbon free, livre de hidrocarbonos.

Inovações em equipamentos – No segmento de enchedoras, embaladoras e rotuladoras, a Krones destacou aos visitantes da feira novo desenvolvimento para implementar as vendas de cervejas e refrigerantes em lata. Trata-se da rotulagem em alumínio, também considerada lacre higiênico e de segurança, feita pela rotuladora Taxomatic 84, máquina antes direcionada somente à colocação de selos fiscais.

Química e Derivados, Meyer datador a laser é de fácil manutenção.
Meyer datador a laser é de fácil manutenção.

“O lacre de segurança elimina a necessidade de higienização das latas para consumo imediato e, ainda, possibilita a colocação de mensagens impressas diferenciadas nos rótulos colocados sobre as tampas”, complementou o diretor técnico da Krones, Franz T. Beissel.

Apresentando ao público brasileiro a nova geração de datadores, que deverá substituir os modelos a jato de tinta, a TSS, em representação à alemã Alltec, trouxe o datador a laser, lançado no início deste ano no mercado europeu. Seu emprego é destinado a uma infinidade de marcações em diferentes substratos, como ampolas de medicamentos, teclados de computador, componentes eletrônicos, frascos cosméticos, embalagens plásticas e de papelão de produtos de consumo, rotulações de garrafas, entre tantas outras.

Para se ter uma idéia do seu rendimento, quando aplicado em etiquetas de embalagens, sua capacidade de produção horária chega a 75 mil marcações, em geral contendo informações sobre data de fabricação do produto, prazo de validade, número de lote e código de barras. Segundo o diretor técnico da TSS, engenheiro Francisco Meyer, o único componente do datador que requer manutenção é o tubo que comporta o laser, instalado dentro de torre, o qual, segundo recomendações do fabricante, deve ser trocado a cada 20 mil horas de uso, o equivalente a um prazo de durabilidade de mais de três anos. Isso considerando-se produções ininterruptas de três turnos de trabalho.

Ainda integrando a linha de produtos em exposição pela TSS destacou-se o equipamento destinado à inspeção de embalagens, o TapTone 500. Com capacidade para controlar vácuo ou pressão em embalagens fechadas, confeccionadas em vidro, lata ou plásticos e que acondicionam produtos envasados a quente ou a frio, o equipamento é fabricado pela americana TapTone. Especialmente para controlar o nível volumétrico dos produtos envasados, foi apresentado o sistema Procon Compact Line-X, fabricado pela alemã Stratec Control-Systems, baseando-se no princípio da detecção por raios-x. Destinado ao controle de linhas de envasamento de alta e baixa velocidades, pode chegar ao ritmo máximo de 120 mil recipientes/hora.

Cápsulas de aroma ganham prêmio

A unidade brasileira da suíça Givaudan recebeu o prêmio Fi South America Awards 2000, em sua terceira versão, na categoria “ingredientes”, pelo desenvolvimento de Flavorburst, cápsulas protéicas de aroma (tamanho de partícula de 250-500 microns). Destinadas às indústrias alimentícias, com características termoestáveis e insolúveis em água, são capazes de suportar altas temperaturas de processamento, representadas por frituras (190°C a 210°C) e forneamento (180°C a 200°C). Resultante do microencapsulamento a frio, o Flavorburst, de acordo com o gerente de criação de aromas da empresa, Moisés Galano, proporciona melhor balanceamento, evita perdas de processamento, liberando gradativamente o aroma.

Para atender às necessidades das indústrias farmacêuticas e especialmente as indústrias de bebidas em pó, a empresa dispõe da linha Permaseal. Resultante do microencapsulamento a quente, os produtos dessa linha são obtidos por atomização (spray-dry) de uma emulsão de aroma na qual a água evapora-se por aquecimento. (Rose de Moraes)

Página anterior 1 2 3 4

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios