Petróleo & Energia (gás, refino e gasolina)

Petrobras 60 anos: Um salto de 2.700 para mais de 2 milhões de bpd

Marcelo Fairbanks
16 de dezembro de 2013
    -(reset)+

    A Petrobras iniciou a produção de petróleo no mar em 1968, no campo de Guaricema, no litoral de Sergipe, usando a plataforma de perfuração autoelevatória P-1, a primeira desse tipo da companhia. O sucesso dessa iniciativa estimulou o desenvolvimento de estudos geológicos no litoral fluminense. Mesmo assim, a crise mundial impunha uma corrida contra o tempo na direção da autossuficiência.

    Em 1974, os esforços dos geólogos deram um grande resultado: foi iniciada a produção comercial de petróleo no campo de Garoupa, na Bacia de Campos. Essa descoberta foi emblemática, por abrir uma nova província produtora, a maior do Brasil até hoje. Outros campos passaram a ser explorados na mesma bacia. Em Enchova, a Petrobras colocou em funcionamento sua primeira plataforma semissubmersível, a Sedco 135D. Combinando avanços em pesquisa geológica e engenharia de estruturas, a companhia se estabeleceu como uma das mais arrojadas na exploração submarina, batendo sucessivos recordes de profundidade. Esses esforços permitiram alcançar a produção notável de 675.135 bpd em dezembro de 1989.

    Nos anos 80, a companhia começou a obter sucesso na exploração de campos em terra firme, especialmente na Amazônia, tendo descoberto no Rio Urucu excelentes acumulações de óleo leve e gás natural. Ao mesmo tempo, como a produção de óleos nacionais pesados era crescente, a estatal precisou reconfigurar suas instalações de refino, adicionando unidades de craqueamento catalítico fluido e de coque. Isso diminui a despesa nacional com a importação de óleos leves.

    No início do século XXI, a companhia deu novo salto, ao descobrir as reservas da região do pré-sal. Além disso, a entrada em operação de cinco novas plataformas, em 2003, permitiu à companhia superar a marca de 2 milhões de bpd produzidos no país, ficando bem perto da tão esperada autossuficiência. Os projetos alinhados no Plano de Negócios 2003-2017 indicam que a Petrobras alcançará a produção de 4,2 milhões de bpd em 2020, tornando-se exportadora líquida de crus, mas isso exigirá muita disciplina financeira e operacional.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *