Química

Perspectivas 2013 / Tintas – PIB fraco contém avanço das vendas, mas setor prevê aceleração em 2013

Rose de Moraes
6 de março de 2013
    -(reset)+

    A continuidade do plano de construção de novas moradias e a maior destinação de recursos orçamentários para essas obras básicas aumentariam as chances de elevar o consumo per capita brasileiro de tintas, atualmente em torno de 7,2 litros, aproximando-o mais dos índices dos países desenvolvidos, atualmente em torno de 15 litros a 20 litros.

    O grau de comprometimento governamental com a realização de obras de infraestrutura foi comprovado no fim do ano passado, pela liberação de investimentos por medida provisória emitida pela Presidência da República, com o propósito de oferecer ao país a perspectiva de não interromper as previsões de gastos orçamentários destinados à construção e à manutenção de portos, aeroportos, estradas, plataformas marítimas, gasodutos, oleodutos, entre outros empreendimentos e obras essenciais planejados para execução em 2013.

    Por isso, apesar das frustrações ligadas ao “pibinho” de 2012, a indústria de tintas está otimista e acredita na retomada do crescimento da economia em ritmo mais forte em 2013. “Esperamos contar com o aquecimento das atividades econômicas nas áreas atendidas pelo setor de tintas e que o crescimento do PIB em 2013 possa chegar a 3% ou 4%, nos permitindo estimar um crescimento para o nosso setor também em torno desses percentuais”, considerou o presidente executivo da Abrafati.

    Para superar obstáculos ao maior desenvolvimento do setor de tintas nos últimos anos, principalmente em 2012, várias iniciativas têm partido da Abrafati, em defesa da menor tributação do setor e de sua maior rentabilidade.

    A retomada dos negócios é esperada em virtude das perspectivas existentes para 2013, que se estendem também para os próximos anos. Algumas medidas já tomadas pelo governo, como a desoneração da folha de pagamentos e a extensão até 2013 da redução do IPI para tintas, seguirão produzindo efeitos positivos, assim como as taxas de juros que estão sendo reduzidas. O grande impulsionador, no entanto, é o consumo no mercado interno, que deverá seguir em expansão, tendo em vista a melhor renda de parcela significativa de brasileiros e o crescimento do nível de emprego formal.

    A Abrafati também conta com uma recuperação do setor industrial, depois de um período difícil. Isso deverá contribuir para a maior comercialização de tintas voltadas para esse segmento.

    “Entre as razões concretas para acreditarmos no crescimento durante os próximos anos está o amplo mercado interno brasileiro e o fato de o país estar passando por um processo de desenvolvimento, que exigirá investimentos significativos em habitação e infraestrutura, sem contar as demandas relacionadas aos grandes eventos, como a Copa do Mundo, a Olimpíada e as comemorações do bicentenário da independência, além da possível realização da Expo Mundial 2020, em São Paulo, produzindo efeitos diretos e consistentes sobre a economia e as vendas de tintas”, afirmou Ferreira.

    De acordo com o presidente executivo da entidade, a realização da Abrafati 2013, envolvendo a Exposição de Fornecedores e o Congresso Internacional de Tintas, também deverá atuar como mais um importante estímulo para essa retomada dos negócios.

    Em consequência dessa iniciativa, o desenvolvimento tecnológico do setor é impulsionado a cada evento, com a participação de grandes especialistas internacionais, que, ao compartilhar com os profissionais brasileiros os resultados de seus estudos e pesquisas, permitem aprofundar conhecimentos que levarão ao maior desenvolvimento das tintas no futuro.

    “Em 2013, deveremos contar com a participação na Abrafati de mais de 200 empresas do Brasil e do exterior, o que tornará o evento ainda mais internacional, em virtude da repercussão e da proximidade da Copa do Mundo e da Olimpíada”, considerou Ferreira.

    Balanço – Ao longo de 2012, a Abrafati obteve importantes avanços em seus programas e iniciativas voltados para várias áreas, como a sustentabilidade, a capacitação de mão de obra, a inovação tecnológica e a competitividade, entre outras, essenciais para o desenvolvimento setorial.

    Química e Derivados, Gráfico: vendas de tintas registram crescimentoO Programa Setorial da Qualidade – Tintas Imobiliárias comemorou uma década de realizações, fortalecendo toda a cadeia e trazendo benefícios para o mercado e para os usuários de tintas. Consolidado e com amplo reconhecimento governamental, bem como de usuários e especificadores de produtos, o programa de qualidade abrange quase 90% do volume de tintas imobiliárias vendidas no Brasil e que estão em conformidade com os requisitos mínimos de qualidade estabelecidos pelas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

    Em 2012, novas empresas foram incorporadas à iniciativa da Abrafati, que passou a contar com a participação de 29 fabricantes de tintas, ampliando as possibilidades de escolha e de compra de tintas de qualidade. Esse trabalho, desenvolvido nos âmbitos técnico e do governo, também promoveu a conscientização da população em relação à importância da qualidade das tintas, trazendo resultados importantes, como instituir nos órgãos de governo, agências de financiamento e varejistas exigências para que os produtos atendam aos requisitos constantes das normas técnicas.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *