Química

Papel e celulose – Fibra curta em alta faz setor desengavetar grandes projetos

Quimica e Derivados
10 de setembro de 2000
    -(reset)+

    – Retenção: o teor de finos de uma massa afeta as propriedades ópticas, de superfícies e de resistência do papel. Além disso, as partículas finas não-retidas passam para o sistema de água branca, provocando problemas de recuperação e manuseio, poluindo os efluentes. Para se reter as partículas coloidais e finos das fibras, adicionam-se coagulantes, floculantes e micropartículas (estas e alguns tipos de papéis com colagem neutra e alcalina). Por muito tempo, foi usado o sulfato de alumínio como coagulante, hoje predominam os polieletrólitos orgânicos.

    – Revestimento: é o processo final de revestimento de papéis especiais, sobretudo o do tipo couché, em que um equipamento chamado coater aplica uma formulação baseada em látex (estireno-butadieno) para dar printabilidade e brilho ao papel. Além do látex, a formulação engloba cargas minerais, modificadores reológicos, biocidas e outros aditivos.

    – Resistência: são adicionados para aumentar a resistência a seco e a úmido do papel. Os agentes de resistência a úmido são largamente utilizados nos papéis toalha e guardanapos, evitando que um guardanapo se desmanche e quebre quando se limpa a boca, por exemplo. Estes agentes também são importantes para aumento de resistência dos papéis durante a etapa de impressão e para aumento de resistência em papéis de embalagem, permitindo muitas vezes a substituicão de fibras.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *