Nutrição Animal – Cardápio de aditivos químicos garante o equilíbrio das rações

Considerando que o mercado de insumos químicos é regido pelas commodities agrícolas e que o milho é o principal balizador, Rosemeire lembra que a safra dos Estados Unidos não tem sido boa, o preço está alto, o que gera impacto na cadeia de nutrição animal. “Essa situação momentânea causa retração no mercado”, analisa. Por outro lado, como o Brasil é grande exportador de carnes de frango e bovina e vem ocorrendo um aumento constante no consumo de proteína animal pela população, o mercado feed só tem boas perspectivas de crescimento.

A alemã Evonik pretende inaugurar em 2014 uma unidade para produção biotecnológica de Biolys, na cidade de Castro-PR. Biolys é fonte do aminoácido L-lisina, utilizado como aditivo nas formulações. A nova planta será construída no complexo industrial da americana Cargill. Pelo convênio assinado recentemente entre as duas empresas, a Cargill disponibilizará a infraestrutura e fornecerá matéria-prima à Evonik.

“Nossos produtos não são meros aditivos para nutrição animal, mas um conceito nutricional que provê a melhor alimentação possível aos animais com o melhor aproveitamento possível dos recursos naturais em forma de terras aráveis e grãos”, declara Reiner Beste, presidente da unidade de negócios health & nutrition da Evonik, a única empresa no mundo que fabrica e comercializa produtos que são fontes dos quatro aminoácidos essenciais: Biolys (fonte de L-lisina), Metamino (DL-metionina), Threamino (L-treonina), e Trypamino (L-triptofano).

[box_light]

Leia também: MDIC aposta prioridades para investimentos

[/box_light]

Página anterior 1 2 3 4 5

Um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios