Nalco é exemplo de grupo com a opção de soluções integradas

Oferta ampliada – Outro fornecedor importante da área, a Kurita, também percebe busca em alguns segmentos de mercado por soluções integradas, para maximizar as possibilidades de ganho, e tem realizado operações do gênero. Além disso, até mesmo como forma de atender a essas demandas mais complexas, o grupo de origem japonesa tem adquirido muitas empresas nos últimos anos, como estratégia de ampliação de seu portfólio de tecnologias e expansão global.

Em 2019, o grupo fez três aquisições: por US$ 82 milhões comprou a norte-americana Avista, especializada em tratamento químico e serviços para operação e manutenção de membranas de osmose reversa, nanofiltração e filtragem multimídia. A segunda compra foi da Pentagon Tech, por US$ 50 milhões, especializada em negócios de limpeza de peças para a indústria eletrônica.

A terceira aquisição no ano passado foi de maior peso e fez a atuação internacional da Kurita quase se igualar com a receita no Japão, de US$ 1 bilhão, ou 42% das vendas totais do grupo. A compra foi de US$ 270 milhões, da US Water Services, uma grande empresa dos Estados Unidos com atuação em químicos e equipamentos para tratamento de água.

Além das aquisições em 2019, desde 2015 a Kurita vem aumentando suas soluções com novas empresas, e algumas delas em inteligência artificial, caso da empresa Fracta, comprada em 2018, por US$ 37 milhões, especializada na área e em machine learning (aprendizado da máquina), da Apana, por US$ 3,5 milhões em 2016, especializada em gerenciamento inteligente da água.

Casos práticos – Para o superintendente de operações da Kurita, José Aguiar Jr., as soluções integradas têm sido comuns e envolvem ações que vão além do condicionamento químico, a especialidade da empresa. Isso faz a empresa cogitar cada vez mais para seus clientes a introdução de novos equipamentos e sistemas para melhorar o tratamento, seja de caldeiras, torres de resfriamento ou estações de tratamento de água ou efluentes.



Foi isso que ocorreu em uma indústria do setor alimentício, onde a Kurita é responsável pelo tratamento dos sistemas de caldeiras e das torres de resfriamento desde 2014. Segundo Aguiar, no tratamento das caldeiras, a empresa propôs e ofereceu em regime de comodato abrandadores de sais para o pré-tratamento da água de reposição. Ao longo do tempo, houve ganhos na segurança operacional, com redução de incrustações e pontos de corrosão nos tubos dos geradores de vapor, além de elevação dos ciclos de concentração.

A abordagem integrada também permitiu outras ações. Um acompanhamento em campo auxiliou na identificação de pontos de contaminação de condensado e de água de reposição. Como consequência, em algumas unidades do cliente, entre os anos de 2014 e 2019, foi contabilizada a economia de 100 mil m³ de água, aproximadamente, e de cerca de 22 mil Nm³ de gás natural.

Química e Derivados - Palma: soluções integradas economizam água e energia ©QD Foto: Digulgação
Palma: soluções integradas economizam água e energia

No tratamento das torres de resfriamento, a ações resultaram em ganhos com redução das vazões de dreno, na frequência de limpezas e paradas não programadas, por meio de acompanhamento de partidas e realização de procedimentos de pré-condicionamento, reaproveitamento de correntes de água para redução de água clarificada, entre outros pontos. Entre 2014 e 2019, a economia em resfriamento foi de 254 mil m³ de água.

Segundo o gerente de contas da Kurita, Vinicius Palma, considerando todas as unidades desse cliente o ganho econômico com água e combustível chegou a R$ 1,3 milhão por ano e de 351 mil m3 de água. “Este é um caso de solução inicialmente pontual que se tornou integrada por conta das possibilidades que percebemos ao longo do tempo”, diz.

Outro caso de solução integrada executada pela Kurita foi em uma indústria de vidro. Conforme explica Palma, a operação foi se integrando ao longo dos anos, com sugestões e a adoção de tecnologias que atendiam demandas identificadas pelo corpo técnico da empresa.

Segundo ele, inicialmente a Kurita se responsabilizava apenas pelo tratamento das torres de resfriamento e pela estação de tratamento de água. Mas as medidas, com o tempo e proximidade com o cliente, foram se expandindo para outras áreas, o que ficou marcante quando seus técnicos desenvolveram a aplicação de inibidor de corrosão para equipamentos da linha de produção, que sofriam com processo severo de corrosão e paradas frequentes para manutenção e trocas de peças. “Como a aplicação se mostrou bem-sucedida, o cliente a estendeu para outras máquinas”, diz. Além disso, a água de reposição da área de processo também teve sua fonte mudada, o que ajudou a melhorar o processo.

Página anterior 1 2 3Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios