Tintas e Revestimentos

Mudam os atores no cenário global da área de pigmentos – Abrafati

Antonio C. Santomauro
17 de novembro de 2019
    -(reset)+

    Titânio – A compra da Cristal pela Tronox foi concluída neste ano. Para tanto, a empresa foi obrigada a vender duas fábricas que eram operadas pela Cristal nos Estados Unidos, negócio concluído em maio com o grupo britânico Ineos, que criou uma empresa exclusivamente para isso: a Ineos Pigments.

    Química e Derivados - Piergalini: nome mudou, mas grades de TiO2 são os mesmos

    Piergalini: nome mudou, mas grades de TiO2 são os mesmos

    Com capacidade total de 250 mil t/ano, a empresa é a terceira produtora mundial de dióxido de titânio pela via cloreto. As fábricas americanas abastecerão clientes nas Américas e na Europa, sem ter fôlego para atuar em outras regiões. “Seremos menos globais, porém seremos mais focados no negócio e nos clientes”, considerou Carlo Piergalini, gerente de vendas e serviços técnicos para América Latina.

    Como o negócio é recente, Piergalini ainda está estruturando a operação local, hoje mais voltada aos negócios Indent e por meio da distribuidora exclusiva, a Helmer, cujo estande na feira abrigou a distribuída.

    Apesar disso, ele não espera maiores dificuldades por aqui. “Basicamente, é o mesmo produto que nós já vendíamos por aqui antes pela Cristal, são os mesmos grades, fabricados nas mesmas fábricas de antes, os clientes já os conhecem e os especificam nas suas formulações”, salientou. A nomenclatura deve mudar, conforme estipulado em contrato. “Usaremos o prefixo RC, de rutile chloride, mas a numeração será a mesma.”

    A Tronox, por sua vez, comemora a aquisição da Cristal, que consolidou a sua liderança no mercado mundial do pigmento. A empresa informou que os clientes que estavam sendo abastecidos pelas fábricas vendidas para a Ineos serão atendidos pelas outras unidades fabris da companhia, instaladas no Brasil (Camçari-BA), EUA, Reino Unido, França, Holanda, Arábia Saudita, Austrália e China, com produção via sulfato e cloreto.

    A Tronox adotou a marca TiONA para todos os seus grades de dióxido de titânio vendidos no mundo. “Temos o portfólio mais diversificado do pigmento em todo o mundo”, destacou o comunicado oficial da companhia.

    Novos negros – A Birla Carbon apresentou dois novos negros-de-fumo durante o encontro setorial. O primeiro é o Raven 675, pigmento não tratado, limpo, que pode ter contato direto com alimentos com aprovação por órgão europeu, com tom azulado forte e dispersão fácil. “Ele é produzido na nossa fábrica da Espanha, sendo indicado para tintas gráficas tanto para publicações, quanto para embalagens”, informou Leonardo Fernandes Luiz de Souza, coordenador de vendas. O Raven 625 apresenta baixa absorção de óleo, com baixa estrutura, oferecendo boa processabilidade, resultando em tintas que aceitam impressão em alta velocidade, com boa durabilidade. Foi lançado em julho e está em fase de aprovação por parte de clientes globais.

    O segundo novo pigmento preto é o Raven 5100, direcionado para tintas automotivas. “Ele tem área superficial maior, perto de 350 m²/grama, e poder tintório superior”, explicou Souza. Fabricado nos EUA, o 5100 não é tratado, ao contrário do conhecido 5000, e tem aplicação em tintas de base água, tanto em repintura quanto em pinturas originais. “O mercado deverá receber bem a novidade, esse pigmento chega a uma cor muito profunda, desejada pelos clientes”, comentou.

    Óxidos de ferro – A Lanxess comemora o fato de a fábrica de óxidos de ferro de Ningbo ter recebido o selo Green Plant, oferecido pelo governo chinês, atestando o bom desempenho ambiental e energético da operação. A empresa atua com foco no New Red, um vermelho intenso trazido de Ningbo desde o final de 2018.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *