Metrologia e qualidade em laboratórios – Congresso internacional desfila o estado-da-arte da calibração

Qualidade em laboratórios– Publicadas em 1987 e desde então adotadas em todo o mundo, a série de normas ISO 9000 é a base para a certificação de qualidade de empresas. Para laboratórios, entretanto, existe uma norma de qualidade específica: a NBR ISO/IEC 17025. Sua origem remonta ao final da década de 70, quando um grupo formado por representantes de órgãos de credenciamento de diversos países se reuniu para dar início às atividades do ILAC (International Laboratory Accreditation Conference). O objetivo era promover o intercâmbio e disseminar as práticas de credenciamento de laboratórios, melhorando a confiabilidade de resultados de ensaios e calibrações.

Química e Derivados, Lúcia Alves e Silva, Engenheira, Metrologia e qualidade em laboratórios - Congresso internacional desfila o estado-da-arte da calibração
Lúcia: rede diminui custo para as certificações

Em 1982, foi elaborado o ISO/IEC Guide 25, contendo requisitos gerais para a capacitação de laboratórios. Revisado em 1990, proporcionou a padronização internacional das atividades de laboratórios de ensaios e calibrações. A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) publicou este documento, como ABNT ISO/IEC Guia25. ANBR ISO/IEC 17025 é o resultado do aperfeiçoamento do ISO Guia 25. Essa norma é considerada a referência mundial de qualidade para laboratórios de ensaios e de calibrações, apresentando requisitos necessários à demonstração da implementação de um sistema de gestão, da competência técnica e da emissão de resultados válidos.

A certificação de laboratórios é concedida pelo Inmetro àqueles que atendem à essa norma, que valoriza não só a parte técnica, mas também a gerencial. A certificação por essa norma é também pré-requisito estabelecido pela Anvisa para credenciamento na Reblas. A Tabela 1 indica os requisitos técnicos e gerenciais da NBR ISO/IEC 17025 e suas respectivas seções.

Química e Derivados, Metrologia e qualidade em laboratórios - Congresso internacional desfila o estado-da-arte da calibração
Figura 5: selo de qualidade de laboratórios reconhecidos pela Remesp

Bônus Metrologia – Os processos de credenciamento e certificação são onerosos. Assim, para as micro e pequenas empresas, fica difícil concorrer com as grandes. Visando a baratear os custos da certificação do Inmetro, trabalho preparatório vem sendo feito pelas redes metrológicas estaduais. A Remesp (Rede Metrológica do Estado de São Paulo) tem um programa de reconhecimento da competência de laboratórios de ensaio e de calibração apoiado pela Finep (Financiadora de Estudo e Projetos). A coordenação do sistema de reconhecimento está a cargo da engenheira Lúcia Alves e Silva. Em2004, a Remesp começou a estruturar esse sistema, iniciando as avaliações em fevereiro de 2005. O acesso ao reconhecimento é facultado a todos os laboratórios de ensaios ou calibrações, independentemente do porte e área de atuação. Não é necessário associar-se à Rede. A Remesp assegura aos laboratórios postulantes confidencialidade sobre as informações a que tiver acesso, e preservação de seu direito de propriedade. No processo de credenciamento, auditores da rede metrológica paulista fazem a verificação da conformidade aos requisitos da NBR ISO/IEC 17025. Segundo Lúcia, o corpo de auditores é constituído por profissionais do mercado qualificados e treinados, com vivência em laboratórios de ensaios ou calibrações, e homologados pelo comitê técnico da Remesp. Em maio de 2007, já havia 38 laboratórios reconhecidos e 21 processos de reconhecimento em andamento.

O reconhecimento pelas redes e pelo Inmetro é referência no mercado de serviços laboratoriais confiáveis. O laboratório ganha o direito de exibir em seus documentos e material publicitário o selo de identificação mostrado na Figura 5. Interessados em candidatar-se ao programa encontram informações adicionais no site www.remesp. org.br.

Também para ajudar as empresas de menor porte, o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) lançou o bônus metrologia, em parceria com as redes metrológicas estaduais. Os beneficiários do programa são as pequenas e microempresas que demandam serviços de metrologia. O bônus pode ser pleiteado por empresas – industriais, comerciais, rurais e prestadoras de serviço – de pequeno porte. É oferecido para que o pequeno empresário procure um laboratório qualificado para realizar calibrações de instrumentos e ensaios de seus produtos.

A empresa procura o Sebrae mais próximo ou os laboratórios reconhecidos pela rede metrológica de seu Estado. Preenche uma ficha e, se aprovada, recebe o atendimento. O Sebrae arca com um percentual do valor dos serviços. Graças ao programa, as empresas contempladas conseguem acessar laboratórios qualificados, aumentando a confiabilidade de calibrações e análises.

Página anterior 1 2 3 4 5

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios