Mercado Graxo: Origem natural garante evolução de negócios

Óleos especiais apóiam comunidades e ambiente

O desenvolvimento de oleoquímicos especiais ajuda a conservar a floresta tropical e garante rendimento econômico para pequenas comunidades amazônicas. Desde 1999, a Cognis Brasil desenvolve um trabalho de aproximação e parceria com pequenos grupos populacionais dispersos, aos quais incentivou a prensar sementes de determinadas espécies vegetais, em vez de abater árvores para a venda de madeira.

“A andiroba, por exemplo, dá uma madeira bonita, semelhante ao mogno, mas suas sementes também fornecem óleo de alto valor comercial”, explicou a bióloga Janice Casara, gerente da unidade de negócios Amazon Care Chemicals. O relacionamento direto com as comunidades garante a transferência de renda e reforça a mentalidade de preservação da riqueza natural da floresta. Outro exemplo é o aumento da coleta de frutos da copaíba, uma alternativa para os seringueiros, cuja atividade tornou-se pouco remuneradora nos últimos anos. Além do extrativismo, a Cognis promove o reflorestamento de uma área em Rondônia, onde atua simultaneamente com mais ou menos quatro espécies vegetais.

Atualmente, a unidade de negócios mantém em portfólio seis óleos naturais: de andiroba, cupuaçu, pequi, castanha, copaíba e murumuru, com aplicações mais freqüentes na área de higiene pessoal e cosméticos. Como vantagens, Janice cita a propriedade hidrofílica de alguns óleos tratados, que permite a sua incorporação a xampús capilares transparentes na proporção de 4%, quando o máximo dos óleos convencionais é de 2%.

Química e Derivados: Graxo: Janice - extração de óleo evita o abate de árvores amazônicas.
Janice – extração de óleo evita o abate de árvores amazônicas.

Além disso, há usos na área de nutrição e saúde humana, e até na linha industrial de amaciantes têxteis. “Nesse caso, é possível melhorar propriedades sensoriais e hidrofílicas de toalhas de banho”, comentou, citando o desenvolvimento feito em parceira com uma tecelagem, interessada em oferecer toalhas novas que apresentem boa secagem mesmo antes das primeiras lavagens.

Por enquanto, o volume de óleos comercializados pela Amazon Care Chemicals é muito pequeno, mas a idéia está sendo vista com olhos muito bons pelo conselho de administração mundial da companhia. “É um projeto que vai ao encontro da proposta de trabalho da empresa de atuar em atividades sustentáveis”, confirmou o gerente regional de vendas de oleoquímicos Ramon Vargas Fernandez. O aumento da produção será decorrência do desenvolvimento da demanda, exigindo ampliar o número de comunidades parceiras. Além do consumo brasileiro, esses óleos especiais estão sendo exportados, em pequena quantidade para países da América Latina.

Os óleos naturais extraídos em quatro Estados da Amazônia – Rondônia, Amazonas, Amapá e Acre – são enviados para a fábrica da Cognis em Jacareí, onde passam por uma etapa de filtração simples. “Queremos vender o óleo o mais natural possível”, explicou Janice. A extração é feita em prensas qeu pertencem à cada uma das comunidades (geralmente em parceria com alguma ONG) ou à própria Cognis. A etapa mais crítica é a conservação das sementes antes da prensagem, sujeitas à rancificação e ao ataque microbiológico, que podem prejudicar a qualidade do produto final. “O óleo extraído já é rico em tocoferóis, um antioxidante natural”, explicou a bióloga.

Com larga experiência no acompanhamento de comunidades amazônicas, Janice Casara explica que alguns Estados oferecem apoio ao projeto. Também só agora, contando com a presença da Ministra Marina Silva, oriunda da região, o Ministério do Meio Ambiente tornou-se mais sensível à idéia. “Ainda falta uma política forte de desenvolvimento sustentável na região amazônica”, disse.

Página anterior 1 2 3 4 5 6
Mostrar mais

Um Comentário

  1. Lendo a publicação acima sobre graxo fiquei interessado, pois estamos na face final de elaboração de um potente coagulante para redução do sulfato proveniente dos efluentes gerado pelas empresas que trabalham com bora para a produção de acido graxo, esses coagulantes já foi testado em laboratório o resultado de 6000ppm sulfato para menor 200ppm.
    Estamos confiantes no produto sabendo que os órgãos libera para descarte teor menor 1000ppm havendo interesse estamos à disposição.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios