Tratamento de água: Insumos conservam e limpam membranas

Tratamento de água por membranas também precisa do suporte de produtos químicos

O tratamento de água por membranas, mesmo com sua abrangência para atender todos os tipos de demandas de consumo, incluindo aí as mais exigentes, como da indústria farmacêutica e cosmética, também precisa do suporte de produtos químicos para a operação.

Embora no caso da aplicação para a produção de fármacos a opção técnica para o controle microbiológico passe pela sanitização a quente e por radiação ultravioleta, de forma geral os anti-incrustantes ainda são importantes para evitar o entupimento das membranas.

Uma fornecedora da área, que tem soluções químicas para todos os tipos de operação com membranas de osmose reversa é a Iosis, de São Paulo. Segundo seu diretor, Mauro Campopiano, no caso dos anti-incrustantes é utilizado um software dedicado da italiana Italmatch Chemicals para definir o tipo de produto e a dosagem que será recomendada em linha.

“Colocamos todos os dados da operação no software, as vazões de alimentação, do permeado e do rejeito, além das características físico-químicas, e ele dá as informações que precisamos para recomendar a dosagem, volume e o tipo de anti-incrustantes”, disse Campopiano.

Leia Mais:

No caso, a Iosis mantém estoque no Brasil de dois anti-incrustantes da Italmatch que cobrem mais de 95% das demandas para o tratamento de água por membranas. O Flocon 260, da família dos polimaleicos, é para aplicações mais premium, para águas com altos teores de sílica e ferro, por exemplo. O outro é o Flocon 135, policarboxílico, para operações com menores tendências à incrustação.

O software, algumas vezes, diz o diretor, pode indicar também que os produtos não suportariam a operação. “Nesses casos, a recomendação é que o cliente melhore a água de entrada, que está fora dos padrões para a osmose reversa”, completa.

Além dos anti-incrustantes, a Iosis também recomenda e fornece para as operações de osmose reversa os biocidas, no caso o DBNPA (dibromonitrilopropionamida), considerado um fast killer por conta de sua ação rápida do controle microbiológico. O biocida pode ser dosado online ou offline (em paradas para limpezas). Este último caso pode ser uma solução para a indústria de fármacos ou cosméticos, embora esses setores evitem o uso de biocidas.

Também faz parte dos complementos químicos à operação de membranas as limpezas químicas ácidas, para inorgânicos, e alcalinas, para os orgânicos, que são também feitas em paradas. Para esse tipo de tratamento, a Iosis apenas indica as soluções, sem atuar como fornecedora.

Veja Também:

Não deixe de consultar o Guia QD, maior plataforma eletrônica de compras e vendas do setor, com mais de 300 mil consultas mensais por produtos e mais de 400 anunciantes ativos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.